No ano de 2017, a DC anunciou uma série de crossovers entre personagens dos Looney Tunes, desenhos animados criados pela Warner Bros Animation e ícones famosos da editora.

Uma dos cruzamentos anunciados foi Batman – Elmer Fudd Special#1 sendo escrito por Tom King (que possui trabalhos muito elogiados com a mensal do Homem Morcego),  arte de Lee Weeks, desenhista da série Lois e Clark, que também desenha a capa da edição com a colaboração de Bob Fingerman.

Apostando em um clima como os clássicos de romance policial, o leitor acompanha a jornada de Elmer Fudd (em nossa tradução. o clássico Hortelino Troca Letras) personagem muito marcante na infância de muitas pessoas por suas trapalhadas em caçar o coelho Pernalonga.

Nesta edição especial vemos o personagem ser utilizado em uma perspectiva muito mais séria, não apenas ele como todos os personagens do universo dos Looney Tunes, inclusive uma brincadeira bem interessante de tentar identificar suas versões humanas nos traços de Lee Weeks, enriquecendo ainda mais a narrativa elaborada e surgindo assim uma ótima combinação entre arte e roteiro.

A história segue a perspectiva de Elmer em busca de vingança após o assassinato de sua amada Silver St. Cloud, personagem importante na trajetória do vigilante de Gotham quando surgiu nos anos 70, em Detective Comics #470, morta por  um homem conhecido como “o coelho” a mando de Bruce Wayne, abrindo uma temporada de caça ao bilionário e entrando rota de colisão com nada menos que o Cavaleiro das Trevas.

Um dos pontos que mais chamam a atenção em toda a narrativa é a forma como o saudosismo para os fãs mais antigos é tratado, com sutis referências ao mundo dos Looney Tunes e também em relação a toda a história do universo Batman nos quadrinhos. Piadas e frases icônicas de diversos personagens do desenho animado da Warner Bros. inclusive a narrativa do personagem central com um vocabulário recheado de palavras trocadas, assim como a sua fala nos cartoons, torna mais suave a progressão dos fatos, mas sem deixar a seriedade de lado.

Outro destaque desta edição especial é um combate entre o cruzado encapuzado e o caçador, que na mente de qualquer fã de quadrinhos seria improvável, mas aos olhos de King e Weeks se tornou algo completamente possível, muito bem trabalhado e nada surreal, trazendo ao leitor a sensação de que esta versão do Hortelino é capaz de encarar um homem tão durão como o Batman, sendo assim um adversário digno de respeito.

Os traços de Weeks criam um clima obscuro típico dos quadrinhos do vigilante de Gotham, nenhuma das caraterísticas clássicas das mensais do Batman é desrespeitada nesta edição e temos um clima totalmente dentro do que já vimos em toda história do Homem Morcego, a  humanização dos personagens dos Looney Tunes, que são variadas criaturas desde coelhos a marcianos, é realizada de forma bem elaborada e as características físicas marcantes de diversos personagens é mantida, e o melhor de cada um destes mundo é bem aproveitado pelo trabalho do desenhista.

Um ponto negativo é uma segunda história que segue junto com a de King, porém aos moldes de uma história dos Looney Tunes, mais engraçada porém não tão empolgante como a narrativa principal da edição especial.

Batman Elmer Fudd é uma história que chama atenção pelo saudosismo, as cenas engraçadas mas sem deixar de ser uma história séria e com tom sombrio característico das histórias do Batman, sendo assim uma excelente pedida para os fãs de crossovers de mundos tão diferentes.

Sobre Ricardo

Avatar

Fã de quadrinhos, séries, filmes e games. Apaixonado por DC de Grant Morrison a Alan Moore. Mais um privilegiado de estar na amada Terraverso.

Últimas notícias