Dia Internacional da Mulher | As mulheres reais por traz das heroínas

Com frequência fazemos matérias especiais sobre personagens femininas e girl power, e falamos pouco das mulheres que interpretam, dão voz e vida as personagens icônicas dos quadrinhos e animações. Poderia citar a Gal Gadot, com sua breve presença na ONU, sua carreira e visitas a hospitais infantis vestida de Mulher-Maravilha. Mas a DC Entertainment tem uma lista enorme de mulheres incríveis representando as nossas queridas personagens. Essas mulheres são extremamente fortes, inteligentes e influentes e usam todo esse poder pra tornar o mundo real um lugar melhor.

Shethority

Perceberam como aumentou o protagonismo e o número de mulheres no universo de séries da The CW? Pois é, elas também perceberam, e resolveram se unir criando a plataforma “Shethority”. Já demos um introdução sobre ela em seu lançamento, você pode conferir aqui. Na plataforma as atrizes falam sobre suas experiências e compartilham realizações de outras mulheres, sejam elas cis, trans e pessoas não binárias que são significativamente identificadas por mulheres, se descrevem como uma “comunidade para todos que desejam fazer parte do movimento em direção à igualdade, independentemente de gênero, sexualidade, religião, raça ou etnia”. Os lucros conseguidos com as vendas dos produtos da marca são revertidos para a Girls Inc. organização sem fins lucrativos destinada a formação e ao desenvolvimento de garotas, a serem mais “fortes, inteligentes e ousadas”.

Dentro do site há diversos relatos sobre aceitação, empoderamento, ansiedade, abuso mas principalmente sobre sororidade.

Melissa Benoist

Nossa Supergirl também participa do Shethority, engajada socialmente usa suas redes sociais para incentivo ao voto e também conscientização sobre saúde mental. Ela e seu esposo o ator Chris Wood, que interpreta Mon-El em Supergirl criaram a campanha “I Don’t Mind” (Eu não me importo) que tem como objetivo combater essencialmente a vergonha e o medo que cercam as doenças mentais e trazer esperança às pessoas que precisam. Todos os ganhos da campanha são entregues à NAMI, National Alliance on Mental Illness (Aliança Nacional/Americana sobre Doenças Mentais).

No ano passado, Melissa compartilhou seu relato de violência doméstica sofrida em um relacionamento anterior, desde o início com agressões psicológicas até o fatídico episódio em que teve seu rosto e córnea machucados de uma forma que afetaria sua visão para sempre. É possível notar que a atriz tem uma de suas pupilas dilatadas.

Ter coragem de compartilhar sua experiência ajuda com que outras pessoas percebam a situação e tenham o incentivo inicial para sair de um relacionamento abusivo.

Viola Davis

A atriz que viveu Amanda Waller nos cinemas é um exemplo de ser humano.  Vencedora do Oscar, SAG, Globo de Ouro e outros diversos prêmios, Viola Davis é formada em teatro e com doutorado honorário em Belas Artes. Extremamente influente, seus discursos em premiações sempre pontuam a participação feminina e negra em papéis de destaque. E Viola não fica só no discurso, em 2011 impediu o fechamento da biblioteca de sua cidade natal, em Central Falls, Rhode Island. Desde 2014 é colaboradora da campanha “WhyHunger” de erradicação da fome infantil, esse é um tema que está diretamente ligado a sua infância, a qual afirmou que já dormiu diversas vezes com fome, vasculhou lixo e roubava da loja local para ter o que comer.

Ainda em sua cidade natal, em 2016, participou de um centro de saúde comunitário, o “Vaseline Healing Project”, que fornece cuidados dermatológicos para ajudar a curar a pele das pessoas afetadas pela pobreza no mundo.

Palestrante nos eventos da Marcha das Mulheres de 2018 em Los Angeles, atualmente Viola Davis apoia aproximadamente 10 instituições de caridade que envolvem desde incentivos a cultura, direitos civis a saúde e assistência a desastres.

Amy Adams

Lois Lane nos cinemas desde Homem de Aço, Amy Adams é atriz, cantora e apoiadora das artes. Amy contribui para a “Actors Fund of America” que ajuda todos os profissionais em artes cênicas e entretenimento. Uma rede de segurança, fornecendo programas e serviços para quem precisa, que esteja em crise ou transição.

Segundo a organização “Look to the Stars”, Adams está envolvida em 17 causas, entre elas estão: Adoção, Fomento, Órfãos , AIDS e HIV , Jovens em Risco / Desfavorecidos , Crianças , Direitos Civis , Artes Criativas , Depressão e Suicídio , Educação , Apoio à Família / Pais , Saúde , Direitos Humanos , Fome , Apoio LGBT , Paz , Pobreza , Educação do Eleitor.

Entre as instituições apoiadas pela atriz está a “LeBron James Family Foundation“, que tem como objetivo mudar a vida de crianças e jovens adultos por meio de iniciativas educacionais.

Jurnee Smollett-Bell

Nossa incrível Canário Negro em Aves de Rapina, Jurnee Smollett-Bel, desde os 12 anos faz parte do Conselho de Diretores de Artistas da Nova África do Sul (ANSA), uma importante organização criada em 1989 para apoiar a busca pelo fim do apartheid. Após o fim do apartheid, a ANSA continua a trabalhar nos EUA e na África para combater o HIV e promover os direitos humanos.

Jurnee também é apoiadora  do “Fundo de Defesa da Criança”, que dá atenção às necessidades das crianças pobres e minoritárias e das pessoas com deficiência, e do “Fundo Nelson Mandela para Crianças”, que visa a promoção dos direitos das crianças e jovens através da influência de políticas públicas e conscientização social.

Anne Hathaway

Mulher Gato em ‘Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge’, Anne Hathaway é extremamente ativa em causas sociais, homenageada pelos direitos das mulheres, pelo tributo “Women in Hollywood”  da revista Elle e pela “The Step Up Women’s Network“, uma organização estadunidense sem fins lucrativos dedicada a conectar e promover mulheres e meninas.

Nos primeiros anos de sua carreira participou do “The Lollipop Theatre Network” , uma organização  dedicada a levar a experiência dos cinemas para crianças confinadas em hospitais devido a doenças crônicas ou com risco de vida. Hathaway também contribui para pesquisas e tratamentos de doenças catastróficas infantis pela  “St. Jude Children’s Research Hospital” .

Desde os 15 anos, ela defende a orientação sexual de seu irmão e, em 2007, discursou na gala da “The Human Rights Campaign” , o maior grupo de defesa de lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros e no comitê de ação política nos Estados Unidos. Em 2012, após seu casamento, Hathaway anunciou que dividiria o dinheiro arrecadado com a venda das fotos do casamento entre a “Freedom to Marry” – que faz campanha para que casais gays tenham o direito de se casar – e as organizações “American Cancer Society” de prevenção ao câncer , “St. Jude Children’s Research Hospital” e “The Girl Effect“,  organização sem fins lucrativos que ajuda jovens em situação de pobreza.

Isso é só uma parte das contribuições da atriz que, como vegana, também se preocupa com os direitos dos animais.

Poderia estender ainda mais essa lista, falando como China Anne McClain (Rajada em Raio Negro) participa de programas contra o bullying, como a Margot Robbie (Arlequina) ajuda instituições australianas ambientais e para jovens com deficiências, ou Rosario Dawson, que dublou diversas animações, é engajada em movimentos de direitos latinos e das mulheres. É uma lista extensa de atrizes que tem seu lado heroico fora das telas e que são mulheres realmente maravilhosas.

Feliz Dia Internacional da Mulher!

Rebeca Vilas Boas

Rebeca Vilas Boas

Uma deusa, uma louca, uma feiticeira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *