Para a atriz Diane Guerrero, assumir o papel de Crazy Jane na série “Patrulha do Destino” não é tão fácil quanto apenas interpretar uma personagem maluca de uma série baseada em quadrinhos. Jane tem 64 personalidades, resultado de um trauma devido a abusos sexuais na infância.

“É como, ‘Claro que eu estou fazendo esse papel. É porque eu sou. [louca]’ — e essa é uma palavra que eu costumava usar para definir a mim mesmo — ‘Eu sou louca'”, brincou Guerrero no episódio de quarta-feira do podcast da Variety. “Eu sei o que todas essas emoções significam e sei que essas emoções estão em um nível elevado.”

Guerrero revelou que começou a consultar um terapeuta durante as filmagens da 2ª temporada. “Eu precisava fazer terapia de qualquer maneira.”, disse ela. “E eu só tinha que voltar. A série e o papel me disseram que era hora.”

Ela explicou: “Nós absolutamente temos que reconhecer nosso passado – falar sobre isso, normalizá-lo, e usá-lo como nossa força, não como nossa fraqueza. É o que a série faz. Isso mostra que nossas fraquezas podem ser nossas maiores forças.”

E as coisas para Crazy Jane não estão ficando mais fáceis. “Meu personagem fica cada vez mais sombrio.”, disse Guerrero.

“Patrulha do Destino” é baseada na série de quadrinhos da DC de mesmo nome e segue um grupo de desajustados que ganham habilidades sobre-humanas depois de sofrer incidentes horríveis. Junto com Crazy Jane, o grupo inclui o Homem-Robô (Brendan Fraser), Homem-Negativo (Matt Bomer/Matthew Zuk) e Mulher-Elástica (April Bowlby).

A segunda temporada estreou em junho na HBO Max e DC Universe, e inclui agora na equipe a pequena Dorothy (Abigail Shapiro), filha do misterioso Dr. Niles Caulder (Timothy Dalton).

Sobre Willyan

Willyan Bertotto

Publicitário. Diretor de Arte, Designer e Batmaníaco. Fã incondicional da DC Comics e pesquisador assíduo desse universo e todas as suas possibilidades de transformação.

Últimas notícias