Marthas: As heroínas de nossos heróis

    Sempre que pensamos em pessoas importantes em nossas vidas, a figura materna surge em nossas lembranças mais agradáveis. Podendo ser a mãe biológica ou não, o papel materno geralmente nos remete a um amor incondicional e que também reflete em obras ficcionais como no filme que irei trazer uma reflexão a seguir.

    Batman vs Superman ou BvS como ficou tão famoso tem uma cena que se tornou polêmica por remeter a relação materna dos protagonistas em um momento que não se pensava tão profundamente em adaptações cinematográficas. A cena que me refiro é a tão “odiada” Martha, que encerra o confronto entre os dois heróis que foram colocados em rota de colisão graças a um plano de Lex Luthor.

    Particularmente eu acredito que seja uma das cenas mais emocionantes que testemunhei no cinema, até mesmo nesta geração de “filmes de herói” quando existem tantas adaptações de personagens de quadrinhos no momento. Ela se destaca principalmente por trazer um ponto em comum que não se havia reparado em ambos os personagens e até este filme, não tinha tanta importância. No longa dirigido por Zack Snyder percebe-se que Clark Kent e Bruce Wayne são filhos de uma Martha.

    Não sei se Joe Shuster e Jerry Siegel combinaram com Bob Kane e Bill Finger sobre este detalhe, ou se foi apenas uma grande coincidência… ou Martha era um nome bem comum na época. Mas, após este detalhe ser um destaque, torna-se peculiar pensar que em momento algum nas 8 décadas da existência de ambos não se havia sequer tocado neste assunto. Aqui, gostaria de trazer uma reflexão sobre o quanto isso se torna importante: A presença de Martha na vida de ambos os heróis.

    Quando pensamos na importância das nossas relações e como moldam as nossas vidas, os vínculos com as nossas origens mostram como aprendemos a nos relacionar com o nosso mundo, como encaramos as nossas relações e até lidamos com as perdas e conquistas. Acredito que esta construção também aconteça em universos ficcionais. Personagens com o status de ícones culturais como Mulher-Maravilha, Superman e Batman também possuem esta complexidade tão humana, apesar de não existirem na realidade, mas em toda a jornada sempre a origem é importante assim como a nossa, afinal, também somos heróis em nossas próprias histórias e protagonistas de nossas narrativas.

    A importância de Martha, tanto a Wayne como a Kent, é tão grande para a construção do heroísmo destes grandes personagens que, apesar de nunca termos uma história voltada apenas para elas, sabemos muito sobre estas duas grandes mulheres, como os valores que transmitiram aos seus respectivos filhos e como eles elaboram esta relação ao longo de suas vidas.

    Durante a narrativa de Batman vs Superman é destacado como a perda dos pais de Bruce Wayne construiu o Cavaleiro das Trevas, porém, é enfatizado o quanto é arrasador para o herói a perda de Martha Wayne. Posso considerar essa uma abordagem mais freudiana as questões emocionais do personagem e como a perda deste objeto de afeto moldou o seu vínculo emocional no seu mundo interno para com o externo, originando o ciclo de violência que ele repete ao se tornar o Batman e decidindo lutar contra o crime. Isso pode ser evidenciado em uma das falas do herói ao dizer que “o mundo só faz sentido quando você faz sentido” .

    Por outro lado, em “O Homem de Aço” conhecemos a relação de acolhimento e afeto de Martha Kent com o filho adotivo Kal El, que o chama de Clark logo em sua chegada a Terra. Ao longo do filme, vemos o quanto ela foi importante para que se molde não apenas o Clark Kent mas também o Superman, sendo presente nos momentos que seu filho teve dificuldade de se adaptar a um novo ambiente, tanto no âmbito social quanto biológico. Martha aqui chega a ser um porto seguro ao herói nos momentos que sentiu estar sem direção, o ensinando a construção destas relações de afeto e empatia. A possibilidade da perda deste suporte emocional deixa o Superman em rota de colisão com o morcego no jogo de manipulação de Luthor.

    A cena que encerra o confronto remete ao significado que Martha tem para ambos os heróis, o amor e a possibilidade de perda. Isso se torna evidente no momento que o Batman ouve o nome e reage de forma confusa, a ponto de desconfiar que por alguma razão o Superman sabia a relevância deste nome para a sua vida. Para este Bruce Wayne “salvar Martha” tem um significado mais intimista relacionado a todas as suas perdas do que necessariamente uma relação com o contexto que aquele momento estava propondo, assim como a sua afirmação de que “Martha não vai morrer esta noite”.

    Por fim, seja na origem do símbolo da esperança ou do cavaleiro solitário de Gotham, a existência de Martha, tanto a Wayne quanto a Kent, se torna um fator determinante para a visão de mundo heroica destes ícones da cultura pop que amamos tanto.

    Ricardo dos Santos
    Ricardo dos Santoshttps://terraverso.com.br
    Fã de quadrinhos, séries, filmes e games. Apaixonado por DC de Grant Morrison a Alan Moore. Mais um privilegiado de estar na amada Terraverso.

    Deixe seu comentário

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    Você pode gostar

    Siga-nos

    24,169FãsCurtir
    15,600SeguidoresSeguir
    19,534SeguidoresSeguir

    Últimas Postagens