A Orquídea Negra é uma personagem do universo DC criada em 1973 por Tony DeZuniga e Sheldon Mayer. Tornou-se mais uma das várias heroínas da editora do Superman, porém ao longo do tempo a personagem foi caindo no esquecimento. Até a chegada de Neil Gaiman que deu a personagem uma segunda vida (literalmente).

Em 1987, Neil Gaiman tentava entrar para a indústria de quadrinhos norte-americana e nesse sentido enviou um roteiro de uma história do Monstro do Pântano para a DC Comics, que na época tinha como editora a Karen Berger. No entanto, a chegada de Gaiman se deu quando Berger, tempos depois, foi buscar talentos britânicos para a editora. Nesse momento, o escritor apresentou algumas ideias para Karen Berger, como roteiros para John Constantine, Sandman e outros personagens. Todas as propostas foram recusadas, com exceção de uma: uma minissérie sobre a Orquídea Negra.

Era um momento singular para a DC Comics que vivia uma nova era após a saga “Crise nas Infinitas Terras”, onde vários de seus grandes personagens estavam sendo reapresentados para um novo público. Enquanto Superman e companhia ficou nas mãos de grandes nomes como John Byrne, Frank Miller e George Pérez, personagens de segunda linha foram sendo desenvolvidos por autores até então desconhecidos naquele momento: Alan Moore ficou responsável pelo Monstro do Pântano, Grant Morrison assumia o Homem-Animal e Neil Gaiman apresentava a Orquídea Negra.

Junto com David McKean, Gaiman apresentou uma história de origem para a heroína – já que não existia nenhuma desde a sua criação na década de 1970. A primeira edição de Orquídea Negra foi lançada em dezembro de 1988.

Na minissérie que contou com 3 edições, Susan Linden (a Orquídea Negra original) surge tentando derrubar uma organização criminosa, porém seu disfarce foi descoberto e a heroína morreu com um tiro na cabeça. Seu corpo em seguida é carbonizado, mas algumas de suas memórias sobreviveram em Suzy, um híbrido humano-vegetal, que acabou tornando-se a nova Orquídea Negra.

Porém, com grandes lacunas em suas memórias, a Orquídea Negra busca se descobrir. Tal intenção faz da personagem algo muito atraente para o que se fazia na época quando se tratava de quadrinhos de super-heróis. Facilmente poderíamos imaginar que a nova Orquídea Negra se levantaria para vingar a morte de Susan Linden e lutar contra os criminosos e as injustiças do mundo, porém nada disso acontece. A personagem resolve partir em uma jornada de autodescoberta que a levará a conhecer personagens conhecidos do Universo DC como Lex Luthor, Batman e o Monstro do Pântano, assim como passar um período no Asilo Arkham.

Além dessa desconstrução da narrativa super-heroica, a própria representação da heroína fugia aos padrões da época. A Orquídea Negra é representada como uma mulher bonita, mas longe da erotização feita às figuras femininas com bundas, pernas e peitos exagerados. A arte ficou a cargo de David McKean, que utilizando referências fotográficas, criou toda uma estética que combinava com a intenção do roteiro.

Em Orquídea Negra, Gaiman nos mostrava aquilo que mais tarde iria marcar sua obra-prima “Sandman“: diálogos espontâneos e convincentes, onde o lado humano se sobressaia no universo fantástico dos quadrinhos de super-heróis.

Em aparições mais recentes, uma nova mulher assumiu a alcunha de Orquídea Negra: trata-se de Alba García, uma agente da A.R.G.U.S. que, a convite de Steve Trevor, entrou para a “Liga da Justiça Dark” comandada por John Constantine. García também possui uma história misteriosa que aos poucos foi se descobrindo quando ela, ao entrar em uma sala secreta da Casa dos Mistérios, descobriu um arquivo com sua identidade real.

Com a possibilidade de ganhar uma versão live action com a produção da série sobre a Liga da Justiça Sombria pela HBO Max, convém lembrar que a personagem já havia despertado o interesse da atriz Rachel McAdams. Em 2015, quando negociava sua participação no filme “Doutor Estranho”, Adams disse ser uma fã de quadrinhos, em especial de graphic novels, e revelou o sonho de interpretar a Orquídea Negra.

Referências:

Neil Gaiman e Orquídea Negra: Como um salvou a vida do outro. MobGround.

Orquídea Negra III. Guia dos Quadrinhos.

Orquídea Negra. Dia de Finados.

Sobre Professor

Avatar

Protegido pela identidade secreta de Luiz Alexandre de Andrade, o Professor DCnauta é historiador e também professor de história. Inspirado pelo Superman, buscando o preparo do Batman e espelhado na determinação da Mulher-Maravilha, o Professor DCnauta se junta ao time do Terraverso na busca de um mundo melhor (e sem rumores).

Últimas notícias