A franquia de filmes da Warner Bros. e DC segue atualmente um caminho diferente, com maior ênfase nos filmes solo, e conforme o ScreenRant, Jim Lee seria o homem que supervisionaria seus projetos no futuro.

O estúdio já produziu inúmeras adaptações de quadrinhos nos cinemas, mas seus planos para uma franquia conectada, semelhante ao MCU da Marvel Studios só começaram em 2013 através do diretor Zack Snyder e do filme “Man of Steel” de Henry Cavill, que deu início ao DCEU. Desde então, eles lançaram vários outros filmes na esperança de construir seu próprio universo. Infelizmente, as coisas não correram tão bem quanto esperavam que fosse.

Embora os filmes tenham se saído bem nas bilheterias, a maioria deles teve a crítica divida. Em meio a tudo isso, a Warner Bros realizou os ajustes necessários para garantir que eles tenham uma estratégia sustentável pela frente, que envolve justamente desviar dessa conectividade. Em vez disso, projetos individuais são prioridades com vários deles já em planejamento. Enquanto o estúdio continua trabalhando nas propostas, parece que Lee seria o homem que os levaria a essa nova era dos filmes da DC.

Após a aparição do Flash de Ezra Miller no crossover ‘Crise nas Infinitas Terras’, onde ele conheceu sua contraparte interpretada por Grant Gustin, o produtor executivo da Arrowverse, Marc Guggenheim, foi questionado sobre como eles foram são capazes de fazer esse feito. Em uma entrevista à Variety, o showrunner foi perguntado se os eventos do especial de TV significam que o filme Flash de Ezra não existe mais, considerando que abordar o Multiverso era garantir que houvesse apenas uma versão de cada herói. Guggenheim se recusou a comentar sobre e, em vez disso, direcionou consultas ao estúdio e, surpreendentemente, ao Lee. “Vou deixar essa pergunta para a Warner Bros. e a DC. Eles têm uma visão maravilhosa não apenas do Flash de Ezra, mas também de todo o universo da DC. Jim Lee é o homem com quem conversar”, disse ele.

Embora Guggenheim não tenha dito diretamente que Lee é o responsável criativo da franquia de filmes da DC, sua resposta implica que ele tem conhecimento de como a Warner Bros. está planejando abordar seu universo cinematográfico. Lee começou como artista de quadrinhos da Marvel em 1987, mas é conhecido principalmente por seu trabalho na DC. Lá, ao lado de Geoff Johns, lançou “Os Novos 52”, reiniciando o universo das HQs da editora. Atualmente, Lee é o diretor de criação da DC Comics, por coincidência, um cargo anteriormente ocupado por Johns antes de deixar a posição em 2018. Vale a pena perceber, no entanto, que Walter Hamada ainda é o presidente da produção de filmes da DC, o que lhe dá autoridade sobre que tipo de projetos têm luz verde para iniciar.

Tudo isso dito, a posição da Hamada não significa que não há espaço para Lee, pois eles podem desempenhar diferentes funções na organização. À medida que a Hamada supervisiona mais o lado comercial, atuando como produtor, Lee pode se concentrar no lado criativo das operações. Enquanto a Marvel Studios tem Kevin Feige fazendo os dois papéis para o MCU, a Warner Bros. e a DC podem estruturar sua formação executiva de uma maneira que funcione melhor para eles.

Sobre Willyan

Willyan Bertotto

Publicitário. Diretor de Arte, Designer e Batmaníaco. Fã incondicional da DC Comics e pesquisador assíduo desse universo e todas as suas possibilidades de transformação.

Últimas notícias