O Cyborg de ‘Liga da Justiça’ do diretor Zack Snyder, Ray Fisher, emitiu uma nova declaração destacando alegações específicas contra os executivos da Warner Bros. Pictures, Geoff Johns, Toby Emmerich e Jon Berg.

Fisher recentemente comentou que o trio de executivos da WB são os culpados pelos abusos e maus tratos durante a produção cinematográfica do filme ‘Liga da Justiça’ sob a direção de Joss Whedon. Confira o que disse o ator:

“Antes das refilmagens da Liga da Justiça de 2017, conversas discriminatórias de cunho racista foram realizadas e entretidas em várias ocasiões pelos executivos da Warner Bros. Pictures: Toby Emmerich, Geoff Johns e Jon Berg.

Se eu tivesse conhecimento dessas conversas no momento, eu teria os abordado na hora. No entanto, foi só no verão [dos EUA] de 2020, que os indivíduos que estavam nessas reuniões se sentiram confortáveis em compartilhar comigo o que haviam testemunhado em primeira mão.

Quando se trata de assuntos envolvendo raça, eu sempre tento dar o benefício da dúvida para aqueles que podem ser ignorantes de seus próprios preconceitos. Mas quando você tem executivos de estúdio (particularmente Geoff Johns) dizendo: “não podemos ter um negro irritado no centro do filme” – e então esses executivos usam o seu poder para reduzir e remover todos os negros desse filme- eles não têm mais direito a qualquer benefício associado à dúvida.

Toby, Geoff e Jon não ignoravam seus preconceitos. Eles entenderam muito bem que a retórica racista que escolheram para entreter nessas reuniões. Algo ofensivo, discriminatório e inaceitável. Além disso, eles não se atreveram a falar essas coisas para mim, nem qualquer outra pessoa negra associada ao filme. Em vez disso, eles escolheram a rota covarde de gaslighting- com pedidos extremamente problemáticos, como me solicitar para “fazer o Cyborg como o Quasimodo”; e forçando uma cena a ser refilmada para que pudessem destacar a existência do pênis do Cyborg.

Infelizmente, esses foram apenas alguns dos problemas.

Sabemos agora que a liderança da Warner Bros. Pictures mentiu para o elenco e para a equipe da Liga da Justiça (e para o mundo) sobre Zack Snyder escolher Joss Whedon para terminar o seu filme.

A verdade continuará a se revelar. E como ele faz, provavelmente haverá tentativas de transferir a culpa de forma completa para Kevin Tsujihara e Joss Whedon. Mas não se engane, Geoff Johns trabalhou intimamente com Joss para revisar todo o roteiro de ‘Liga da Justiça’. E embora Geoff não tenha sido creditado como co-roteirista do filme, ele foi certamente um executor da discriminação racial que ocorreu durante suas conversas com Toby e Jon.

A Liga da Justiça de Zack Snyder é a prova e a oposição a essa discriminação.

Estou em dívida com os participantes da investigação de ‘Liga da Justiça’. Eles se colocaram em grande risco para compartilhar a verdade. Eu devo isso a eles; Devo isso aos meus pares nesta indústria; e devo a todos os negros por manter o curso.

Responsabilidade > Entretenimento. Avante. Gratidão. Ray

PS – Walter Hamada deve desculpas a todos os participantes da investigação de ‘Liga da Justiça’.

“Não importa o quão forte suas opiniões são. Se você não usar seu poder para mudanças positivas, você é, de fato, parte do problema.” – Coretta Scott King

Essa carta, que praticamente é um desabafo do ator, certamente adicionará mais combustível ao fogo desse debate sobre a busca de Ray Fisher para trazer a luz a “Responsabilidade” sobre o “Entretenimento” (como ele assina sempre suas declarações).

O personagem de Ray, o Cyborg, estará em ‘Liga da Justiça Snyder Cut’, que chegará ao Brasil no dia 18 de março pelas plataformas: Apple TV, Claro, Google Play, Looke, Microsoft, Playstation, Sky, Uol Play, Vivo e WatchBr. O filme ficará disponível para aluguel até o dia 7 de abril.

Sobre Willyan

Willyan Bertotto

Publicitário. Diretor de Arte, Designer e Batmaníaco. Fã incondicional da DC Comics e pesquisador assíduo desse universo e todas as suas possibilidades de transformação.

Últimas notícias