HBO Max | Mais do que uma casa para as futuras produções da DC

    Após uma grande comoção por partes dos fãs, a atriz Jurnee Smollett irá retornar para o papel de Dinah Lance em um filme solo, roteirizado pela cineasta Misha Green para a HBO Max. A notícia vem em seguida de outros projetos previamente anunciados pela DC e que serão destinados ao streaming, o que pode indicar um certo planejamento para o DCEU na plataforma. 

    Em 2018, a DC sofreu uma reestruturação de base nos cinemas. Após um começo amargo quanto a recepção de suas produções pela crítica especializada e público, o DCEU ganhou uma nova direção, investindo em subfranquias dos mais diversos gêneros, que estabeleceram aos poucos uma base sólida para um recomeço seguro e mais confiante. Agora, com um norte melhor estabelecido, chegou o momento de expansão, trabalhando com suas mitologias e desenvolvendo – ou apresentando – núcleos isolados para assim enriquecer o seu universo no sentido macro. 

    Um dos exemplos será o filme da Canário Negro, que deve focar em um núcleo mais mundano, podendo apresentar personagens com vínculos mais urbanos, como no caso da vilã Lady Shiva e o herói Pantera, e ainda sendo possível se conectar com outras produções, como o filme da Batgirl que também deve seguir uma proposta mais “pé no chão”. Além de se tornar o ponto de partida para outros projetos similares, que podem inclusive, contar com o retorno de personagens como a Katana (Karen Fukuhara) e a Caçadora (Mary Elizabeth Winstead).

    Essas conexões devem se tornar mais frequente nessa nova fase do universo, começando por “Pacificador” (janeiro/2022). A série de James Gunn estrelada por John Cena, será a primeira dos muitos derivados na HBO Max, e deve mostrar o anti-herói sendo um agente por baixo dos panos do governo estadunidense, agindo como um bode expiatório de Amanda Waller para missões de escala menor do que foram vistas em ‘O Esquadrão Suicida’, e ainda servirá como porta de entrada para personagens da antiga Charlton Comics, tendo já sido anunciada a adição do Mestre Judoca (Nhut Le) e Vigilante (Freddie Stroma). 

    Lembrando que, o herói Besouro Azul (Dan Garret e Ted Kord) também vieram dessa falecida editora, deixando no ar se existe a possibilidade da produção se conectar com o filme do personagem que será estrelado por Xolo Maridueña, um dos principais investimentos da HBO Max com a DC.

    Após a estreia da série de James Gunn é previsto que uma gama de produções diretamente conectadas com os cinemas cheguem ao streaming. Destaque para a série derivada do universo do filme “The Batman”, de Matt Reeves.

    • Gotham City PD: série derivada de ‘The Batman’ focada no Departamento de Polícia de Gotham City, comandada por Matt Reeves e Terence Winter (The Sopranos).

    Apesar disso, a HBO Max não ficará somente com derivados, sendo também o palco para a apresentação de produções originais. Sendo chefiada por J.J. Abrams e sua produtora, Bad Robot, o serviço de streaming irá se aventurar pelo universo cósmico e sobrenatural da DC. Das produções já anunciadas temos: 

    • Lanterna Verde: série cósmica da DC roteirizada e produzida por Seth Grahame-Smith e Marc Guggenheim que mostrará aventuras de várias versões dos Lanternas Verdes, como Alan Scott (Jeremy Irvine), Guy Gardner (Finn Wittrock), Jessica Cruz e Simon Baz. 
    • Constantine: série que acompanhará um jovem Constantine na cidade de Londres, tendo Guy Bolton como responsável pelo roteiro do piloto.
    • Madame Xanadu: série produzida por J.J. Abrams, ao lado da cineasta Angela Robinson (True Blood), onde veremos a Madame Xanadu, fundadora da Liga da Justiça Sombria, como uma poderosa feiticeira com poderes de prever o futuro. 

    As produções relacionadas a Liga da Justiça Sombria estão em seus estágios inicias e deverão ter conexões com o filme da Zatanna, que será lançado nos cinemas e contará com o roteiro da vencedora do Oscar, Emerald Fennell (Bela Vingança).

    Mesmo tendo uma grande leva de produções diretamente ligadas ao DCEU, a HBO Max também está investindo em outros produtos independentes e sem conexão com o universo dos cinemas, indo desde minisséries baseadas nas HQ’s da DC/Vertigo a animações voltadas ao público infantil. Confira:  

    • Aquaman: King of Atlantis: série animada canônica, produzida por James Wan, que contará com três aventuras antológicas (com cerca de 1min58) de Arthur Cury e Mera nos seus primeiros dias como protetores do reino submarino.
    • Strange Adventures: série antológica focada em diversos heróis da DC e descrita como “contos ambientados em um mundo onde existem super poderes”. 
    • DC Super Hero High: série de comédia produzida por Elizabeth Banks ambientada em um colégio interno de jovens superdotados, seguindo esses alunos lidando com questões comuns da adolescência antes de se tornarem heróis conhecidos da DC. 
    • DMZ: minissérie de quatro episódios dirigida e produzida por Ava DuVernay ao lado de Roberto Patino, que irá adaptar os quadrinhos publicados no selo DC/Vertigo sobre uma segunda guerra civil americana entre os Estados Unidos e as forças separatistas dos Estados Livres da América. 
    • My Adventures With Superman: série animada da Warner Bros. Animation produzida por Jake Wyatt e Brendan Clogher (Avatar: A Lenda de Korra) que trará uma versão moderna de Clark Kent (Jack Quaid) e Lois Lane (Alice Lee) ainda em suas primeiras aventuras. 
    • Batman: Caped Crusader: série animada produzida por Bruce Timm, J.J. Abrams e Matt Reeves, descrita como uma “reimaginação da mitologia do Batman”. 
    • Superman: minissérie centrada no Superman da Terra 2, Val Zod, produzida por Michael B. Jordan e sua produtora, Outlier Society, e não tendo nenhuma conexão com o filme produzido por J.J. Abrams. 
    • Batwheels: série animada destinada ao público infantil desenvolvida para o Cartoon Network e HBO Max focados nos veículos do universo do Batman, tendo Bam, o Batmóvel, como protagonista. 

    Muito se discute o motivo de algumas dessas produções, como Besouro Azul e Canário Negro, não serem lançadas diretamente para os cinemas, podendo essa decisão ser motivada pelo medo de um possível baixo rendimento nas bilheterias devido ao grande volume e competitividade com outros projetos de maior orçamento, sendo mais seguro o seu lançamento por meio das plataformas digitais.

    Por hora, essas são as produções da DC que estão atualmente em desenvolvimento pela HBO Max, ainda podendo ser anunciadas outras no futuro e, principalmente, durante o evento DC FanDome 2021, que ocorrerá no dia 16 de outubro. Lembrando que a HBO Max poderá não só servir como produtora, mas também distribuidora, como é o caso das séries “Superman & Lois” e “Stargirl” aqui no Brasil, sendo bastante decisiva para o futuro do DCEU e de toda as produções do selo DC daqui por diante.

    Marcos Vinícius
    Marcos Vinícius
    Olá! Meu nome é Marcos e tenho um grande amor pelo jornalismo. Possuo um podcast, o Sabor de Ambrosia, e sou um grande fã da DC desde que me entendo por gente. Escrevo de tudo um pouco e, espero que gostem do que tenho pra falar.

    Deixe seu comentário

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    Você pode gostar

    Siga-nos

    24,169FãsCurtir
    15,600SeguidoresSeguir
    19,440SeguidoresSeguir

    Últimas Postagens