San Diego Comic-Con, um fenômeno cultural

    San Diego Comic-Con, certamente você ouviu falar dela nos últimos dias, o tão aguardado evento contou com diversos painéis, mobilizou editoras, estúdios, fãs, portais especializados…

    Sempre que faço algum texto de cunho pessoal aqui no Terraverso, utilizo a mesma frase “nunca é só entretenimento”, sem medo de ser repetitivo, reitero a informação, porém acrescentando alguns fatores históricos e culturais (uma cultura que aliás faz parte de minha vida pessoal e acadêmica, então desculpem o uso de termos e conceitos).

    Hoje, a indústria dos super-heróis movimenta investimentos e lucros extremamente altos, porém além do econômico, há um fator essencial para o seu sucesso, o fator cultural e identitário. Se hoje em dia vibramos com as postagens da San Diego Comic-Con, em especial com o The Rock vestindo o traje de Adão Negro, devemos ter em mente que o fator cultura está por trás disso.

    San Diego The Rock

    A cultura é um processo social que compreende todo o conjunto de modos de vida, sendo constantemente gerada configurada pelos próprios seres humanos. Ela é produzida por meio de significados, sendo estes influenciados pelo papel dos meios de comunicação, já que eles fazem com que eles circulem de forma rápida e abrangente, gerando visibilidade. Estas trocas são capazes de gerarem mudanças ao longo do tempo, como exemplo no próprio termo NERD.

    Se hoje um evento voltado aos nerds é capaz de mobilizar tantos sujeitos, devemos voltar a algumas décadas atrás, quando o termo NERD era utilizado de modo pejorativo e carregava diversos estereótipos negativos: em síntese alguém extremamente interessado por algum assunto, com vida social restrita e extremamente conectado com os estudos. Com o passar dos anos, o nerd virou “pop” e os mercados, principalmente o do entretenimento, passaram a produzir cada vez mais conteúdos destinados a estas pessoas. Devemos lembrar que tais mudanças não acontecem por acaso e sim são o resultado de vários movimentos que acabaram mudando os significados existentes sobre este grupo social, exaltando suas identidades, tornando-as motivo de orgulho e um grande fenômeno midiático e econômico.

    Atribuir o status de fenômeno cultural à San Diego Comic-Con é justificado porque a cultura pode ser entendida como uma série de rituais e padrões compartilhados – neste caso, os gostos e expectativas de nós, nerds, são encarados como aspectos culturais. Quanto maior for o grau de compartilhamento, maior será o público impactado por ela, possibilitando assim que mais pessoas conheçam este tipo de conteúdo e ainda tenham interesse por estes filmes, aumentando o número de nerds.

    Simplificando conceitos acadêmicos, posso dizer que a identidade pode ser definida como algo que nos identificamos e afirmamos ser, neste caso, quem é nerd levanta a mão. Tendo em mente que o processo de formação de identidades se dá através do conjunto de informações partilhadas entre os indivíduos, sejam elas genéticas, regionais e midiáticas, elas são capazes de estabelecer pontos de identificações entre os indivíduos e nos dão a possibilidade de sermos reconhecidos como integrantes de um grupo social.

    A San Diego Comic-Con atua como uma forma de gerar vínculos entre os fãs, onde todos, mesmo que não se conheçam ou estejam em locais diferentes do planeta, conectam-se em torno de um mesmo assunto. O evento é capaz de colocar os produtos destinados aos nerds entre os assuntos mais comentados das redes sociais, gerando incontáveis compartilhamentos e atingindo não somente seu público-alvo, mas outras áreas.

    Em síntese, arrisco dizer que o evento, assim como outros, além de gerar uma maior visibilidade para esta identidade e esta cultura, ainda contribui para a atração de um novo público e acaba construindo uma sensação de conexão entre seus fãs. Se a cultura e principalmente os significados que ela carrega são constantemente reformulados, acontecimentos como este auxiliam para que haja uma nova configuração sobre a imagem que temos sobre o público da San Diego Comic-Con, inserindo aspectos positivos na cultura vigente.

    Se desejar mais informações sobre como este tipo de conteúdo se configura como cultura, pelo viés acadêmico, pode clicar NESTE ARTIGO.

    Lucas Nunes
    Lucas Nunes
    Sou publicitário formado pela UFSM, mestre e doutorando em comunicação pela UFSM também. Fora isso, apenas alguém apaixonado pelo mundo nerd.

    Deixe seu comentário

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    Você pode gostar

    Siga-nos

    24,169FãsCurtir
    15,600SeguidoresSeguir
    19,372SeguidoresSeguir

    Últimas Postagens