Aviso: Neste texto, vamos abordar a origem do primeiro Caça-Ratos, que aparece nos quadrinhos. No filme ‘O Esquadrão Suicida’, teremos a estreia da Caça-Ratos 2, filha do personagem original. 

Sejamos sinceros, poucas pessoas consideram o rato um animal fofo. É claro que existe o Mickey, Stuart Little e outros ratos de animações que tentam deixá-los fofos e quebrar a fama de animais que carregam doenças. Mesmo assim, aposto que ninguém chegaria perto de um local infestado por esses pequenos roedores na vida real. E por falar em infestação, existe um conto alemão, datado do ano de 1284, sobre um flautista que controlava ratos…

Tocando a flauta, ele foi capaz de encantar os ratos e levá-los para fora do vilarejo de Hamelin, mas não recebeu o pagamento prometido. Mais tarde, o flautista retornou à cidade e encantou todas as crianças, desaparecendo com elas para sempre. Registros históricos indicam que os ratos foram introduzidos no conto somente no século XVI, sendo uma alusão a Peste Negra, que teve seu pico entre 1347 e 1351 e era transmitida por ratazanas. Teorias sugerem que o flautista seria a representação da morte e as crianças do vilarejo morreram em decorrência da doença. Para nossa sorte, hoje em dia o controle populacional de ratos é muito mais fácil e dificilmente teremos outro surto transmitido por eles nesta magnitude, tudo isso graças ao Controle de Pragas Urbanas e os exterminadores de ratos. Gotham, por outro lado, tem um probleminha com roedores…

Otis Flannegan, autonomeado The Ratcatcher (Caça-Ratos), apareceu pela primeira vez no quadrinho Detective Comics #585, em abril de 1988. Criado por Alan Grant, Norm Breyfogle e John Wagner. O personagem aparece nas galerias do esgoto de Gotham, vestindo uma versão aprimorada da roupa de exterminador de ratos do Departamento de Saneamento de Gotham. Ele tenta impedir que um homem escape dos esgotos, utilizando ratos para perseguir o fugitivo. Enquanto isso, nas ruas da cidade, Batman está lutando contra alguns bandidos que possuíam um lança-foguetes. Foi no meio da luta que o homem morcego escutou um pedido de socorro e viu o homem, que tinha acabado de sair do bueiro, sendo atacado por muitos ratos.

Quando Batman foi ajudar o homem, ele escutou um apito e os ratos fugiram de forma coordenada. Achando aquilo muito estranho, ele decidiu seguir os ratos e viu que eles estavam seguindo alguém, como se fossem controlados, e acabou acompanhando a misteriosa figura até a galeria dos esgotos. Um péssimo erro. Caça-Ratos não tem medo de enfrentar o vigilante, e até se sente confortável por estar em um território que lhe dá a vantagem. O controlador de ratos admite que ordenou o assassinato do homem como exemplo para que os outros prisioneiros não tentassem escapar, dando a entender que existe um cativeiro nos esgotos da cidade. Assoprando o apito mais uma vez, os ratos começam a investida contra o Batman, que se vê encurralado por centenas de roedores saindo de todos os cantos. Nesse primeiro confronto quem se deu bem foi o Caça-Ratos, e Batman tomou um bom banho de esgoto.

Primeira aparição de Ratcatcher em Detective Comics #585.

Uma das características mais marcantes no visual do Caça-Ratos é sua roupa de exterminador junto da máscara com filtro de ar. Além disto, ele possui acessórios como um bastão longo que ajuda nas caminhadas pelo esgoto e uma lanterna para iluminar o caminho. O vilão também carrega um revólver caso precise eliminar um alvo mais rápido (Detective Comics #586). As habilidades de Otis Flannegan se resumem em treinar os roedores para atacar utilizando comando de voz. Com o apito, seu comando ganha maior alcance. Ele também consegue compreender o comportamento dos ratos, sendo possível saber quando alguma ameaça se aproxima ao observar o nível de agitação dos animais. Vale acrescentar que ele utilizava veneno para exterminar os ratos, então é possível que ele tenha conhecimento para manipular e utilizar essa substância contra humanos.

Além disto, Otis sente uma espécie de conexão emocional com os ratos, por se sentir tratado da mesma forma que os roedores são tratados pela sociedade: odiados e maltratados. Ele conversa com os roedores, desabafando sobre como se sentiu traído pela cidade depois de ter se dedicado tanto em seu trabalho (Detective Comics #679). De fato, Otis trabalhou muitos anos como exterminador de ratos e ninguém acreditou nele quando ele disse que podia controlar os animais que deveria matar.

Caça-Ratos chamando os ratos com o apito.

O surgimento do Caça-Ratos ocorre 15 anos depois de Otis ter se envolvido em uma briga de rua, ao qual um homem morreu esfaqueado, e o exterminador de ratos foi enviado para a Penitenciaria Estadual de Gotham. Na edição #586, o Comissário Gordon e outros policiais acompanharam a necropsia do homem atacado pelos roedores e descobriram que era ela um antigo juiz criminal chamado Wyatt Hogan, que estava desaparecido há cinco anos. Gordon ficou intrigado com o ataque coordenado dos ratos e conversou com o supervisor de saneamento da cidade para tentar obter mais informações. O supervisor Woller, conta que nunca viu esse comportamento nos roedores e acaba lembrando que um antigo funcionário alegava conseguir treinar ratos para atacar.

Ele também conta para Gordon que Flannegan foi preso por assassinato e quem o condenou foi o juiz Hogan. Um pouco antes desta conversa, Gordon ordenou uma busca pelos esgotos para tentar achar mais evidencias e explicar o que aconteceu. Em seguida, vemos que Batman sobreviveu ao primeiro confronto, mas está bastante desorientado por ter engolido água de esgoto. Mesmo assim, o homem morcego não recua e continua procurando o novo vilão. Ele acaba encontrando alguns equipamentos, deixados por alguma equipe de reparação das galerias subterrâneas, incluindo o combustível ao qual Batman utiliza para fazer uma tocha.

Caça-Ratos em Detective Comics #679.

“Pelos poderes investidos em mim pelo Departamento de Saneamento de Gotham City, eu o condeno à morte” é uma frase que o vilão usa antes de ordenar a morte de seu alvo. Caça-Ratos acredita que ele foi preso injustamente, mesmo que as evidências apontem que ele foi o culpado, e sequestrou as pessoas que ele acredita serem responsáveis por seu período encarcerado. Ele capturou o juiz dois meses depois que foi solto, após 10 anos na prisão. Com um mês em liberdade, Otis foi atrás do guarda Stanley Konik que o alimentava apenas com pão e água, e agora, era alimentado com ratos na prisão do Caça-Ratos. Sam Bellow, o oficial que apreendeu Flannegan e Cornelius Budd, testemunha principal de acusação, também desapareceram em intervalo de semanas.

Os quatro casos de desaparecimento não foram conectados nas investigações, o que levou ao sucesso do antigo exterminador em manter os homens no subterrâneo de Gotham por tantos anos. Mas Caça-Ratos não está muito satisfeito com seus prisioneiros tentando fugir e decide executa-los com um tiro, começando por Budd. Em paralelo, Batman continua percorrendo os esgotos quando encontra uma considerável quantidade de ratos terminando de comer um novo corpo; o funcionário que acompanhava os policiais. Prevendo que ele seria o próximo alvo, ele derrama o combustível que encontrou mais cedo e acende com a tocha improvisada, queimando os roedores. Para o azar do Caça-Ratos, o Homem Morcego queimou todos os roedores e quando eles se encontram na prisão subterrânea, após Batman seguir o barulho do tiro, o vilão acaba se dando mal em um combate corpo-a-corpo.

Após ser capturado por Batman, ele recebeu uma sentença de 20 anos por sequestro, agressão, assassinato em segundo grau e destruição de propriedade pública. Retornando em 1994, na edição #679 da Detective Comics, Caça-Ratos passa por uma audiência de liberdade condicional que não dura muito porque o vilão conseguiu um apito e convoca seus ratos até o local. Batman (Dick Grayson) e Robin estavam preparados para esse possível incidente, e aguardaram do lado de fora do edifício, mesmo assim não foram capazes de impedir a fuga de Otis. Porém, a dupla conseguiu capturar alguns ratos de Flannegan e instalaram rastreadores nos animais, soltando-os de volta no esgoto, o que levou diretamente até o vilão. Além de suas aparições na Detective Comics, Caça-Ratos tem algumas aparições em outras revistas, como Batman na década de 1990 e em Robin na mesma década. Em Infinite Crisis de 2005, Otis estava se escondendo entre os sem-teto de Gotham quando foi encontrado por um OMAC e exterminado na edição #1, encerrando esta versão do personagem.

Novo visual de Ratcatcher em Batwing #28.

Caça-Ratos volta em março de 2014, na revista Batwing #27 do reboot d’Os Novos 52. O vilão ganhou um visual com menos associação ao de um exterminador de ratos, usando um macacão impermeável e uma máscara de couro que se conecta a um vidro na cabeça, como se fosse um aquário, onde ele deixa um de seus ratos lá. Desta vez, Caça-Ratos está trabalhando junto com Menace, um ex-amigo de Luke Fox que está interessado em lucrar com drogas em Gotham. Flannegan é o responsável por sequestrar Tamara Fox e injetar drogas na garota até causar danos permanentes nela. Ele também sequestrou Tiffany Fox, irmã mais nova de Luke, e a manteve no subterrâneo de Gotham para atrair Batwing até lá. Mas a garota conseguiu ferir o controlador de ratos e escapar. Depois disso, Caça-Ratos faz algumas pequenas aparições em  Batman Eternal e Harley Quinn.

Caça-Ratos na 2ª temporada de Harley Quinn / Gangue Soothsayers da série Gotham.

O vilão também aparece fora dos quadrinhos. Na série de televisão Gotham, existe uma referência ao Caça-Ratos com a gangue Soothsayers, presentes na 5ª temporada. O visual deles é muito semelhante ao personagem de quadrinho, utilizando máscaras de gás e alguns usam luvas quase idênticas as que ele usa no visual d’Os Novos 52. A gangue também utiliza a galeria de esgoto da cidade, fazendo referência ao local em que Caça-Ratos vivia. Na série animada Harley Quinn (2019-presente), Caça-Ratos, dublado por James Adomian, aparece no sétimo episódio da 2ª temporada. Batgirl está nos esgotos tentando capturá-lo, mas o Comissário Gordon acaba estragando o ataque surpresa e o vilão consegue fugir. No jogo Batman: Dark Tomorrow (2003), o herói precisa entrar no Asilo Arkham atrás dos esgotos e acaba enfrentando o Caça-Ratos, dublado por Jonathan Roumie. Na série de jogos Batman: Arkham, o vilão aparece como referências em alguns momentos, como os equipamentos dele em alguns ambientes do jogo.

Imagens da Caça-Ratos 2 no material divulgado no DC FanDome.

Em 2021 o personagem ganhará sua primeira versão live-action, no filme ‘O Esquadrão Suicida’, porém a adaptação para as telas de cinema será com uma versão feminina, Cleo Cazo com o codinome Caça-Ratos II, e será interpretada pela atriz portuguesa Daniela Melchior. Com o material divulgado durante o evento DC FanDome em agosto de 2020, vimos um pouco do visual da personagem que parece ser bastante fiel aos quadrinhos. Em uma entrevista recente, a atriz confirmou que sua personagem é filha do Caça-Ratos, como alguns fãs suspeitavam. Além disto, o diretor James Gunn divulgou que a personagem tem um rato ajudante que usa roupas, chamado Sebastian, e ele foi interpretado por dois ratos reais chamados Jaws e Crisp Ratt.

Sebastian, o rato ajudante da Caça-Ratos 2.

‘O Esquadrão Suicida’  estreia nos cinemas no dia 5 de agosto de 2021.

Sobre Rayanne

Capixaba. 1993. Bióloga. Sarcasmo. Socialmente distante. Hera Venenosa. Torre de Babel. Me envie fanfic. Time is money, money is power, power is pizza and pizza is knowledge. Let’s go!

Últimas notícias