Mulher-Maravilha 1984, longa que está em cartaz nos cinemas brasileiros desde o dia 17 de dezembro e trouxe de volta às telonas a atriz Gal Gadot como a super-heroína Diana, foi filmado em quatro diferentes países, sendo eles: Estados Unidos, Inglaterra, País de Gales e Espanha, que abriga também as Ilhas Canárias.

Os produtores do filme precisaram correr atrás de inúmeras aprovações dos governos locais e, para as filmagens, foram utilizadas câmeras em formatos 35mm e IMAX 65mm. A produção viajou para a Espanha para filmar as cenas que abrem o longa, nos Jogos das Amazonas. A cena inicial expõe logo a grandiosidade da produção, que reuniu 242 pessoas, entre atrizes, dublês e atletas envolvidas. Embora em “Mulher-Maravilha” a Costa Amalfitana da Itália tenha substituído Temiscira, o sul da Espanha mostrou-se mais flexível a uma paisagem egípcia, com sua arquitetura moura, bem como as Ilhas Canárias, ao largo da costa do Marrocos.

As filmagens foram divididas entre as duas maiores ilhas, de Tenerife e Fuerteventura, e em Alcazaba de Almería, no sudeste do país. A ilha de Tenerife proporcionou o caminho montanhoso ao longo do qual Diana e as Amazonas competem. As filmagens principais aconteceram no Valle Olvido conhecido como “Vale da Morte”. Providenciar a acomodação para 150 a 200 membros da equipe de produção, assim como os vários cavalos da competição das Amazonas, foi um desafio logístico, maior ainda quando se considera o peso das câmeras IMAX 65mm utilizadas na captação das imagens.

Já em Washington D.C., na sequência do tiroteio na capital, o produtor Stephen Jones reforça os desafios encontrados, “a cidade é um lugar interessante para se filmar. Há várias autoridades diferentes às quais você deve solicitar autorização, dependendo da categoria da locação, se é um prédio, uma trilha, um parque, uma estrada. Mas nosso incrível departamento de locações fez tudo funcionar”.

Para as filmagens da cena externa em que os personagens Diana e Steve estão caminhando em direção ao National Mall, a jurisdição pertencia ao Departamento de Polícia Metropolitana; para sequer tocar a grama, que fosse, do National Mall, o Serviço Nacional de Parques precisava autorizar. Assim, uma área de cerca de doze metros envolveu três instâncias de autoridade sobrepostas.

Assim que as filmagens na Virgínia e Washington D.C foram concluídas, o elenco e a equipe de produção principal foram para os Warner Bros. Studios, em Leavesden, na Inglaterra. Nos estúdios, foram recriados os interiores do Salão Oval da Casa Branca e do Museu Smithsonian. No país, foram filmadas sequências em locações como: o Fórum Geral da cidade de Surrey; o Parque Boston Manor, em Brentford; o Museu da Guerra Imperial, em Duxford; o Campo de Aviação Bovington, o Clube de Campo e de Golfe Heydon Grange, Berry Farm, e a Força Aérea Real de Marsworth, todos em Hertfordshire; a Força Aérea Real, de Londres; a Faculdade Real de Medicina; a sede da Prefeitura de Londres; a Aldermanbury Square; o Hyde Park; o Terraço Adelphi; a Torrington Square; e a Schwartz Wharf.

A complexidade das filmagens seguiu na batalha de comboios nos arredores do Cairo. A equipe de produção se referia a ela como a sequência de estrada aberta, um exemplo típico do desejo de Patty Jenkins de registrar o máximo possível de imagens na câmera, que não seria possível sem a colaboração das autoridades da ilha de Fuerteventura, que permitiram o fechamento de uma estrada local importante da região, por várias semanas, para possibilitar os ensaios e as filmagens.

A complexidade das filmagens seguiu na batalha de comboios nos arredores do Cairo. A equipe de produção se referia a ela como a sequência de estrada aberta, um exemplo típico do desejo de Patty Jenkins de registrar o máximo possível de imagens na câmera, que não seria possível sem a colaboração das autoridades da ilha de Fuerteventura, que permitiram o fechamento de uma estrada local importante da região, por várias semanas, para possibilitar os ensaios e as filmagens.

De fato, a sequência era tão complexa que a equipe de produção fez o mapeamento prévio, tomada a tomada, em uma pista de pouso em desuso na Inglaterra, durante dois meses, antes das filmagens em Fuerteventura. Era preciso que vários veículos capotassem para que a Mulher-Maravilha pudesse correr ao lado de um caminhão em alta velocidade e usar seu laço para impulsioná-la para o céu. “Eu já planejei muitas perseguições de carro, mas nem tantas com alguém realmente correndo ao lado de um veículo. Tínhamos a Gal correndo em uma esteira móvel conectada ao lado do caminhão”, explica o coordenador de dublês Rob Inch.

“Mulher-Maravilha 1984” está em exibição nos cinemas.

Texto: Assessoria de Imprensa Warner Bros.

Sobre Willyan

Publicitário. Diretor de Arte, Designer e Batmaníaco. Fã incondicional da DC Comics e pesquisador assíduo desse universo e todas as suas possibilidades de transformação.

Últimas notícias