Recentemente, foi revelado que na prévia da edição “Generations: Forged #1”, uma equipe de heróis composta pelo Batman, Kamandi, Aço, Estelar, Sinestro, Gladiador Dourado e Dr. Luz, são jogados no tempo e no espaço para enfrentar um vilão do Superman dos anos 90, o Dominus.

O vilão que é uma deformação da realidade que apareceu em cerca de uma dúzia de edições, todas elas publicadas entre 1998 e 2000, nas quais ele desempenhou papéis-chave tanto em “O Efeito Dominus” quanto em “Superman: King of the World.” Ele era obcecado por ser uma divindade, e procurou se tornar um deus mudando o universo envolvendo o Superman e Kismet, um ser cósmico que fazia parte dos quadrinhos do Superman desde a minissérie “O Homem de Aço” dos anos 80.

Em “O Efeito Dominus”, o vilão apareceu – aparentemente do nada – e lançou o Superman para uma série de realidades alternativas na esperança de eliminar Kismet, com quem Superman tinha uma conexão pessoal vaga e não especificada na época. O que veio a seguir, quando comparada com a maioria das histórias de ação de super-heróis dos anos 90, foi um conto realmente interessante.

Ao longo da história, houve pontos da trama em que um Superman dos anos 1930 (com poderes precisos daquele período) lutou contra nazistas que ocupavam a Polônia; depois um descendente do Superman liderou uma equipe estilo Liga da Justiça no século 30; depois uma história em que suas aventuras ocorreram nos anos 60 e 70, com os artistas nos títulos pegando o estilo de Curt Swan, Murphy Anderson e outros criadores notáveis do Superman.

Tudo isso foi explicado por Dominus, um poderoso ser cósmico que estava fazendo tudo acontecer – mas quando chegou a hora de explicar o porquê de cada uma dessas histórias – familiar para os fãs, mas chocante para o próprio Superman – Kismet alegou que Dominus tinha meramente distorcido a linha do tempo atual.

Isso porque em 1998, a DC ainda estava abordando o pós-Crise nas Infinitas Terras, com regras pré-Crise Infinita. O Multiverso se foi e as linhas do tempo alternativas foram tratadas como anomalias temporais a serem eliminadas (Hora Zero) ou como impossibilidades.

Mesmo as histórias contadas para os fãs que destoavam da continuidade, foram marcadas como “Elseworlds” e explicitamente isoladas da linha dos quadrinhos mensais. Agora, temos que nos perguntar se Dominus, o chamado de mestre da realidade, pode realmente estar acessando o Multiverso. Agora que foi restaurado, Dominus está fazendo sua primeira aparição desde então, e parece mais provável que o Batman de 1939 e o Gladiador Dourado de meados dos anos 80 que aparecem recentemente nas histórias “Generations: Shattered” e “Generations: Forged”, sejam os “reais”, canônicos, do que algo que Dominus criou para mexer com o Superman.

Ironicamente, há até mesmo uma ligação com Superboy – a versão de Clark Kent, recém-revelada como parte da equipe dos heróis esquecidos de Kamandi – em “O Efeito Dominus”. Ao longo da história, Kismet se esconde à vista de todos, assumindo a aparência de uma menina. A garota aparece em todas as linhas do tempo diferentes da história, tentando dizer ao Superman para se livrar do controle de Dominus em sua mente e lutar para voltar à linha do tempo verdadeira.

No final, para preservar sua existência e manter o poder de Dominus, Kismet é jogada no tempo pelo personagem Tempus e suas energias são dadas a uma menina em Smallville, cujo destino era morrer em um acidente no playground. Em vez disso, Tempus move um jovem para o lugar dela, Clark Kent, para ser um herói pela primeira vez ainda jovem, pegando a garota e a impedindo de morrer. Isso foi em uma linha do tempo em que Clark não obteve seus poderes até o final da adolescência, mas apresentou a ideia de um jovem Clark se tornar um herói, algo que um retorno às histórias de Clark como Superboy mostram.

Mais um detalhe que vale a pena notar: Dan Jurgens escreveu histórias como “Dr. Destiny” e “Materioptikon”, ou ainda “Dreamstone”, que havia uma joia vermelha com o poder de remodelar a realidade. Uma dessas histórias – “Destiny’s Hand”, é um destaque particular da run de Jurgens em “Liga da Justiça da América”. Uma joia semelhante está na luva usada por Dominus, e pode ser uma coincidência, mas o que é interessante perceber é que quando Kamandi aparece para encontrar o Batman da Era de Ouro em “Detective Comics # 1027”, ele foi capaz de se mover no tempo e espaço com a ajuda de – você adivinhou! – uma manopla que ele usava presa ao braço. E embora não se pareça muito com a de Dominus, tem uma gema vermelha no topo da mão.

“Generations: Forged #1” será lançada nos EUA no dia 23 de fevereiro.

Artigo adaptado: [ComicBook]

Sobre Willyan

Willyan Bertotto

Publicitário. Diretor de Arte, Designer e Batmaníaco. Fã incondicional da DC Comics e pesquisador assíduo desse universo e todas as suas possibilidades de transformação.

Últimas notícias