Batman | HELL YEAH – A balada do Homem Pipa!

O universo entorno dos personagens que formam a Trindade é muito rico. De Amazonas a Kryptonianos passando pela cidade que o crime nunca descansa, os heróis batalham contra uma infinidade de inimigos que crescem a cada nova aventura ou ameaça que surge ao horizonte.

Em um universo particular, mais precisamente no do Batman, a diversidade entre os vilões é rica, apresentando personagens como um homem vestido de mariposa, grandes chefes do crime organizado, psicopatas, assassinos e até sociedades secretas muito antigas como no caso da Corte das Corujas. Esses são desafios que o Cruzado Encapuzado encontrou nos seus 81 anos de existência e, no meio de tantos, está o Homem Pipa, um vilão peculiar mas que recentemente ganhou uma nova versão de si mesmo.

A sua primeira aparição foi em Batman #133, lançada em agosto de 1960 apresentado por Bill Finger e Dick Sprang causando um caos por onde passava, cometendo crimes e utilizando diversos tipos de pipas e outros apetrechos como bombas. Agindo desse forma, ele foi capaz até de libertar outros colegas criminosos. Inclusive, a batalha final com o Cavaleiro das Trevas aconteceu em cima de uma pipa gigante, sendo apenas uma edição divertida da mensal do protetor da cidade de Gotham.

Dez anos depois o Homem Pipa retornaria na edição #315 em uma nova onda de assaltos por meio de pipas engenhosamente fabricadas, porém, o Homem Morcego mostra sua criatividade e derrota o vilão voador com uma Bat-Pipa, colocando-o novamente atrás das grades e o tirando de circulação por mais algumas décadas. Apesar de não ser um vilão do primeiro escalão, era sempre lembrado como um alívio cômico por sua engenhosidade no desenvolvimento de pipas para realizar suas maldades.

Ainda houveram breves aparições do vilão como em Crise Infinita, em que foi jogado do topo da Torre Wayne sem a sua pipa pelo Exterminador, ao se negar em participar da sociedade de super-vilões. Ainda sim, o Homem Pipa consegue sobreviver apenas por tempo suficiente de ser uma das vítimas do chefe da Intergang Bruno Mannheim, no arco 52. Desse momento até o rebirth da editora, nunca mais ouvimos falar do personagem.

Em sua outras aparições, já se sabia alguns detalhes do vilão como a sua identidade civil cuja o nome é Charles Brown, uma possível homenagem ao personagem de Peanuts , e que era fascinado por pipas. Ao longo de suas breves aparições, alguns detalhes do personagem foram melhorados, como a utilização de um visor em seu capacete, mas sempre mantendo seu uniforme nas cores verde e amarela.

Ok, mas por que motivos escrever uma matéria sobre um vilão da prateleira bem debaixo da galeria de vilões do Batman? Porque Inferno, sim.

Durante o lançamento das revistas do arco Renascimento que iniciou em 2016, Tom King retorna o vilão as histórias do Batman com o mesmo tom de alívio cômico que era utilizado anteriormente. O escritor tem uma característica peculiar de relembrar personagens esquecidos pelos leitores ou não utilizados há muito tempo, como Silver Saint Cloud em Batman vs Hortelino no crossover entre DC e Looney Tunes, e assim o Homem Pipa retornou ao universo do Batman como uma risada entre as histórias mais sérias do roteirista até A Guerra de Piadas e Charadas que iniciou-se na edição #26 até #32.

Neste arco, narrando uma guerra entre Coringa e Charada que colocou toda a cidade de Gotham em um estado de calamidade, Charles Brown é apenas um personagem do final da prateleira de vilões que acaba sendo levado para o epicentro deste furacão. Em duas edições, especificamente nos números #28 e #30, King conta uma nova origem do personagem que consegue ser cativante o suficiente para torna-lo atraente para os leitores.

Particularmente, eu considero o arco um dos melhores momentos do roteirista na mensal do Cavaleiro das Trevas e muito se deve a este cuidado em colocar um vilão que é tratado praticamente como um capanga tanto pelo Coringa quanto pelo Charada, dando uma origem tão profunda ao personagem que é impossível não conectar-se a ele. Muito da origem do Homem Pipa se passa pela a relação com seu filho, ambos tem o mesmo nome, sua brincadeira preferida de soltar pipas e a tragédia do envenenamento de uma linha por ordem do Charada, levou a trágica morte de seu filho.

Em todo o arco ele é visto como uma peça sem muito valor no grande tabuleiro da guerra, até mesmo Charles se enxerga desta forma, mas ainda sim, dentro das suas limitações, ele decide que quer ir além e, mesmo como um peão neste jogo de peças tão importantes, irá fazer o que puder para derrubar o rei.

Inspirado a homenagear seu filho e se vingar do vilão que o matou, Charles desenvolve uma pipa gigante e um traje, assim se denominando o Homem Pipa. A frase “Hell Yeah” (Inferno, Sim ou Isso aí em tradução livre) que o personagem sempre fala após dizer seu nome, também é relacionada as suas tardes soltando pipas com seu filho e a fala que ele sempre dizia quando concordava com alguma afirmação. Talvez se tornar o Homem Pipa foi uma forma de Charles elaborar o luto de alguém que ele ama e fazer algo a respeito, coincidentemente semelhante ao que Bruce Wayne fez ao se tornar adulto e lutar contra o crime em Gotham.

O vilão se torna peça chave no plano que derrota o Charada, mostrando assim seu primeiro momento de triunfo em sua história nos quadrinhos e ganhando um espaço especial nos corações dos fãs, inclusive até ganhando participações na animação de uma personagem muito querida que ganhou sua própria série animada, a Arlequina.

Na animação ele tem participações constantes, sempre sendo um alívio cômico não fugindo tanto de sua função nos quadrinhos, porém, também é contado um passado triste a respeito de sua origem mas não com a mesma densidade vista nos quadrinhos. Nos episódios mais recente ele estaria em um relacionamento com a Hera Venenosa formando assim um triângulo amoroso entre Pamela Isley, Charles e a própria Arlequina, protagonista da animação.

Pensando em toda a sua nova origem e o respeito que o personagem vem ganhando, espero que futuramente possamos ver uma aparição do Homem Pipa em live action, seja em um seriado do Arrowverso, DC Universe ou na HBO Max, sendo possível pensar nele como um personagem que faça parte de uma formação do Esquadrão Suicida, nem que seja para ser apenas um alivio cômico, contanto que ele seja retratado da mesma forma carismática que foi apresentada recentemente nos quadrinhos.

HELL YEAH!

Avatar

Ricardo dos Santos

Fã de quadrinhos, séries, filmes e games. Apaixonado por DC de Grant Morrison a Alan Moore. Mais um privilegiado de estar na amada Terraverso.

Um comentário em “Batman | HELL YEAH – A balada do Homem Pipa!

  • Avatar
    27 de maio de 2020 em 16:43
    Permalink

    Muito bom o artigo, curto muito o personagem, também espero ver uma versão dele em live-action!

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *