Em uma recente entrevista com o Beyond the Trailer, com a jornalista Grace Randolph, o cineasta Zack Snyder revelou alguns detalhes sobre a sua versão do filme ‘Liga da Justiça’. Confira abaixo os principais pontos da conversa.

 

Grace – Como você se sente sendo o diretor de Hollywood mais comentado?

Zack – [rindo] Eu não sei se isso é 100% verdade, mas é… é divertido estar ocupado. Eu acho que é uma coisa importante. Eu estou trabalhando em terminar Army [Army of the dead, Netflix] e, você sabe, praticamente o tempo inteiro em Liga da Justiça.

Grace – O Snyder Cut é uma jogada ousada, Zack. Você está quebrando todas as regras, incluindo tempo de duração. Então tem Titanic (195 minutos), E o Vento Levou (221 minutos), mas eu escutei que sua Liga da Justiça é ainda maior.

Zack – Bem, sabe, eu não posso… ninguém vai me acusar de fazer filmes curtos. Acho que meu histórico, sabe… especialmente com meus “versão do diretor” é bem, bem doido. Eu não sei porque disso, sabe? Porque vem dos comerciais, sabe? É sempre “Ei, 30 segundos”… Então, eu meio que anunciei que a duração em 214 minutos… é na verdade um pouco mais que isso. Agora, no estado atual vai acabar sendo um pouco maior que isto. Animado para todo este novo material para os fãs. Eu consigo enxergar todas essas malucas e incríveis sequencias e acho que isso vai ser muito animador para todos.

Grace – Então você pode revelar o quão longo será ou essas coisas são segredos?

Zack – É um pouquinho secreto. Isso é para ser falado daqui um tempo, porque eu ainda estou trabalhando nisso.

Grace – Você não quer que as pessoas fiquem “onde está os minutos que você prometeu?”

Zack – Exato! “O que estava naqueles dois minutos que você deixou de fora?”

Grace – Como é estar fazendo o filme de casa? Como é você e seu time na quarentena?

Zack – É desafiador, mas nossa situação de trabalho é bem eficiente. Nós chegamos nesse ponto onde… nós temos a edição lá em cima e aqui embaixo tem uma sala de vídeo que dá para assistir as notícias ou assistir os efeitos visuais a medida que ficam prontos. E Doddie e eu temos esse sistema de edição incrível que é espelhado, então eu consigo ver exatamente o que ela está fazendo. É um equipamento tecnológico incrível. O problema é que você não pode sair, sabe? É literalmente do amanhecer até tarde da manhã, a não ser que as crianças me tirem de lá. Mas é divertido.

Grace – Você já teve que chamar suporte técnico?

Zack – Já, toda hora. Esses são os novos intervalos, nossa folga é quando um equipamento da problema, “Oh, a máquina não está funcionando, agora a gente pode ir lá fora, ou malhar”.

Grace – Falando em segredos, você mostrou sua versão para poucas pessoas e já virou uma lenda. Isso é muita pressão. O que você sente que o Snyder Cut precisa entregar?

Zack – A coisa boa sobre este processo é meio que uma incrível… é um modo que permite cineastas e roteiristas que é meio que uma afirmação que roteiristas importam, que as histórias deles são importantes. Acho que a pressão que tenho é que para ser verdadeiro. Eu sei que soa obvio, mas nós como roteiristas e cineastas temos diferentes poderes pressionando, alterando, mudando o que você está fazendo enquanto está fazendo. Mas eu acho que esse processo e esse projeto é uma verdadeira oportunidade e eu acho que o que os fãs querem é uma pura e exata versão do filme. Estou dando o meu melhor para fazer isso.

Grace – Tem muito conversa sobre continuidade do universo cinemático, isso domina a discussão de filmes de quadrinhos em geral. E alguns fãs se perguntam como ou ainda se sua versão de Liga da Justiça está relacionada com o resto da DCEU.

Zack – É uma boa pergunta. Nós filmamos o filme em 2016, então terá 5 anos de existência quando for lançado. Francamente, o universo cinematográfico da DC se espalhou como uma árvore e cresceu de uma maneira incrível. Eu sou um dos produtores de WW84, estou super animado com o que Patty fez com esse filme e vai ser incrível. Sabe, eu amo a personagem, amo a Gal, é muito próximo de mim. E isso é incrível. Você vê o que Matt está fazendo com Batman, aliás eu estou super animado, eu acho que vai ser muito interessante. Acho que ele é um ótimo cineasta. E Robert é legal. Eu sou um fã, estou animado. Mas para mim, sabe, onde o filme se encaixa, eu meio que acredito que começa como uma representação do seu próprio caminho. É meio que separado agora do que eu diria ser o universo cinematográfico da DC em continuidade. Eu acho que está meio que divergindo desse caminho. E eu acho que isso é uma coisa boa. O poder da DC e uma das coisas mais legais é o conceito de multiverso. E eles podem chamar os cineastas e falar “Nós queremos escutar você, individualmente. Pega esses personagens e nos mostre o que você quer fazer”, é meio que uma tradição em escrever quadrinhos e trabalhar com esses personagens incríveis. Acho isso legal e incrível, meio que uma tela. E para mim, acho que Liga da Justiça, eu escutei alguém dizendo “Você está entrando no Snyderverse agora”. Francamente, você tem uma noção que assistir Liga da Justiça, Batman vs Superman e Homem de Aço tem uma continuidade entre esses três filmes. Acho que meu objetivo principal é satisfazer essa estrutura narrativa.

Grace – Continuar essa história que muitas pessoas amaram. Amo que sua explicação é como quando existe essas ótimas publicações com artistas incrível, que tem visões com alguns personagens. E aí fazem essas versões artísticas incríveis com os personagens que eles estão contando a história.

Zack – É exatamente como me sinto. É só pensar que esses personagens irão viver além do que nós fazemos. Eles irão para outras aventuras, sabe-se lá onde e quando. Eu estou fazendo o que posso agora, e com esses atores incríveis, personagens e situações e cenários. Acho que sou abençoado por ter esses atores se encaixando do jeito que as pessoas se importam.

Grace – Você também os escolheu. Você fez um ótimo trabalho, vamos falar disso daqui a pouco. Falando de personagens, eu gosto muito do Superman malvado, você também gosta. Muitas pessoas, assim como o Batman, não confiam nele. Por que você acha que o lado obscuro do homem de aço é tão atraente para as pessoas e veremos mais disso no Snyder Cut?

Zack – Eu amo o Superman malvado? Não teria 100% de certeza sobre isto. Mas eu diria que amo a ideia do Superman tendo uma jornada com esse personagem. Gosto da ideia do Superman tendo que reconstruir sua moralidade, reconstruir seu lugar na Terra, reconstruir seu romance com Lois e como isso afeta o jeito que ele se relaciona com a humanidade e tudo mais. Como nós fazemos com as relações que nós temos no dia a dia. Quando você vê Superman com isso tudo ele se torna mais relacionável e mais, sabe, você pode ver… [Grace interrompe]

Grace – Para o Superman, isso é sombrio.

Zack – O que estou dizendo é que quando vejo o Superman tendo que descobrir o que fazer, eu posso ser tipo “Uau, se eu fosse o Superman”, eu posso enxergar. Porque Superman é um personagem abstrato, com os poderes, tipo o que ele é capaz de fazer. Então quando você meio que consegue trazer ele pra terra [ser mais realista], ele se torna muito mais relacionável. Acho que essa foi a questão mais interessante. Eu tenho um respeito enorme pelo código moral dele, mas o lugar central dele é no topo da pirâmide dos super-heróis da DC. No final, ele tem que
chegar lá [no topo].

Grace – Então você acha que está levando-o para lá com sua história?

Zack – Sempre me senti fazendo isso.

Grace – Eu acho que você o mostrou na forma mais poderosa, com algumas cenas tipo as de visão de calor, alguns confrontos em BvS. E também o jeito que ele é tão poderoso, com vislumbres do que vimos em Liga da Justiça, e obviamente as coisas dos pesadelos. Então eu acho que essas coisas são muito convincentes.

Zack – É engraçado que agora nós temos esse conceito de ressureição. Quem ele é agora. Quando você toca o eterno, no sentido de voltar da tumba, como nós mudamos com isso.

Grace – Tivemos muitos Batmans ao longo dos anos, mas ninguém fez um ótimo trabalho com Bruce Wayne como você e Bem Affleck. Por que você decidiu fazer muitas cenas com Bruce enquanto outros filmes focaram majoritariamente no Batman.

Zack – Não acho que foi uma decisão consciente “Oh, vamos usar o Bruce como condutor”. Acho que nesses dois filmes, BvS e Liga da Justiça, Batman é forçado a ser mais o Bruce, fazer as coisas como ele.

Grace – Lugares que apenas Bruce poderia ir.

Zack – Sim, tipo sair por aí. É difícil para Batman ir em uma festa. Mas sabe, eu acho que é incrível ver a humanidade de Bruce. Todo mundo ama o Batman, ele é fodão e pronto, mas porque dele ser assim é muito legal.

Grace – Acho que todos amam o Bruce do Ben.

Zack – Eu amo o Ben, mais que qualquer coisa.

Grace – Sua decisão do elenco realmente moldou todo DCEU. Pode ter florescido, mas você foi a semente. Acho que você fez um trabalho fantástico, e Jason Momoa e Gal Gadot foram maravilhosos. Os fãs acharam que Aquaman e Mulher-Maravilha foram injustiçados na versão dos cinemas de 2017. O que os fãs podem esperar para esses personagens na sua versão

Zack – Sabe, eu não vi a versão do cinema. Eu não tenho 100% de certeza sobre o que aconteceu no filme.

Grace – Esqueça isso, não nos importamos mais com essa versão antiga.

Zack – Se for para, sabe, comparar… mas nós estamos animados para esses, meio que dois solitários, terão que se juntar como time e como eles reagirão, o que farão. Enquanto isso, Mulher-Maravilha tem outras coisas para fazer, ela olha para o futuro, qual o lugar dela o tempo dela. É hora para ela pensar em o que ela deixou para trás em Themyscira. Tem muita coisa no ar com os dois. Também é engraçado porque o filme Aquaman é depois disso, mas WW84 é antes. Então é uma linha do tempo interessante, mas eu acho que se você olhar como uma continuidade exata acho que teriam erros. Como disse, esses filmes agora, de varias maneiras a versão do cinema de Liga da Justiça tem mais continuidade com o que eles estão fazendo com o DCEU. Por que, francamente, o filme estava comandando os elementos. E por causa disso, e  sabe, porque a Warner fez esse gesto incrível e gentil dizendo “Zack, termine sua versão” vai ser divergente de algum jeito. É natural. E eu acho que é o que querem, porque permite mais e mais.

Grace – Sim, como você disse, a DC é famosa por fazer esses quadrinhos incríveis e essas histórias incríveis com a assinatura das pessoas que fizeram. Os fãs também estão intrigados com a com o Cyborg de Ray Fisher, que não pudemos ver muito dele. Especialmente hoje em dia, com Black Lives Matter, o que você acha que expansão da historia dele, você colocará mais dos pais dele também, o que você espera adicionando isso no seu filme?

Zack – Desde o início nós queríamos fazer do Cyborg o coração do filme. Nós amamos o Ray, ele é um amigo próximo. Nós conversamos muito com ele sobre como o personagem deveria ser. Porque Cyborg tem uma jornada enorme, tipo onde ele está quando o conhecemos e onde ele está no final do filme. Ele representa, de varias formas, como é criar uma comunidade e como é unir as pessoas. Nós fizemos esse filme em 2016 e acho que esses assuntos estão mais
importantes agora do que jamais foram. É realmente incrível e divertido ser capaz de trabalhar com Ray e ser capaz de dar vida ao personagem.

Grace – E finalmente, sua interação com os fãs é imprescindível e você disse que terá mais de uma surpresa na JusticeCon esta semana. Pode falar um pouquinho?

Zack – Estou super animado com a Justice Con, é por fãs para fãs e eu não sei se existe coisa parecida nessa escala. Eu estou mais que horando em participar. Meus amigos fazem parte disso. Talvez eu mostre uma cena, uma cena pequena. Mas é talvez. TALVEZ tenha uma pequena cena. E também, talvez tenha um pequeno anuncio para fazer.

A convenção Justice Con ocorre nos dias 25 e 26 de julho. Confira a programação neste link.

Tradução: Rayanne Matos.

Sobre Willyan

Willyan Bertotto

Publicitário. Diretor de Arte, Designer e Batmaníaco. Fã incondicional da DC Comics e pesquisador assíduo desse universo e todas as suas possibilidades de transformação.

Últimas notícias