Detalhes da tecnologia de cenários usada em ‘The Batman’ são revelados

    Com a chegada de The Batman nas plataformas de digitais, também foi divulgado um vídeo de bastidores, que relata minuciosamente o trabalho não só do diretor Matt Reeves, mas também de toda a equipe para entregar um filme de alta qualidade, que muitos viram nas telas de cinema.

    E, falando em telas, um dos grandes destaques notado nos bastidores é a nova tecnologia usada pela produção para substituir a clássica tela verde na construção dos cenários góticos e vivos da icônica cidade de Gotham.

    Conheçam o Volume

    Em 2019, a Industrial Light & Magic (ILM), empresa de efeitos visuais criada pelo diretor George Lucas, em 1975, apresentou uma ferramenta revolucionária, chamada O Volume, uma espécie de arena formada por monitores de LED que renderiza as paisagens e cenários fictícios em tempo real e permite uma interação mais natural dos atores com o ambiente. Atualmente, o uso da famosa tela verde chroma key é popular, mas nem sempre consegue passar o realismo para as telas.

    Como ele funciona?

    A tecnologia foi desenvolvida especificamente para a série O Mandaloriano, derivado da franquia Star Wars para o serviço de streaming do Disney+. Funcionando como um palco circular de 6 metros de altura e 23 metros de diâmetro que, em parceria com a EpicGames, utilizou o software do programa Unreal Engine, que facilita o design de jogos e virou uma peça importante para a criação de conteúdo 3D em várias plataformas. Essa tecnologia já foi usada anteriormente na criação de cenários de jogos como Street Fighter V, Kingdom Hearts 3 e Days Gone.

    Segundo Richard Bluff, o supervisor de efeitos visuais da série, a ideia era filmar em um pequeno palco com pequenos conjuntos físicos que pudessem ser colocados e retirados com bastante rapidez e, em seguida, estender esses conjuntos na parede de LED.

    A inovação da tecnologia não se limita em apenas criar imagens geradas ao vivo em 3D fotorrealista por GPUs (Graphics Processing Units, ou unidades de processamento gráfico) potentes, mas em fazer ambientes que são diretamente afetados pelos movimentos de câmera. Se a câmera se mover para a direita, a imagem se altera como se fosse uma cena real.

    O uso do Volume nos bastidores de The Batman

    A renderização e manipulação em tempo real dos ambientes em tela são feitas por uma equipe de elite de artistas de efeitos visuais e engenheiros da ILM (Industrial Light & Magic), conhecida como Brain Bar. Com isso, a equipe de filmagem não se torna refém de fatores climáticos das locações, alterando a iluminação e elementos do cenário com completa liberdade, facilitando, e muito o trabalho dos diretores de fotografia.

    Futuro da tecnologia

    Apesar de revolucionária, a tecnologia do Volume ainda é pouco utilizada em Hollywood. Alguns projetos como os futuros filmes do MCU, Thor: Amor e Trovão e Homem-Formiga e Vespa: Quantumania, além da adaptação da saga Percy Jackson, para o Disney+ fazem uso da tecnologia.

    Ainda é bastante cedo para especular o verdadeiro potencial da nova ferramenta. Já existindo interesse em evoluir ela para a criação de personagens e não somente de cenários.

    The Batman, e seu conteúdo adicional, já estão disponíveis no serviço de streaming da HBO Max.

    Marcos Vinícius
    Marcos Vinícius
    Olá! Meu nome é Marcos e tenho um grande amor pelo jornalismo. Possuo um podcast, o Sabor de Ambrosia, e sou um grande fã da DC desde que me entendo por gente. Escrevo de tudo um pouco e, espero que gostem do que tenho pra falar.

    Deixe seu comentário

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    Você pode gostar

    Siga-nos

    24,169FãsCurtir
    15,600SeguidoresSeguir
    19,533SeguidoresSeguir

    Últimas Postagens