À medida que a run de Joshua Williamson na edição mensal de The Flash se aproxima de sua conclusão épica, a Flash Família se reuniu para enfrentar a recém-formada Legião do Mal, liderada pelo vilão Flash Reverso.

Conforme as linhas de batalha foram traçadas, no entanto, Eobard Thawne não recrutou seus companheiros vilões do presente atual do universo DC. Em vez disso, ele viajou para vários pontos no passado para encontrar os inimigos perfeitos para enfrentar o Velocista Escarlate. De acordo com Williamson, os pontos específicos do tempo para o recrutamento dos vilões foram baseados em quando eles estavam disponíveis e como eles eram fáceis para Thawne manipular.

“Em particular, com Grodd, é porque Grodd se foi: Ele estava amarrado com a Legião da Perdição em Liga da Justiça e Death Metal, então ele meio que está fora da mesa. A mesma coisa com a Tartaruga, ele é provavelmente o mais próximo dos dias de hoje. Eu queria que [Flash Reverso] fosse pegar pessoas que ele sentisse que poderia manipular facilmente.”, explicou Williamson em entrevista ao CBR. “Isso é uma grande parte disso: ele conhece o futuro deles e não pegou versões deles onde estavam em seus auges ou em um momento de perda. Todos eles tinham perdido para o Flash já no tempo atual, então ele voltou para quando eles não tinham perdido e teria confiança para dizer a eles ‘No futuro, vocês vão perder então eu vou ajudá-los a não perder.’

De Gorila Grodd e a Tartaruga ao Capitão Frio e Planador Dourado, o Flash Reverso escolheu a dedo seu conjunto maligno e sistematicamente direcionou todos os elementos da vida de Barry Allen. Para Williamson e os editores, era importante escolher pontos no tempo refletindo a era DC Renascimento em vez de Os Novos 52, embora a revisão de ‘The Flash: Year One’ da história de Barry tornou sua inclusão um pouco mais complicada de ajustar.

“Era sobre escolher o quão longe ele iria voltar. Foi realmente um jogo estranho com os editores tentando descobrir quais pontos do tempo poderíamos pegá-los, porque queríamos ter certeza de sobre a versão deles, isso significa que tem que ser somente um período de tempo.”, continuou Williamson. “Queríamos ter certeza de que estávamos pegando eles pós-Novo 52, mas, no caso da Tartaruga, foi estranho por causa da edição “The Flash: Year One”. Então, nós nos acomodamos com isso e realmente apenas descemos até onde a linha do tempo permitia e sentimos que Eobard poderia manipulá-los mais, essas foram as escolhas que fizemos.”

Escrito por Joshua Williamson e ilustrado por Rafa Sandoval, Scott Kolins, Jordi Tarragona e Arif Prianto, The Flash #759 foi lançada recentemente nos EUA.

Via: [CBR].

Sobre Willyan

Willyan Bertotto

Publicitário. Diretor de Arte, Designer e Batmaníaco. Fã incondicional da DC Comics e pesquisador assíduo desse universo e todas as suas possibilidades de transformação.

Últimas notícias