Não é novidade que Aquaman é um cara marrento, difícil de conquistar confiança, e isso irá refletir na relação do personagem com o restante da Liga, especialmente com Cyborg. O trailer já entrega que com o tempo essa relação se desenvolve, mas é um caminho árduo até então.

O Herdeiro de Atlântida é cético quanto à equipe de heróis, e será difícil convencê-lo a se unir ao grupo e principalmente confiar em seus integrantes, Cyborg é o maior empecilho para que isso aconteça já que aparenta guardar muitos segredos.

Segundo Jason Momoa, o mesmo acontece com o Batman:

Eu e Cyborg não nos damos bem. Eu não confio nele e o deixo de lado sempre. Com o tempo isso vai mudando. É a mesma coisa com Bruce Wayne, no começo eu não compro a ideia do Batman.

Veremos atritos entre Batman e Aquaman logo no inicio do filme, pois Bruce Wayne terá problemas em recrutar o herói.

Ray Fisher, ator que interpreta Cyborg, deu seu ponto de vista sobre essa relação entre os heróis.

Eu acho que há um reconhecimento entre eles onde eles podem não necessariamente se dar bem ou confiar uns nos outros no início, mas é isso quando você vê alguém que é como você, e quando se recusa a conhecer, criar esse tipo de conflito entre eles. Ao mesmo tempo há também um nível de respeito muito profundo”.

 

“O passeio ainda não terminou.”

Os dois heróis sabem o que é ser dividido entre dois mundos, e isso pode ser a motivação que irá uni-los no final. Será interessante ver como Aquaman e Cyborg funcionam através de seus problemas na tela, mas fora da tela, o elenco inteiro parece se dar bem. Momoa descreve o ator de Flash, Ezra Miller, “como um irmão mais novo” e chama a Mulher-Maravilha, Gal Gadot, de “literalmente, um dos mais belos seres humanos que já existiu”.

Veremos os heróis reunidos em Liga da Justiça que estreia 16 de novembro nos cinemas.

Leia mais sobre Liga da Justiça.

Sobre Rebeca

Rebeca Vilas Boas

Uma deusa, uma louca, uma feiticeira.

Últimas notícias