Atenção: Este texto contém SPOILERS de uma cena do filme Mulher-Maravilha 1984.

Mulher-Maravilha 1984, a sequência do blockbuster de super-heroína de 2017, pode se passar nos anos 1980, mas a sequência de abertura nos leva de volta à ilha de Themyscira com a Rainha Hipólita (Connie Nielsen) e a jovem Diana (Lilly Aspell). As Amazonas estão competindo em sua própria cerimônia dos Jogos da Amazônia, testando suas proezas por meio de uma série de desafios que começam com um salto de uma estaca a outra, seguido por uma corrida em uma plataforma sem ser derrubada por um tronco gigante balançando e, em seguida, mergulhando no oceano. A partir daí, é preciso nadar muito e pular em cavalos correndo.

“É apenas esse tipo incrível de sequência de abertura dessas amazonas realizando esses eventos que são como o Cirque du Soleil encontra o American Ninja Warrior, encontra os esportes radicais, mas como nada disso, como nada que você já viu antes.”, a produtora associada Anna Obropta disse no estúdio Leavesden Studios situado no Reino Unido “Elas são graciosas e ferozes e tudo culmina nesta competição de estrelas”.

A jovem Diana é uma das concorrentes, apesar dos desejos da mãe. Porém, sua tia não parece ter problemas com isso; Diana está usando a tiara do Antíope (Robin Wright).

“Tive cinco meses de treinamento, então foi intenso,” Aspell, que faz a maioria de suas acrobacias, diz no set. Dentro da razão, é claro. Ela tinha apenas 10 anos quando filmou esta cena. “Eu me sinto uma Amazona!”

Muitas das atletas profissionais que retrataram as amazonas de Themyscira no primeira Mulher Maravilha (incluindo Jessie Graff do American Ninja Warrior) voltam para enfrentar esta imensa pista de obstáculos. O desafio de toras pode ser um grande obstáculo, mas não para a pequena Diana. Este evento específico é chamado de Kid Flipper. As amazonas são jogadas para fora antes de pousar “nesta plataforma”, diz Obropta. “E então você pula através dessas estacas. Mas no final, para pular no oceano na parte de natação, você tem que subir esta rampa. Não parece tão difícil, exceto que há um grande tronco balançando bem na sua direção. É aqui que Diana, sendo a pequena amazona que é, usa seu tamanho a seu favor.”

O cenário, suspenso bem acima do solo, mostra essas mulheres guerreiras da vida real apoiadas por fios enquanto surfam no topo do pilar de barril, que apresenta o rosto de uma mulher com elmo esculpido na ponta. A maioria das Amazonas perde o equilíbrio, enquanto Diana é pequena o suficiente para deslizar por baixo. Todos estão competindo pelo ouro final: uma coroa para enfeitar a testa do vencedor.

Não é por acaso que o ouro da coroa se assemelha ao ouro da nova armadura dourada da Mulher Maravilha da estrela Gal Gadot. Seu capacete de batalha é como uma “versão de cabeça para baixo” da coroa dos Jogos da Amazonas, diz a figurinista Lindy Hemming. “Então, há uma ligação entre o final do filme e o início do filme, de certa forma”, diz ela.

Em um único dia de filmagem, a produção utilizou 14 guindastes e várias câmeras IMAX.

“Temos três dos Mark IVs, que são as câmeras de alta velocidade; temos um Mark III, que é uma versão mais antiga dessa câmera; e temos quatro MSMs, que são uma espécie de câmera IMAX de trabalho”, explica Scott Smith, o técnico IMAX do filme. “Eles são realmente muito difíceis [de manusear] porque comparamos essas câmeras a carros esportivos de última geração. O que eles estão fazendo aqui são 48 quadros [por segundo], o que é alta velocidade para nós. A velocidade normal é de 24 quadros por segundo. Isso é como dirigir seu carro esporte na linha vermelha o dia todo. Então, estávamos nervosos, mas tem funcionado bem.”

Para as próprias amazonas, Hemming criou o que ela chama de a versão de 2.000 anos da roupa de mergulho. A maioria dos atletas usa roupas marrons colantes para facilitar a manobra, enquanto outras competidoras são adornadas com trajes dourados “em homenagem ao dourado dos jogos”, diz ela. Hemming abordou a estética como uma verdadeira amazona: se as guerreiras de Themyscira tivessem que criar suas próprias roupas esportivas, o que seria? “Elas tratam pele de animal, que é como o melhor material de mergulhador que elas podem ter”, observa ela. “Nós o imprimimos com diferentes estampas de animais: há cobra e há crocodilo e há píton e tudo o mais. Em seguida, alguns detalhes são dourados. Portanto, é um processo muito complexo. A ideia, claro, é que elas sejam fortes e elegantes, e que sejam o topo do topo das Amazonas.”

Mulher-Maravilha 1984 tem previsão de estreia dia 15 de outubro no Brasil.

Sobre Rayanne

Rayanne Matos

Capixaba. 1993. Bióloga. Sarcasmo. Socialmente distante. Hera Venenosa. Torre de Babel. Me envie fanfic. Time is money, money is power, power is pizza and pizza is knowledge. Let’s go!

Últimas notícias