Fronteira Infinita; o novo multiverso DC!

    Fronteira Infinita é um novo jeito de abordar o multiverso que sempre foi a base editorial da história DC desde 1961 com a edição Flash #123. Desde então, o conceito foi explorado a cada vez que se necessitava revitalizar as histórias da revista, apresentando as famosas crises que remodelavam o universo DC.

    Em 2020 chega a primeira anti-crise com Noites de Trevas: Death Metal, tornando todos os eventos ocorridos na grande história da editora uma linha contínua nas lembranças de seus personagens e um novo multiverso, uma fronteira sem fim e desconhecida tanto para heróis quanto vilões.

    A minissérie Fronteira Infinita, lançada entre março e junho de 2021 foi escrita por Joshua Williamson, equipe artística composta por Xermanico, Paul Pelletier, Norm Rapmund, Jesús Merino, Tom Derenick, Raúl Fernández e Romulo Fajardo Jr, chegando no Brasil em fevereiro de 2022., lançada pela editora Panini. Na trama, vemos as consequências do conhecimento de tantos mundos e o medo de ser ameaçado por algum deles.

    Além das 6 edições da minissérie, entre abril e junho, foi lançado de forma digital Fronteira Infinita: Arquivos Secretos; uma série de títulos individuais escrito por Dan Walters, Joshua Williamson, Stephanie Phillips e Brandon Walters explorando personagens que estarão na história principal como Calvin Ellis da Terra 23, Roy Harper, Jade, o Diretor Bones e o Pirata Psíquico que até antes de Fronteira Infinita, era o único personagem que lembrava de todas as mudanças de realidade no universo DC.

    Capa alternativa de Fronteira Infinita
    Capa alternativa de Fronteira Infinita.

    Um novo multiverso e uma grande ameaça ao futuro…

    A história conecta com a última edição de Noites de Trevas: Death Metal e a exploração de diversos mundos que surgiram e a não centralização da Terra 1 como a principal do universo DC. Além destes fatos, o surgimento de uma Elseworld, (em que todas as pessoas tem consciência que o multiverso é real), Diana Prince é convocada a fazer parte da quintessência e a versão mais poderosa de Darkseid que já existiu tornam este novo universo mais amplo a cada página.

    Dentre estas narrativas da minissérie, temos pequenos arcos como Roy Harper ter se tornado um usuário do anel de Lanterna Negro, o diretor Bones recrutando um grupo para defender a sua versão da Terra, Barry Allen que não é mais o Flash principal passando este título para Wally West e partindo para mapear o novo Multiverso, além do Presidente Superman ao lado do Batman Thomas Wayne enfrentando a nova ameaça que surge com a Liga da Justiça Encarnada e o retorno do primeiro Lanterna Verde Alan Scott e seu filho Manto Negro em busca de Jade que desaparece no começo da história.

    Capa alternativa de Fronteira Infinita
    Capa de Fronteira Infinita Vol.02 pela editora Panini.

    Outro ponto interessante, ainda parte da consciência de todos sobre multiverso, pessoas estão temendo que seu mundo seja atacado e outras sonhando com as possibilidades e novas realidades. O mais curioso que existe os negacionistas de multiverso, sendo um grupo de pessoas que espalham a notícia que isso tudo que eles estão falando   uma mentira (um paralelo bem curioso com o nossa realidade não?).

    Mulher Maravilha ao lado da quintessência
    Mulher-Maravilha ao lado da quintessência.

    Ainda nessa pluralidade de arcos, a minissérie não se perde em sua proposta inicial de nos mostrar que realmente a DC se tornou uma fronteira infinita em que tudo realmente está se tornando parte da grande divina continuidade deste universo. A história também nos prepara para uma nova grande ameaça que surge no horizonte, ao encontrarmos um segundo multiverso, aquele que se destruiu em Crise nas Infinitas Terras e que o personagem Pária retornou ainda com sua punição de ver mundos sendo destruídos. Ali, ocorre um breve encontro com Barry Allen que, ao confronta-lo, é preso em um outro multiverso denominado de Multiverso Flash Terra 1.

    Fronteira Infinita é uma história que abre as possibilidades para o conceito de omniverso DC, uma grande vastidão de universos que estarão todos funcionando na mesma continuidade, além de nos preparar para a terrível ameaça que vai além dos anseios de Darkseid e a sua jornada pela equação anti-vida, que agora busca algo muito maior e ainda nos pega pela nostalgia com os retornos de personagens antigos que eram queridos do universo DC.

    Nota: 40/52 – BOM.

    Ricardo dos Santos
    Ricardo dos Santoshttps://terraverso.com.br
    Fã de quadrinhos, séries, filmes e games. Apaixonado por DC de Grant Morrison a Alan Moore. Mais um privilegiado de estar na amada Terraverso.

    Deixe seu comentário

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    Você pode gostar

    Siga-nos

    24,169FãsCurtir
    15,600SeguidoresSeguir
    19,414SeguidoresSeguir

    Últimas Postagens