Quando se é mais que um game, ele te aproxima do universo e trata de um mundo não muito distante de nós…

Para quem acompanhou desde as prévias de Injustice 2, produzido pela NetherRealm, sabia que não se tratava de apenas mais um jogo. Rompe a fronteira de seu segmento. O gráfico é digno da sétima arte. Coisa de cinema. Narrativa e quadros inspiram e evocam a tradição das HQs. Séries e animações também são lembradas com a aparição de personagens. Um produto que integra e absorve o universo DC por completo

Quer mais?

No modo história quem constrói o andamento e a ação do jogo, entenda-se os grandes embates entre heróis e vilões e vice-versa, é quem está com o controle nas mãos. Ou seja, um game com roteiro, cenários e que não te deixa afundar no sofá, te lança como coautor(a).

Ainda quer mais?

Se liga no combo de momentos em que a história de Injustice 2 deixa a ficção e trata do mundo de quem está do outro lado da TV, na vida real:

 

  • O Irmão Olho“Um centro de comunicações ligado a cada satélite e servidor no planeta. Ele avisa dos problemas que estiverem surgindo, e orienta quando eles chegarem”, como explica Bruce. Isso para o bem, e se fora de controle? Questões como privacidade, liberdade e segurança são aplicáveis sobre a tecnologia usada.

 

  • Arlequina, personagem que se popularizou através do filme “Esquadrão Suicida”, leva consigo uma história abusiva, que ultrapassa os limites de qualquer relação saudável. E isso é ela quem diz: “Nunca mais um malandro num terno barato com um sorrisinho idiota vai me dizer quem eu sou. Era uma vez… O nosso amor louco. Mas ele acabou, senhor C.”

 

  • Brainiac, que devastou Krypton, está com os olhos voltados para a Terra. Com interesse em aprimorar seu intelecto não mede esforços para descartar tudo aquilo que não achar interessante. “Sua espécie (está falando de nós) valoriza metais preciosos. Símbolos arbitrários de status. Eu valorizo conhecimento. E assim como seus adornos de metal, o conhecimento vale mais quando é raro.”

 

  • Qualquer um ou até mesmo o Superman como líder supremo não é a saída, nos diz capítulos recentes da história. “Mas os humanos… Têm se matado uns aos outros há milênios. Eu acabei com a violência. Os humanos precisam de uma liderança forte. Precisamos salvá-los deles mesmos… A esperança não basta para salvar o mundo. Sem mim, eles já estariam mortos”, afirma o filho de Krypton durante os acontecimentos em Injustice 2.

 

  • Quando absoluto, Clark é enfático: “Estou montando um novo exército para proteger a Terra[…] Terei uma legião com poder comparável à Tropa dos Lanternas Verdes. Quero que você a lidere comigo (para Supergirl). Ou você faz a escolha certa, ou eu a farei por você.”

 

Qualquer semelhança com a realidade é mera coincidência…

 

Sobre Leonardo

Leonardo Henrique

Me apresento da não tão distante Ribeirão Pires City, minha residência oficial desde que nasci. Formado em artes cênicas pela ELT e, recentemente, em jornalismo. Em tempos de Crise Infinita o momento exige Multiversões de si mesmo. Acreditem, não é uma Piada Mortal, isso foi apenas uma veloz apresentação. Se o caso é parar um asteroide, resolver um mistério ou acabar com uma guerra sabemos quem se deve ter por perto. Para informações sobre a DC este é o lugar…

Últimas notícias