Não é nenhuma surpresa que nem todos os super-heróis criados na Era de Ouro sobreviveriam até os dias atuais, levando a descontinuação nas histórias em quadrinhos. Criado por Will Eisner e desenhado por Lou Fine, The Ray foi um dos heróis de maior destaque da editora Quality Comics, chamando a atenção por seu visual e seus poderes. Apesar dos longos períodos fora das publicações, Ray é um super-herói que merece comemorar seus 80 anos de criação.  

The Ray em Smash Comics (1940) #14

A primeira aparição de Ray foi na edição nº14 da série de quadrinhos Smash Comics, publicada entre 1939 a 1949. Antes de se tornar um super-herói, Happy Terrill era um jovem e empolgado repórter. Para conseguir um lugar no “estrato-balão”, e cobrir o lançamento da expedição do Professor Styne até a estratosfera em 1940, Happy se inscreveu como membro da equipe mesmo sabendo dos riscos que o balão poderia oferecer. Já na estratosfera, o balão aparentava ter um pequeno problema com as saídas externas de ar enquanto uma tempestade cósmica se aproximava. Happy decidiu sair do balão para tentar desobstruir a passagem de ar e, com a tragédia anunciada, o jovem repórter foi atingido pela tempestade cósmica se perdendo no espaço. Meio familiar essa história, não? Ainda no espaço, longe dos olhares da equipe, Happy Terrill é envolvido por uma poderosa luz e seu corpo começa a se encolher dando lugar a uma nova forma, o Ray!

Ray lutando contra Red Tornado em DCs Legends of Tomorrow 3×08.

Ray é capaz de absorver energia de fontes externas. Ou seja, para ter seus poderes ele precisa recarregar sua energia com o sol. Ele consegue controlar a energia, modulando sua intensidade. Pode transformar a energia em luz ou em rajadas destrutivas de longo alcance. Consegue transformar seu corpo em energia imaterial, ou solidificá-lo, tornando-se invulnerável a impactos, porém isto exige muita concentração. Além disto, quando carregado, pode voar na velocidade da luz. Em algumas edições da Smash Comics ele também conseguia atrair objetos, e até mesmo pessoas, com o poder do magnetismo. Mesmo com todos estes atributos, ele prefere entrar em lutas sem utilizar seus poderes.

Ray em Freedom Fighters vol. 1 #2

Mas como Ray saiu da Quality e foi parar na DC? A editora americana Quality Comics funcionou entre 1937 a 1956, influenciando a Era de Ouro dos quadrinhos. Entre os personagens que apareceram na editora temos o Homem-Borracha (Police Comics #1), Blackhawk (Military Comics #1), Uncle Sam (National Comics #1) e, uma das primeiras heroínas, a Lady Fantasma (Police Comics #1). A ascensão dos livros de ficção e a televisão fizeram com que a indústria de quadrinhos perdesse público, levando ao fechamento da Quality Comics em dezembro de 1956. A editora National Periodical Publications (mais tarde DC Comics) comprou os direitos de publicação pertencentes a Quality e continuou apenas com quatro histórias: G.I. Combat, Robin Hood Tales, Heart Throbs e Blackhawk.

Senhor Destino e Ray se enfrentando em Liga da Justiça da América #108

Somente em 1973 o personagem apareceu nas publicações da DC Comics, nas edições nº 107 e 108 de Liga da Justiça da América. Mas ele não voltou sozinho! Estas edições também trouxeram outros heróis da Quality, todos integrantes do grupo Combatentes da Liberdade. Sua origem dentro da DC continuou quase a mesma, adicionando alguns detalhes mais profundos para a história. Na edição nº 5 de The Ray vol.1, Langford “Happy” Terrill – sim, ele ganhou um primeiro nome na DC – continua sendo um espirituoso repórter em 1940. Ele foi convidado pelo Doutor Dayzl para testemunhar as possíveis descobertas na expedição de balão pela atmosfera. Mesmo com algumas modificações, sua origem continua parecida com a vista na Quality Comics. Ele até se ofereceu para ajudar a consertar o balão durante a tempestade cósmica e o resto é história.

Ray utilizando seus poderes em Combatentes da Liberdade vol. 1

As coisas começam a divergir quando os arquivos secretos do Dr. Dayzl são liberados ao público após sua suposta morte na década de 1950. Ao ler os arquivos, Langford Terrill descobre ter sido uma cobaia para os experimentos de Dayzl. A tempestade cósmica na verdade era uma onda de radiação produzida por Dayzl para alterar o DNA de Terrill.  O Dr. Dayzl acreditava que existia um Entidade de Luz, tão velho quanto a Terra, um ser consciente que teria a intenção de ocupar o espaço do nosso planeta. Causando a destruição do planeta, óbvio. Se a entidade era consciente significaria que ela poderia conversar, porém somente outro ser nascido da Luz poderia cumprir esta tarefa e tentar convencer a Entidade a não destruir o planeta. E assim, com o plano de um “cientista maluco”, criaram a origem de Ray para a DC Comics. Na 5ª edição de Uncle Sam & The Freedom Fighters vol. 2, Uncle Sam pede para Langford ajudar a equipe de heróis que estava em apuros, incluindo seu filho Raymond. Os eventos ocorridos nesta edição, no ano de 2008, fizeram com que Langford “Happy” Terrill deixasse de ser o Ray e se tornasse o Neon.

Langford Terrill como Neon e Raymond Terrill como Ray II em Freedom Fighters vol. 2

Mas não se desespere! Ray ainda continua ativo na DC. O segundo Ray é Raymond C. Terrill, criado por Christopher Priest, Jack C. Harris e Joe Quesada, e teve sua primeira aparição na série de quadrinhos The Ray de 1992. Sua história começa em 1946, quando Langford e sua esposa têm um filho, Joshua. Ele herdou os poderes do pai e por um tempo foi seu sidekick, o Spitfire. Infelizmente, Joshua tinha alguns problemas emocionais e em um ataque de fúria acabou matando sua própria mãe. Depois disso, Ray decidiu deixar Joshua em um sono criogênico para não fazer mal a mais ninguém.  Anos mais tarde, Langford se casou com Nadine e tiveram um filho, Raymond. Temendo que o mesmo destino terrível acontecesse com seu novo filho, Langford o entregou para seu irmão, Thomas Terrill, para não saber que era filho de um super-herói e não precisar usar os poderes que herdou do pai.

Raymond C. Terrill descobrindo seus poderes (esquerda); Ray II em seu uniforme (direita)

Raymond cresceu longe do sol, pensando que tinha uma condição de hipersensibilidade a luz solar que poderia matá-lo. Tudo isto para evitar que seus poderes fossem ativados e ele não se tornasse um super-herói. Somente aos 18 anos, com a confissão de seu “pai” Thomas em seu leito de morte, que Raymond ficou sabendo de sua verdadeira história. Acompanhado de seu primo Hank, Raymond ativa seus poderes, porém não deseja ser um super-herói. Sua vontade não dá muito certo, pois seu verdadeiro pai, o Ray, aparece e pede por sua ajuda para conseguir conversar com a Entidade de Luz para impedir que a Terra fosse destruída. A partir disto, Raymond assume seu papel como super-herói se tornando o novo Ray, até mesmo chega a fazer parte de grupos como os Combatentes da Liberdade e a Liga da Justiça.

Outros Rays: Lucien Gates (esq.) em The Ray vol. 3 e Stan Silver (dir.) em Brave New World

Com o relançamento de toda linha editorial (Os Novos 52) da DC Comics em 2011, um novo Ray foi criado por Justin Gray, Jimmy Palmiotti e Jamal Igle. A nova série de quadrinhos do super-herói foi lançada em fevereiro de 2012, a The Ray vol. 3, com quatro edições. Neste novo volume, Ray não é mais um membro da família Terrill, agora ele é Lucien Gates, um americano com ancestrais coreanos. Lucien ganhou seus poderes ao ser atingido por uma “arma solar” criada pelo Governo norte-americano. Para controlar seus poderes, ele precisou aprender ioga e meditação com seus pais hippies. Mas ele não foi o primeiro Ray “não-Terrill” existente. Em Brave New World (2008), Stan Silver, um correspondente estrangeiro para o Washington Sun, também foi exposto a radiação atmosférica ao tentar fazer uma matéria sobre um cometa. Com poderes similares ao de Ray, acabou recebendo o mesmo nome de super-herói. Se tornou membro da organização S.H.A.D.E. e acabou entrando em confronto com o verdadeiro Ray (Terrill), depois disso não voltou a aparecer nos quadrinhos.

Imagem promocional da animação Combatentes da Liberade: The Ray

Em outras mídias, o Ray Terrill marca presença em animações como Liga da Justiça Sem Limites (2005), mas sua participação não tem falas. Em 2008, Langford Terrill aparece em Batman: Bravos e Destemidos, dublado por Tom Kenny (o Bob Esponja!). Em DC Superhero Girls (2015), Ray é um estudante de plano de fundo. Durante o crossover Crisis on Earth-X (2015) do Arrowverso, Raymond “Ray” Terrill tem sua primeira aparição em live-action, interpretado por Russell Tovey. O personagem aparece nos episódios de The Flash e DC’s Legends of Tomorrow, ele se junta ao grupo de rebeldes da Terra-X, os Combatentes da Liberdade, e é casado com Leonard Snart (O Capitão Frio). Ainda em 2017, um mês após a aparição de Ray nas séries da The CW, foi lançada a animação Combatentes da Liberdade: The Ray na plataforma de streaming CW Seed.

Russell Tovey como Ray Terrill no crossover Crisis on Earth-X da CW

Se você se interessou pelo personagem, aqui vai uma lista dos principais quadrinhos que Ray (todas as versões) aparecem:

Smash Comics #14-40 (1940)
Justice League of America #107-108 (1973)
The Ray vol. 1 #1-6 (1992)
The Ray vol. 2 #1-28 (1994)
The Ray vol. 3 #1-4 (2012)
Uncle Sam & the Freedom Fighters vol. 1 #1-8 (2006)
Uncle Sam & the Freedom Fighters vol. 2 #1-8 (2007)
Freedom Fighters vol.1 #1-15 (1976)
Freedom Fighters vol. 2 #1-9 (2010)
Crisis on Infinite Earths #5-7, 10, 12 (1985)
Young Justice #41-55 (1998)
Justice League America #79-91 (1989)
Justice League Task Force #0, 17-31 (1993).

Sobre Rayanne

Rayanne Matos

Capixaba. 1993. Bióloga. Sarcasmo. Socialmente distante. Hera Venenosa. Torre de Babel. Me envie fanfic. Time is money, money is power, power is pizza and pizza is knowledge. Let’s go!

Últimas notícias