Apesar de ter elogiado as refilmagens de Liga da Justiça feitas por Joss Whedon no passado, o ator Ray Fisher, intérprete do Cyborg no filme, recentemente recuou suas posição afirmando que Whedon possuía comportamento abusivo com o elenco e a equipe no set de filmagens.

Fisher agora declarou que não irá recuar contra Joss Whedon, nem os produtores Geoff Johns e Jon Berg por supostamente terem permitido o comportamento do diretor na época.

Ray Fisher reafirmou sua posição no Twitter: “Entendo completamente os riscos pessoais e profissionais associados à minha manifestação contra o comportamento repugnante de Joss Whedon e seus facilitadores – Geoff Johns e Jon Berg.” disse o ator em eu tweet.

“Não vou ceder.

Este é um caso ‘good trouble, necessary trouble’ (problema bom, problema necessário).

Responsabilidade > Entretenimento.”

No tweet com as acusações iniciais, Fisher afirmou que o comportamento de Whedon era grosseiro, abusivo, não profissional e completamente inaceitável”. No mesmo dia, Berg argumentou que as alegações do ator eram “categoricamente falsas”. Mais tarde, Fisher declarou que o ‘Acordo de Não Divulgação’ em seu contrato o impedia de divulgar mais detalhes em relação a conduta de Whedon.

A versão do diretor Zack Snyder, de Liga da Justiça, estreia no streaming HBO Max em 2021.

Sobre João

João Pedro

Designer e ilustrador (DC me contrata por favor!), fanboy do Batman e da Mulher-Maravilha mas meio atrasado que nem Barry Allen. Acredito no poder transformador da cultura pop e espero conseguirmos fazer a diferença por aqui!

Últimas notícias