Um personagem não tão popular e extremamente enigmático, sua origem é um mistério ou simplesmente ignorada. Nesse especial sobre a Liga da Justiça Sombria ele está em pauta e vamos destrinchar a história desse personagem. 

Como o próprio nome sugere, seu início nos quadrinhos o mostrava como um personagem soturno criado por John Broome e Camine Infantino, em 1952. No início o Vingador Fantasma não demonstrava ter poderes, além de aparecer quando necessário e desaparecer misteriosamente. Suas histórias o mostravam como um homem perspicaz desvendando supostos eventos sobrenaturais que não passavam de ações criminosas, em uma série de seis edições com pouca evidência do que o personagem era capaz. Anos depois, isso muda quando o Vingador Fantasma aparece em “Showcase #80’’ (1969), onde ele se encontra o “Dr. Treze” o famoso Ghostbreaker. A volta do personagem pelos traços de Neal Adams, resultou em uma nova série que desenvolve o gênero de terror e aquele que até então parecia um homem comum agora recebe o aspecto uma entidade mística. Súbito como uma espada vingadora feita de relâmpagos dividindo os céus em pranto. 

A arte de Neal Adams garantiu o necessário para tornar o personagem uma referência em mistério e magia. Mesmo mantendo o sobretudo, terno, gravata e chapéu, os cabelos e olhos brancos e enigmáticos na escuridão deram a atmosfera que precisava. E futuras mudanças do guarda roupa como a capa, gola alta e o medalhão dourado foram se ajeitando como peças em um quebra-cabeças de personagens de mistério. 

Inimigos, Aliados e Cassandra Craft

Como um agente do sobrenatural, as histórias mantinham sua origem em segredo enquanto traziam poderosos vilões ao seu encalço, tais como a feiticeira Tala, o alquimista Tannarak, e a organização criminosa mística; o Círculo Negro. E por vezes chegaram perto de dar fim a humanidade mas foram impedidos pelo Vingador Fantasma e Cia. Tais como  “Dr. Treze” que comumente dividia publicações das brochurinhas e aparecia como um cético das capacidades do Vingador Fantasma.

Provavelmente o mais problemático dos aliados é Cassandra Craft. Cega e com poderes sensitivos, apareceu como um potencial par romântico e igualmente um alvo. Comumente é sequestrada e usada como isca para atrair o Vingador Fantasma. Em seu primeiro arco ela é alvo nada menos que três vezes. Sofrendo lavagem cerebral pelo Círculo Negro, seguido de um ataque por uma sanguessuga psíquica e usada como portal para deuses inferiores adentrarem na realidade.  

Com a evolução das eras dos quadrinhos, começou a ter papéis mais atuantes nas histórias, se torna comerciante (e por vezes falsificadora) de itens mágicos. Em “Superman #344 – Os Monstros entre Nós!”, Cassandra é chamada para guiar uma sessão espiritual que acaba liberando  Drácula e o Monstro de Frankenstein de sua prisão dimensional. Eles tentam sequestrar e matar Cassandra para que não sejam aprisionados novamente, mas são detidos por Superman que é ajudado pelo Vingador Fantasma. 

A poderosa feiticeira demoníaca Tala também teve sua vez de usar Cassandra como joguete, aliada a Tannarak, sequestraram Cassandra e a prenderam em uma dimensão alternativa, Tala se personifica e toma seu lugar para forçar o Vingador a participar de um ritual de invocação dos Senhores do Caos.

Cassandra é a personagem que parece estar presa em um purgatório eterno da mocinha em perigo, regada de demônios e homines magi. Em “Trinity of Sin: The Vingador Fantasma – The Crack in Creation” é possuída pelos feitiços e encantamentos dos livros em sua loja, quando finalmente é  salva por um beijo do Vingador, que absorve os feitiços em seu próprio corpo. Um salvamento clássico de romances para o ponto fraco do herói.

Origens 

Para um personagem de quadrinhos com quase 70 anos, o Vingador Fantasma coleciona algumas origens peculiares. 

Em janeiro de 1987 a DC Comics lançou a 10ª edição de “Secret Origins”, nela, o Vingador Fantasma estava em foco e nada menos que quatro origens foram reveladas sobre o personagem. Cada história foi elaborada por nomes de peso dos quadrinhos, Mike Barr e Jim Aparo, Paul Levitz e José Luis Garcia López,  Dan Mishkin e Ernie Colon , Alan Moore e Joe Orlando, praticamente o Dream Team dos quadrinhos. 

Barr e Aparo contam a história de um homem chamado Isaac que estava em Belém com sua esposa e filho na hora errada. Quando o Rei Herodes soube que havia nascido aquele que seria o Rei dos Judeus ele ordena o massacre de inocentes. Grávidas e crianças mortas, entre elas a esposa e filho de Isaac. Com raiva, Isaac passa 30 anos guardando um ódio mortal. Durante a Paixão de Cristo, suborna um guarda para deixá-lo tomar seu lugar e participar da flagelação de Jesus, que o condena a “ficar neste mundo – até eu voltar”. Séculos após a crucificação, Isaac se arrepende e decide passar sua vida ajudando a humanidade, até que nos dias atuais (no final dos anos 80, lançamento da edição), recusa a oferta de Deus para libertá-lo de sua penitência.

Levitz e Garcia López descrevem o Vingador Fantasma como o homem que nos tempos bíblicos foi poupado da ira de Deus sobre a cidade do pecado por um anjo. Questionando as ações de Deus, ele comete suicídio. Mas o anjo proíbe seu espírito de entrar na vida após a morte, reanimando seu corpo e o condenando a andar pelo mundo para sempre como parte da humanidade, mesmo que para sempre separado dela. O anjo também apaga todas as memórias do homem, que entende sua carga divina é desviar a humanidade do mal, uma alma de cada vez. Em algumas versões desta história sugerem que o anjo foi a encarnação do Espectro daquele período. 

Talvez a mais diferente das origens, foi a criada por Dan Mishkin e Ernie Colon. Perto do fim do universo, o Vingador Fantasma se aproxima de um grupo de cientistas que estão tentando transferir energia do Big Bang para prolongar a vida do universo. O Vingador percebe que um dos cientistas é, na realidade, um Avatar da Anti-Vida, e que seus esforços impedirão a existência do universo. O Vingador passa uma parte de si para um cientista, que mergulha através do portal para o Big Bang, intercepta o raio que teria drenado o Big Bang e se torna o Vingador Fantasma, criando o looping infinito de vida e morte.

Para Moore e Orlando, o Vingador Fantasma era um anjo caído que não escolheu lado na rebelião com Lucifer, nem Céu nem do Inferno, portanto, foi condenado a andar na Terra sozinho pela eternidade. Essa origem é citada na minissérie de quadrinhos “A Brigada dos Encapotados”, Mister Io fala que “Eu não sei a história dele. E sei que ninguém sabe, embora eu já tenha ouvido muitas conjecturas: Ele é o Judeu Errante, ou um anjo que não caiu  do céu com Lucifer, mas também não quis lutar ao lado de Miguel pelas forças da luz, ou… bem, há muitas outras hipóteses. Alguns dizem que ele jurou manter a ordem… ou o caos… ou o equilíbrio, mas tudo isso são especulações. Eu não sei o que ele é, e talvez ele já tenha vagado tanto pelo universo para esquecer quem é que nem ele mesmo se lembra mais.”. Já em “Vertigo Visions: Vingador Fantasma #1”  (1993) é afirmado que ele é um anjo caído e se relacionou com uma mulher chamada Naomi, gerando um filho, o demônio Asmodeus. 

Em “Hipertempo”, série de quadrinhos de nome original “The Kingdom”, continuação de “Reino do Amanhã”,  é sugerido que o filho do Superman e Mulher-Maravilha, Jonathan Kent, ao crescer se tornaria o Vingador Fantasma.

Em “Os Novos 52”  o Vingador Fantasma é Judas Iscariotes. Sua história o mostra sendo julgado pelo Círculo da Eternidade e condenado a andar na Terra para sempre como um agente de Deus. Em seu pescoço carrega um colar feito das 30 moedas de prata que ele recebeu por trair Jesus. As moedas caem e evaporam conforme completa “missões” a caminho da redenção. No julgamento, o Vingador Fantasma está acompanhado de mais duas pessoas, Pandora e mais um homem, que se tornaria o Questão. Os três cometeram os maiores crimes da humanidade e a condenação os uniu, formando a equipe Trindade do Pecado.

Seria um Deus ex-machina o Vingador?

Um ser de poder difícil de mensurar, devido a inconsistência de origem e o alcance de seu poder muda conforme a narrativa.

Imortalidade é uma constante em suas histórias, assim como sua habilidade de aparecer e desaparecer misteriosamente. Ele se transporta por enormes distâncias, bem como viagens no tempo como por dimensões místicas, entre elas, céu e inferno, porém, é proibido entrar diretamente no céu.

O Vingador Fantasma possui uma misteriosa onisciência, como se tivesse a visão de todo o universo em mínimos detalhes que o permite prestar auxílio em diversos momentos e poder declarar que “nada permanece oculto para ele”.

Entre os poderes mais ofensivos está a capacidade de disparar raios de energia de grande força e conjurações, mas suas habilidades mágicas são poderosas o suficiente para dissipar a magia, revelar ilusões, poderosos escudos de proteção e até sobreviver no espaço sem qualquer tipo de suporte.

Mesmo com tanto poder e conhecimento sua política o impede de ser um deus ex-machina, ele afirma que não está autorizado a encerrar uma crise diretamente, toma uma posição de observador e por vezes aparece para orientar os outros. Em “DC: Uma Nova Fronteira” convida diversos heróis mágicos para um banquete na Lua, onde ele os orienta a não interferirem na batalha dos novos heróis com O Centro.

Liga da Justiça Sombria

A entrada do Vingador Fantasma na Liga Sombria foi turbulenta, ainda em “Os Novos 52” John Constantine tenta convencer o Vingador a se juntar à Liga da Justiça Sombria, ele rejeita a oferta, mas Constantine é persuasivo e reforça que mais cedo ou mais tarde o Vingador Fantasma fará parte da equipe. E o destino se encarrega disso, a Lança do Destino para ser mais preciso. Questão manipula o Doutor Treze para empalar o Vingador Fantasma com a Lança do Destino. Ele é deixado na porta da Casa do Mistério, e a Liga da Justiça Sombria o socorre, no momento em que recobra a consciência afirma que está em dívida e pede à Liga da Justiça Sombria para ajudá-lo a entrar no Inferno para salvar sua família. Porém adentrando ao inferno ele nunca poderá entrar no Céu novamente, e se tentar que se ele tentar,  será apagado do tempo e da história para sempre. 

Liga da Justiça 

Conhecido como um assistente mágico em momentos propícios, é difícil dizer  que tipo de membro da Liga da Justiça o Vingador Fantasma é. No crossover entre Marvel e DC Comics, Superman declara o Vingador como membro da Liga, porém ele sai antes de aceitar.

Em outros momentos afirmou seu status de membro, quando contestaram sua opinião, durante a votação da re-admissão da Liga da Mulher-Maravilha em ‘Mulher-Maravilha #222’ (1976) e durante o crossover com a Marvel. 

 Na revista “Back Issue!” de agosto de 2012, Len Wein comentou sobre o status de membro do Vingador Fantasma com a JLA, afirmando que o personagem “apenas meio que ingressou. Ele foi oferecido como membro, mas desapareceu, como sempre, sem realmente aceitar a oferta. Ao longo dos anos, outros escritores apenas assumiram que [ele] era um membro, mas no meu mundo, ele nunca disse realmente que sim. ” 

Livros da Magia e a Brigada dos Encapotados

Na série de quadrinhos de Neil Gaiman publicada entre 1990 e 1991, Livros da Magia, tivemos a primeira aparição da Brigada dos Encapotados. Quatro grandes magos, Vingador Fantasma, John Constantine, Doutor Oculto e Mister Io, unidos para proteger e orientar aquele que será o futuro Mago Supremo da Terra, o jovem e inexperiente Tim Hunter. 

O Vingador Fantasma é um dos primeiros a se pronunciar, influencia a equipe a ter uma atitude ponderada para ajudar Tim a conhecer o mundo mágico e tomar boas decisões. É ele quem inicia a jornada de Tim mostrando a magia através das eras desde a queda a terça parte dos anjos e o apresentando a grandes magos como Merlin, Zatara e Kent Nelson, o detentor do elmo do Senhor Destino. 

A Brigada dos Encapotados ganhou uma minissérie própria. Com roteiro de John Ney Rieber e arte de John Ridgway. Os quatro magos se unem novamente para impedir um futuro desastroso causado por um ancestral de John Constantine. Nas notas do fim de edição são chamados “Os Quatro Cavaleiros do Antiapocalipse”. Os personagens são bem explorados e comentam sobre a origem do Vingador, que Constantine afirma que “Se esse cara é humano eu sou uma torradeira”.

O Fantasma na TV

Com algumas aparições em animações, como Batman: Bravos e Destemidos no episódio “Justiça Contra Vingança!”, onde ele e o Espectro observam e apostam em qual será o caminho que Batman escolherá ao encontrar com o assassino de seus pais. Em 2020, o Vingador Fantasma ganhou sua própria animação lançada juntamente com a animação “Superman: Red Son”. A Warner Bros. Animation lançou um curta da linha DC Showcase sobre o Vingador Fantasma “DC Showcase: The Vingador Fantasma”. No curta animado com direção e produção de Bruce Timm, O Vingador em toda sua essência aparece misteriosamente para intervir em em um possível futuro trágico que aguarda a jovem Jess. A história se passa no auge dos anos 70 e possui toda a atmosfera psicodélica e pós caso Tate-LaBianca.

Em Monstro do Pântano (2019), série exibida no Brasil pela HBO; O ator Macon Blair vive o personagem, fazendo sua primeira aparição no episódio “Drive All Night”. Ele surge para o Monstro do Pântano e diz a ele que as visões que ele teve de fato são eventos testemunhados pelas árvores no passado, introduzindo o conceito de “Comunhão com o Verde”. 

Seja ele Judas, anjo, ou um looping de vida e morte, o Vingador Fantasma é um dos personagens que possui uma quantidade grande de ligações invejáveis no Universo DC. Por vezes, considerado invencível esse herói paladino segue criando vínculos e direcionando a humanidade pelo caminho, seja ele qual for, pois ele já esteve lá.

Sobre Rebeca

Rebeca Vilas Boas

Uma deusa, uma louca, uma feiticeira.

Últimas notícias