Com um estande gigantesco com cerca de 360m, diferente de anos anteriores, todos as mensais e lombada canoa estavam expostas em prateleiras próprias para revistas, ao contrário dos quadrados entre uma estante e outra de encadernados, algo que facilitava bastante na hora de procurar um título específico. O lugar estava dividido entre as 4 frentes da editora, DC na frente de tudo ao lado esquerdo, Marvel ao fundo, mangás do lado direito e na frente Turma da Mônica com os álbuns de figurinhas ao fundo.

Ela chegou com alguns lançamentos em primeira mão, alguns aguardados, outros surpresas, mas infelizmente nada acima da média como nos outros anos, quando trouxera o Evangelho Segundo Lobo em 2016 para a vinda de Simon Bisley. Confira agora as novidades da DC :

 

Batman – O Cavaleiro das Trevas – Edição Definitiva – Capa Prateada

Um relançamento que ninguém esperava, mas, que basicamente, não representa nada de novo ao catálogo da editora no país. A Panini trouxe de volta a primeira edição publicada aqui em meados de 2007, ou seja, há 10 anos que a obra da minisérie original chegava junto com a segunda edição ( fato decisivo para a venda da mesma, pois é amplamente criticada e fica muito abaixo da obra dos anos 80). O diferencial dessa edição fica por conta da capa metalizada, que por sinal é a edição mais bonita na minha opinião, mas que trás mais do mesmo, sendo esse material o maior reimpresso da DC com atualmente 5 edições com o único diferencial de possuir capas diferentes a cada nova edição, sendo esta a primeira repetição.

Na primeira vez a edição apresentava a descrição “Série Limitada”, que circula pela internet com uma tiragem de apenas 500 unidades na época. Em 2011, com um capa sem efeitos especiais e trazendo a figura do Batman, a terceira versão apresenta a famosa capa do raio, cena clássica da HQ, mas que apesar do lançamento em 2014, o miolo revela ser o mesmo, ou seja, uma reimpressão. Em 2015 a edição apresentava a cena da batalha entre os dois protagonistas, Superman e Batman.

Os Flintstones

Conforme anunciamos anteriormente, o encadernado do novo selo Hanna-Barbera apresenta uma nova interpretação, e diferentemente de Future Quest, traz uma nova arte gráfica que difere muito do clássico das animações.

Escalpo 

Anunciado na última CCXP, uma obra esplêndida que trouxe um questionamento nos grupos de quadrinhos sobre o preço absurdo de R$129,00 de capa para 300 páginas. Ela conta com 5 volumes ao todo que assim como Y: o Ultimo Homem deve ser lançado sem uma periodicidade definida, infelizmente até sexta (08/12), a edição não havia sido entregue por problemas de gráfica e logística da editora.

Sketch Covers

Todos os anos a Panini trás capas em branco sobre as capas das hqs na CCXP para que possamos levar para o nossa artista favorito e ele criar (na hora) uma capa exclusiva para nós, depende de cada um cobrar ou não para isso, mas sempre fica um trabalho bem legal. A questão desse ano foi que títulos bons como do Renascimento foram “esquecidos” do panteão, as revista do Batman e do Superman que são as melhores de toda a nova fase, não foram incluídas no balaio. Dentre as capas temos Mulher Maravilha, por conta do filme, mas que o quadrinho apesar de lindo é deveras confuso em um arco que se passa no presente e não muito épico no que se refere ao Ano Um. Liga da Justiça está presente todo ano, e que apesar de ser considerada por muitos como o pior título, o nome é forte e se justifica. Por último, Arlequina, que tem uma pegada descompromissada de cronologia e tem agradado muito os fãs, apresentando gente nova para ler gibis. Ponto positivo para a Palhaça do Crime que foi recordista de Cosplays esse ano.

Capas variantes

Outro ponto alto da Comic Con Experience são as capas variantes em homenagem à artistas presentes na feira. Este ano tivemos apenas a capa do Ivan Reis, com esse intuito, e um ponto diferente é que as três podiam ser encontradas em bancas e Comic Shops antes mesmo da convenção, sendo assim, não houve NENHUMA capa exclusiva do evento como em anos anteriores e também a quantidade foi menor.

A parte alta do estande e o motivo de conhece-lo antes dos demais, se deve à facilidade de encontrar coisas como a saga do Monstro do Pântano de Alan Moore, que contava com 3 das 5 edições publicadas, uma infinidade de volumes de Hellblazer com as capas de Bisley e Fabry para conseguir um autógrafo, além de diversos encadernados mais do que esgotados das lojas, principalmente as primeiras edições com poucas unidades sobrando nos estoques da Panini.

Sobre Marcelo

Avatar

Empresário, amante da DC Comics.

Últimas notícias