Future State: Superman | Escritor comenta que o Homem de Aço “nos mostra quem devemos ser”

    Em janeiro, a DC viajará para o futuro em um evento de dois meses que mostrará aos leitores um vislumbre do Universo DC nesse período. Future State sairá de quase toda a continuidade da editora das séries contínuas do cronograma atual durante os meses de janeiro e fevereiro, dando lugar a antologias, séries curtas e especiais.

    O escritor Phillip Kennedy Johnson será o responsável por criar dois futuros distintos para Clark Kent, em dois títulos diferentes – um em que ele deixou a Terra e Metrópolis nas mãos de seu filho, Jonathan Kent, para lutar com gladiadores em Mongul por razões ainda desconhecidas; e outro ambientado em um futuro mais distante ainda, no qual Clark é o patriarca de novas gerações de heróis kryptonianos, incluindo alguns de seus próprios descendentes.

    Arte de Mikel Janin para ‘Superman: Worlds of War #1’.

    Em entrevista ao Newsarama, Philip comentou sobre sua chegada a frente dessas duas tramas distintas.

    “Se há uma coisa que eu amo fazer nos quadrinhos é a construção de mundo. Quadrinhos é o meio ideal para isso, e eu tive algumas oportunidades incríveis para fazer: com ‘Warlords’ de Appalachia na Boom! Studios, no mundo de ‘O Cristal Negro’ em Archaia, ‘Marvel Zombies’ na Marvel, e mais notavelmente com ‘The Last God’ na DC. Future State é uma coisa, é ambicioso, e parecia que a DC queria ser grande e épica com os livros do Superman em particular. Acho que algumas das séries que escrevi recentemente me ajudaram a entrar no radar deles, e estou loucamente animado para ter a chance de escrever um dos meus heróis de quadrinhos ao longo da vida.”

    Questionado se devido ao poder onipotente do Homem de Aço seria mais difícil de criar conflitos para ele na trama, o autor responde:

    “Não, nunca entendi essa perspectiva sobre o Superman. Ele é definido tanto por sua compaixão por todos os seres vivos como ele é por sua força física. Há toneladas de histórias em que o Superman é desafiado fisicamente, mas que, à parte, qualquer um que se importe tanto quanto o Homem de Aço faz com as pessoas, sobre a vida, sobre justiça, há muitos conflitos potenciais nisso. E é ainda melhor hoje em dia porque ele tem uma família, um filho. Superman é supostamente “invulnerável”, mas estou aqui para lhe dizer: ele não é invulnerável. Ter um filho é a sua maior vulnerabilidade.”

    Phillip responde também qual seria o principal apelo do personagem para ele.

    “O Superman inspira as pessoas. Certamente, ele me inspira. Ele nos mostra quem devemos ser. Ele se preocupa com todos, até com seus inimigos. Ele é um homem de quase poder absoluto, mas também compaixão absoluta, bondade, humildade. Ter um personagem assim na minha cabeça só me faz querer ser mais do que sou. Além de tudo isso, a adição de seu filho à sua mitologia faz dele um personagem dos sonhos para escrever. O amor do Superman por toda a vida pode ser expresso na página através de seu amor por seu único filho, e isso o torna tão relacionável. Acho que a maioria dos leitores sabe como é se importar com alguém assim, essa vontade e desejo de fazer qualquer coisa por alguém.”

    Confira todos as edições do evento ‘DC Future State’ -clicando neste link-.

    Willyan Bertotto
    Willyan Bertotto
    Publicitário. Diretor de Arte, Designer e Batmaníaco. Fã incondicional da DC Comics e pesquisador assíduo desse universo e todas as suas possibilidades de transformação.

    Deixe seu comentário

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    Você pode gostar

    Siga-nos

    24,169FãsCurtir
    15,600SeguidoresSeguir
    19,372SeguidoresSeguir

    Últimas Postagens