Superman II: Donner Cut | Quais as principais mudanças em relação ao filme que foi lançado nos cinemas?

    O artigo abaixo é adaptado e traduzido do site ScreenRant -Acesse no link-.

    Após o sucesso do filme ‘The Omen’, de 1976, o lendário diretor Richard Donner foi contratado para dirigir  Superman: O Filme e sua sequência, que seria filmada simultaneamente. No entanto, conflitos entre Donner e os produtores surgiram. Assim que as filmagens começaram, as tensões continuaram a aumentar, levando os produtores a trazer Richard Lester para “co-produzir” o filme.

    As coisas ficaram tão ruins no set que foi dito a Donner para deixar de filmar qualquer coisa para Superman II e apenas terminar o primeiro filme. Quando Superman: O Filme de 1978 provou ser um sucesso, a produção da sequência foi retomada – agora com Lester no comando. Apesar de Donner ter filmado cerca de 70% da sequência, Lester refez grande parte do filme e mudou radicalmente o tom e várias partes.

    Embora a versão de Lester do filme também tenha sido um sucesso, nos anos seguintes ao lançamento de Superman II , houve um interesse crescente em ver a versão de Donner – especialmente com a introdução dos DVD’s e a tendência de relançar filmes maiores ou com os cortes do diretor. No início dos anos 2000, uma campanha de fãs começou a pedir à Warner Bros. para restaurar a visão de Donner para Superman II  no aniversário de 25 anos da produção. Infelizmente, a Warner não foi capaz de fazer isso por vários motivos. Na época, Marlon Brando havia processado o estúdio sobre royalties, então sua imagem não poderia ser usada.

    Mas aí em 2006, as circunstâncias mudaram e o estúdio lançou o aguardado “Donner Cut” em DVD. O resultado final é que Superman II: The Richard Donner Cut ainda não é um filme acabado. Em vez disso, é um olhar interessante sobre “o que poderia ter sido”, apresentando várias diferenças importantes em relação ao filme lançado nos cinemas. Confira algumas abaixo:

    O tom do Donner Cut é ‘menos cômico’.

    Richard Donner via o Superman como uma mitologia moderna, então tanto Superman: O Filme quanto Superman II: Donner Cut refletem isso ao abordar seriamente o assunto. Embora exista algum humor na versão de Donner – particularmente com o Lex Luthor de Gene Hackman – Donner corta pontos engraçados que Lester acrescentou. Por exemplo, Non – o malvado e musculoso kryptoniano que não fala – é interpretado como um bebê crescido na versão de Richard Lester, mas na versão de Donner ele não explora suas piadas e adiciona somente o lado mais ”brutal” de suas cenas. Além disso, na grande luta em Metropolis entre o Superman e os Kryptonianos, Lester inseriu inúmeros momentos engraçadas dos civis na cidade, incluindo um cara de patins e outro cara falando em um telefone público. Donner, no entanto, se livra de quase tudo isso e joga a cena de luta de maneira muito mais direta.

    A suspeita de Clark ser o Superman levantada por Lois, ocorre desde o início na versão do Donner.

    No final de  Superman: O Filme, Lois Lane percebe brevemente a semelhança entre Clark Kent e Superman, mas descarta isso considerando uma ideia maluca. Este tópico é imediatamente continuado na versão de Donner quando, no início do filme, Lois rabisca um óculos em uma foto do Superman. Lois Lane então pula de uma janela do prédio do Planeta Diário para fazer Clark salvá-la, e ele consegue sem ser notado, brevemente a convencendo de que ele não é o Superman.

    Na versão de Lester, a primeira vez que Lois Lane suspeita que Clark é o Superman é nas Cataratas do Niágara, o que ignora o fato de que ela suspeitou no primeiro filme. Depois que Superman salva a criança, Lois se joga na água, mas Clark a salva sem ser notado. Mais tarde, no hotel, Clark joga seus óculos no fogo e os recupera sem se queimar, revelando assim que ele na verdade é o Superman.

    O Jor-El de Marlon Brando retorna no Donner Cut.

    No Donner Cut, Marlon Brando retorna como Jor-El e desempenha um papel semelhante ao que fez em Superman: O Filme, oferecendo orientação a Kal-El do além-túmulo. Na versão de Superman II do Lester, Jor-El foi substituído pela mãe do Superman, Lara, interpretada por Susannah York.

    A razão para a mudança foi que, quando Superman: O Filme provou ser um sucesso, Marlon Brando processou os produtores porque lhe deviam 11,75% de receita das bilheterias. Não querendo pagar a ele nenhuma parte do valor pela sequência, as cenas de Brando foram refeitas com a mãe do Superman. Felizmente, a Warner Bros conseguiu chegar a um acordo com a propriedade de Brando para colocar o ator de volta na versão de Donner.

    A versão de Donner explica com clareza por que o Superman desiste dos seus poderes.

    Em ambas as versões do filme, Superman desiste de seus poderes para ficar com a Lois. Na versão do Donner, Superman admite para si mesmo e para Jor-El que está sendo egoísta e que deveria ser feliz, enquanto Jor-El argumenta que não pode favorecer um ser humano em relação aos outros.

    No final das contas, o Superman decide desistir dos seus poderes porque ele não pode mais servir à humanidade de forma objetiva. Na versão de Lester, Superman fala com Lara, mas a conversa é muito mais curta e tudo o que ela diz é que se ele quer estar com uma mortal, ele deve se tornar um, e nenhuma explicação adicional é dada.

    Há mais tempo de tela do Lex Luthor no Donner Cut.

    Gene Hackman se recusou a fazer qualquer refilmagem sem o Donner, então Lester só poderia usar o que Donner já havia feito com o Lex Luthor. Por causa disso, Lester usou Lex o suficiente para contar a história e nada mais. No Donner Cut, no entanto, mais coisas engraçadas em torno de Luthor estão presentes. O resultado final é que, no Donner Cut, cada uma das cenas de Luthor tem alguns segundos a mais.

    A versão de Lester tem um confronto final na Fortaleza Da Solidão.

    Ambos os filmes têm uma grande luta em Metropolis entre Zod, seus capangas e o Superman, que termina com o Homem de Aço fugindo e os atraindo para a Fortaleza da Solidão. A partir daí, o Superman os engana para que eles próprios tirem seus poderes, revertendo os efeitos da câmara de cristal.

    A versão de Donner vai direto para isso, mas na versão do Lester, primeiro há uma cena de luta adicional na Fortaleza da Solidão. Desde então, essa batalha se tornou famosa pelos estranhos e absurdos poderes dados aos personagens. Por exemplo, os malvados kryptonianos podem repentinamente se teletransportar e disparar feixes de energia enquanto o Superman agora é capaz de criar duplicatas holográficas de si mesmo. O mais famoso desses poderes bizarros, porém, é quando o Superman tira o “S” de sua fantasia e o joga em Non como um grande cobertor.

    O beijo “mágico” do Superman.

    A versão de Lester termina com um beijo mágico que apaga a memória de Lois sobre o Superman ser Clark Kent . Embora o beijo mágico tenha recebido muitas gargalhadas dos fãs, a versão de Donner é indiscutivelmente pior…

    Assim como no final de Superman: O Filme, o Homem de Aço voa ao redor do mundo no final de Superman II para retroceder o tempo antes que Lois descubra que ele é Clark Kent. O problema é que isso não apenas repete o final do filme anterior do Superman, mas também torna o filme inteiro irrelevante, pois apaga tudo o que aconteceu. Até mesmo o Zod e seus asseclas retornam à Zona Fantasma para escapar novamente mais tarde.

    A versão de Lester é melhor construída.

    Superman  II: Donner Cut é uma visão interessante do Superman II, mas não é definida como um produto acabado. Se Richard Donner tivesse completado a  sequência do Superman em 1979, provavelmente teria sido um filme melhor do que o que Lester fez – mas o Donner Cut de 2006 é simplesmente o melhor que alguém poderia fazer 26 anos depois.

    Muitas das filmagens de Lester permanecem no filme porque eram necessárias para contar a história, então estranhas mudanças de tom ocorrem no filme. Também é um pouco chocante ver uma filmagem de teste no meio de um filme.

    Richard Donner faleceu na última segunda-feira, 5 de julho. Ele tinha 91 anos. Um fato interessante é que em 2006, Donner e o quadrinista Geoff Johns se juntaram a Adam Kubert como a nova equipe criativa da Action Comics na DC , cujo momento coincidiu com o lançamento do filme Superman II: Donner Cut.

    Artigo adaptado e traduzido do site ScreenRant -Acesse no link-.

    Willyan Bertotto
    Willyan Bertotto
    Publicitário. Diretor de Arte, Designer e Batmaníaco. Fã incondicional da DC Comics e pesquisador assíduo desse universo e todas as suas possibilidades de transformação.

    Deixe seu comentário

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    Você pode gostar

    Siga-nos

    24,169FãsCurtir
    15,600SeguidoresSeguir
    19,534SeguidoresSeguir

    Últimas Postagens