O diretor de The Batman, Matt Reeves, comentou detalhes do seu filme durante o DC FanDome. A produção abordará os primeiros anos do Homem-Morcego no combate a criminalidade de Gotham;

É um filme de detetive, meio que um filme policial sobre corrupção e estamos trabalhando isso como uma história do Batman. A ideia é que o Batman não tem habilidades de super-herói, ele apenas tem um foco e um direcionamento. Uma grande influência é o filme de 1974, Chinatown, sobre um investigador J.J. Grittes que descobre um sistema de corrupção numa Los Angeles no ano de 1937. Desta forma, é um clássico noir, um filme sombrio, cru com uma humanidade cheia de falhas.

Sobre os primeiros detalhes da trama, Reeves comenta;

Você começa a ver esta história épica de corrupção e rumores e você começa a entender bem. Eu penso que esta é uma maneira de pegar uma história sobre detetive de qualquer ponto de vista. Tem ação, tem todo tipo de coisa, mas é uma história incrivelmente pessoal para ele.

Reeves também comentou sobre os bastidores da produção, o processo de criação do uniforme do herói, do Batmóvel e também da Batcaverna;

Uma das coisas que você tem que fazer é desenhar um traje de morcego, tem que desenhar um Batmóvel, tem que ter uma Batcaverna, tem que ter isso como todas as coisas que ele terá. E então, você sabe, para mim isso tem sido uma das coisas mais empolgantes e que aconteceu mesmo antes de terminarmos a última parte do roteiro, foi bastante claro qual era a visão do mundo enquanto eu estava escrevendo.

Essa Batcaverna, o Batmóvel e o traje de morcego demoraram muito, você sabe… E nós trabalhamos no desenho dele de novo, enquanto eu estava escrevendo a ideia sobre como poder lutar nele. E então eles começaram a ilustrar, e eu diria que passamos facilmente um ano para fazer o traje de morcego, para depois entrar no Batmóvel.

Sobre a principal inspiração dos quadrinhos para desenvolvimento do filme, Reeves destaca ‘Batman: Ego’.

Eu queria que tivesse o mindset do personagem e eu queria pensar sobre a psicologia. Para mim, eu tive que mergulhar em ‘Batman: Ego’, de Darwyn Cooke. Ele está confrontando uma besta que é Batman e esse é o tipo de dualidade que estamos tentando fazer na história.. ele confrontando a sombra dele mesmo. Você será capaz de entender suas motivações.

Sobre os vilões, o diretor comenta:

Eu acho que uma coisa sobre a galeria de vilões é que, de certa maneira, temos a origens de vários de nossos personagens. Então, assim como a Selina ainda não é a Mulher-Gato, o Oswald ainda não é o senhor do crime que ele irá se tornar, ele é o Pinguim, mas ainda não é chamado assim. E o Charada está apenas emergindo pela primeira vez, tudo isso é empolgante.

Reeves também comentou como a história se conectará com a série sobre Gotham na HBO Max;

A ideia da história era mostrar que Gotham tem esse tipo de profundidade de corrupção, e então a ideia de que poderíamos realmente fazer uma série que está indo mais afundo em um aspecto somente dela, que neste caso é o departamento de polícia corrupto e o funcionamento interno da cidade. A ideia é voltarmos ao Ano Um, é o início do surgimento e é a primeira aparição deste vigilante mascarado que começa a perturbar a cidade, e você começa a ver a história através do ponto de vista desses policiais corruptos e um em particular,  a história é na verdade uma batalha por sua alma.

The Batman” tem previsão de estreia nos cinemas em outubro de 2021.

 

Sobre Willyan

Willyan Bertotto

Publicitário. Diretor de Arte, Designer e Batmaníaco. Fã incondicional da DC Comics e pesquisador assíduo desse universo e todas as suas possibilidades de transformação.

Últimas notícias