O Universo DC dos quadrinhos é repleto de heróis (e vilões) velocistas, cada qual com suas peculiaridades, mas um fator tende a estar sempre presente: a ligação com a Força de Aceleração. De uma forma ou de outra, esses personagens conseguem estabelecer um vínculo com essa força da natureza, que fornece a eles a energia necessária para que se movimentem em super velocidade. Entrentanto, Alinta, a nova velocista da editora, possui uma ligação diferente com essa entidade.

Alinta é uma personagem de origem australiana, criada por Robbie Thompson e Javi Fernandez, e teve sua primeira aparição nos quadrinhos em março desse ano, na edição #1 de Future State: Suicide Squad, HQ que faz parte da saga que conta a história de um futuro sombrio no universo DC. Nele, Alinta é apresentada como a versão do Flash que faz parte do Justice Squad (Esquadrão da Justiça, em tradução livre), equipe comandada por Amanda Waller, a misteriosa agente do governo mais conhecida por liderar a Força Tarefa X, o Esquadrão Suicida. A meta-humana também aparece na edição #2 de Teen Titans Academy, que se passa no tempo presente, ou seja, a continuidade principal do universo DC, e nela podemos ter uma melhor compreensão de como suas habilidades funcionam.

O Cyborg é um dos primeiros a perceber que o vínculo de Alinta com a Força de Aceleração é diferente dos demais velocistas e acaba se referindo à personagem como uma “velocista de tiro curto” (Speed Force sprinter, no original). A comparação tem uma razão muito evidente: diferentemente de outros, Alinta consegue acessar a Força de Aceleração apenas por pequenos intervalos de tempo, em explosões rápidas, como raios, o que inclusive a leva a escolher o codinome Bolt (Raio, em tradução livre).

Cyborg: “Não exagere, Alinta. Você é uma velocista de tiro curto… mantenha-se com rajadas rápidas, como um raio”. Alinta: “Raio? Gostei. Mas não deixei minha casa e desisti de tudo para ser uma “velocista de tiro curto”, Sr. Cyborg. Se eu treinar, talvez…”

Ainda na edição #2  de Teen Titans Academy, conseguimos ver que o passado de Alinta pode ser mais sombrio do que aparenta. Após resgatar o Asa Noturna de uma queda que poderia ter sido fatal, Alinta recebe uma ligação de Amanda Waller. Sem entrar em maiores detalhes, Waller menciona o que ela “havia feito por Alinta no passado”, dando claramente a entender que espera algo em troca.

A conexão limitada de Alinta com a Força de Aceleração pode ser uma das razões pelas quais ela atraiu o interesse de Amanda Waller, uma vez que isso a torna muito mais fácil de ser controlada. Na edição já mencionada de Esquadrão Suicida em Future State, Waller chega a dizer que poderia tomar os poderes de Alinta quando ela quisesse. Isso pode guardar alguma relação com as origens dos poderes da velocista; se Waller pode tirá-los com tamanha facilidade, talvez ela tenha sido de alguma forma responsável por fornecê-los.

Na edição #3 de Teen Titans Academy finalmente temos a oportunidade de entender melhor o passado de Bolt, quando ela conta sua história para sua colega de quarto. Sete anos no passado, Alinta morava na Austrália, em um trailer, com seus pais, onde ela se lembra de ter ganhado seus poderes de supervelocidade e, sem saber, ajudava seus pais a traficar mercadorias roubadas. Quando os pais da personagem chegaram em uma situação de possuir muitas dívidas com as quais não conseguiam arcar, Alinta teve suas pernas cortadas e foi deixada para morrer. Entretanto, Amanda Waller já estava monitorando a meta-humana e lhe ofereceu a chance de uma nova vida, fornecendo próteses de pernas na forma de lâminas e obrigando Alinta a se juntar à Titans Academy (Academia dos Titãs, em tradução livre). Em troca, Alinta aceitou a condição de deixar tudo de lado e socorrer Amanda Waller sempre que fosse solicitada.

Teen Titans Academy #3 traz maiores detalhes sobre o passado de Alinta.

Muito da história de Alinta ainda pode ser explorada nas edições futuras dos quadrinhos. O que sabemos, até o momento, é que com a ajuda de seus companheiros Titãs ela tem conseguido escapar das investidas de Amanda Waller. Após passar por grandes dificuldades ao longo de sua vida para chegar onde chegou, parece que a personagem finalmente obteve algum senso de família, com pessoas que estão dispostas a defendê-la. Resta saber por quanto tempo.

Sobre Álisson

Engenheiro civil, professor e fissurado pelo universo de super-heróis e da cultura pop. Fã incondicional do Batman e defensor ferrenho do Batfleck. Palpiteiro profissional.

Últimas notícias