Completando 80 anos de sua criação no ano de 2020, o Lanterna Verde e sua vasta mitologia carregam um grande peso dentro do grande acervo da DC Comics. Entre sagas e aventuras, Hal Jordan e a Tropa de dos Lanternas coletam inúmeras histórias consideradas clássicas para qualquer fã da editora, e aqui, reunimos alguns exemplos que reforçam a importância do herói, e celebra 80 anos de triunfo.

Essenciais:

DC: A Nova Fronteira – A visão da DC sobre a Guerra Fria, A Nova Fronteira é dita por muitos como uma das melhores histórias em quadrinhos já escrita. Mesmo não sendo uma história solo do Lanterna Verde, Hal Jordan claramente é a estrela, e nas mãos do escritor Darwin Cooke, o piloto da Era de Prata ganha um papel de importância e relevância que serve de exemplo para colocá-lo como membro essencial na Liga da Justiça.

Lanterna Verde: Amanhecer Esmeralda (Emerald Dawn) – Minissérie que revisita as origens de Hal Jordan, Amanhecer Esmeralda I & II, reconta as origens do piloto e serve de pontapé inicial para tudo que veio a ser pavimentado pelo herói e a Tropa nas seguintes décadas. Criado por Keith Giffen e Gerad Jones, a primeira edição apresenta como Jordan consegue o anel do poder, já a segunda parte mostra Hal aos cuidados de seu até então mentor, Sinestro, antes do vilão se tornar seu grande arqui-inimigo.

Lanterna Verde por Geoff Johns – Conhecida por fãs como a melhor saga do Lanterna Verde, Geoff Johns chega nas revistas do herói com propriedade, propondo mudanças necessárias e fazendo história ao longo do caminho. Geoff trouxe os Lanternas de volta ao mapa e redefiniu as histórias do herói para a geração atual, alavancando a relevância para novos picos e trazendo repercussões que duram até hoje.

Sagas marcantes

A Noite mais Densa – Geoff Johns dando seu nome novamente para outra saga icônica do herói intergaláctico. Em Blackest Night, seus heróis favoritos do Multiverso DC enfrentam Nekron, a personificação da morte, que ressuscita heróis mortos de forma grotesca e sem pudor. O protagonismo dos Lanternas é bem claro durante a saga, que se inicia com uma antiga profecia do livro de Oa, a escritura sagrada dos Guardiões do Universo, se tornando realidade e atingindo a Tropa dos Lanternas verde e a Liga da Justiça com força total. Considerada um dos maiores clássicos do herói, a saga foi desenhada pelo brasileiro Ivan Reis.

Guerra dos Anéis – A Guerra Sinestro consegue alcançar níveis inimagináveis. Novamente escrita por Geoff Johns, a HQ que mais parece um roteiro de filme de ação é uma das histórias mais puras no acervo da Tropa dos Lanternas Verde, inteiramente contada com os Lanternas, a saga é repleta de monstros gigantes, reviravoltas chocantes e coloca Hal Jordan, mais uma vez, no centro de tudo, lugar onde ele jamais deveria ter saído.

Cavaleiros Esmeralda – Conhecida como uma das histórias mais marcantes protagonizadas pelo lanterna Kyle Rayner, cavaleiros Esmeralda forma uma dupla inesperada quando Hal Jordan, em um momento complicado em sua carreira, após a perda de seu melhor amigo, sofre desconfiança de seus colegas na tropa, enquanto Kyle se sente ofuscado por Jordan e seu retorno. Os heróis são obrigados a trabalhar juntos, colocando Hal Jordan no papel de mentor.

Sagas que merecem atenção

Lanterna Verde Terra Um – Fazendo parte de uma linha de revistas que apresenta versões alternativas das origens dos heróis mais famosos da editora, Terra Um foi uma grande surpresa positiva para os fãs do herói. Modernizando a história de Hal Jordan, Corina Bechko e Gabriel Hardman já começam com o personagem no espaço, como um astronauta que minera asteroides. Seu encontro com o destino acontece por acaso, quando Jordan encontra um Lanterna e um Anel, que ele descobre pertencer a já falecida Tropa dos Lanternas Verdes, colocando Jordan em uma posição inesperada: restabelecer a Tropa. A saga foi elogiada pela ambição e cores únicas do artista Jordan Boyd.

Lanterna Verde/Arqueiro Verde – Lendas do Universo DC, a coletânea de histórias do Lanterna Verde com o Arqueiro Verde são o mais próximo que a DC já chegou da realidade. Conhecida por ser uma das poucos a tratar dos problemas da vida real. Unir dois personagens tão distintos foi uma surpresa favorável para a editora nos anos 70, onde Hal Jordan passava por um grande momento de popularidade. A coleção foi criada por Dennis O’Neal e desenhada por Neal Adams, e traziam os heróis tratando de problemas sérios e mundanos. Foi nessa coletânea, que a polêmica edição com Roy Harper, o ajudante do Arqueiro, esteve viciado em drogas.

Far Sector – Fugindo das indicações com Hal Jordan, Far Sector é um título introduzido pela DC’s Young Animal, selo indie da DC. Na revista, somos apresentados a Jo Mullein, a mais nova protetora de City Enduring. Escrita por N.K. Jamisin, a HQ triunfa em apresentar um rosto novo e cheio de atitude para a Tropa, conquistando milhares de fãs desde o seu lançamento, a história de Jo começa aqui com artes de tirar o fôlego do artista Jamal Campbell.

Outras mídias

Ao longo dos anos, inúmeras produções originais surgiram para adaptar alguma parte do legado do herói para outras mídias. Em destaque, Lanterna Verde: Primeiro Voo, filme animado de 2009, foi a primeira produção solo do Lanterna para a DC Animation. Adaptando os primeiros passos de Jordan com o anel, o filme animado foi seguido pelo ambicioso Lanterna Verde, uma produção em live-Action protagonizada por Ryan Reynolds e lançada em 2011 pela Warner Bros. Recebido por muitas críticas, o filme falha na hora de capturar a essência que faz o herói e sua Tropa tão importante para a mitologia do Universo DC. Mas nem tudo pode ser jogado fora, para quem tem curiosidade, o filme mostra o planeta Oa, o lar dos Guardiões, dando um gostinho do que possíveis produções do herói podem entregar no futuro.

Hal Jordan também tem uma série animada chamada Lanterna Verde: A Série Animada, uma produção de 2 temporadas exibida pelo Cartoon Network, que focava nas primeiras aventuras de Hal e seu time com a Tropa dos Lanternas Verde.

Sobre Juan

Juan Almeida

"Lembrai, lembrai, o cinco de novembro. A pólvora, a traição e o ardil; por isso não vejo porque esquecer; uma traição de pólvora tão vil" - “V for Vendetta”

Últimas notícias