Dos mesmos criadores do Batman, Bill Finger e Bob Kane, e pelo artista Jerry Robinson, o Coringa coleciona maldades nas mais diversas mídias desde que foi apresentado nas hq’s em 1940. Às vésperas de completar 80 anos, o vilão ganha um filme próprio, estrelado por Joaquin Phoenix e dirigido por Todd Phillips, aclamado em festivais, e com a promessa de uma boa dose de insanidade. No Brasil, o longa recebeu a classificação indicativa de não recomendado para menores de 16 anos.

Mas, como sua atuação não está restrita apenas ao que veremos no novo filme, é hora de evocar a figura de um famoso personagem detetivesco e encontrar planos mirabolantes, motivações um tanto deslocadas e situações inusitadas dessa figura emblemática chamada Coringa. Algumas delas dignas de um bom Ha Ha Ha, e acessíveis para quem ainda não vai ver o filme.

Pequena Gotham (2013)

A HQ reúne curtas histórias com os mais diversos personagens do universo DC em meio a dias especiais do calendário. Em um deles, durante o Dia dos Namorados, o palhaço de cabelos verdes é apresentado como uma espécie de Grinch, acuado pela data comemorativa e a investida romântica de sua parceira, a Arlequina. Não somente a situação como os traços de Dustin Nguyen para o Pudinzinho permitem sua relação com o personagem mais infeliz com a época de Natal de toda a história.

Em Pequena Gotham, Coringa está insatisfeito com a sua condição do que chama ser “prisioneiro do amor da Arlequina”, tanto que escapa para as ruas de Gotham decidido a encontrar um meio de promover uma grande piada, escolher quem ama quem no dia do amor, para com assim atrapalhar os enamorados ou tornar-se um cupido às avessas. Para articular o seu plano, parte em busca de uma poção original de outra famosa personagem, fazendo com isso o mais incontrolável impulso amoroso tomar conta da cidade e dos quadros seguintes.

Batman (1966)

Esta lista não poderia deixar de citar o Coringa interpretado por Cesar Romero da extravagante série de televisão dos anos 60. Entre as perseguições, ameaças de bomba e onomatopeias, é importante destacar um momento icônico entre os muitos vividos pelo vilão.

Em um dia de sol, vestindo uma estilosa bermuda por cima do seu famoso traje, o Coringa enfrenta o Homem-Morcego em uma disputa de surf para o delírio da sua torcida, que deixada levar pelo calor da emoção um integrante erra até mesmo o nome do adversário do dono do mais irado repelente de tubarão, não é mesmo Charada? Em vantagem, ao menos pela análise de quem viu da praia a exibição, o Coringa sai da água também confirmando sua vitória. Atualmente, o seriado Batman é exibido pela Rede Brasil de Televisão.

Batman Noel (2014)

Na obra de Lee Bermejo, o Cavaleiro das Trevas é associado ao famoso personagem Scrooge, criado por Charles Dickens na história “Um Conto de Natal”. Um homem frio, assim como a gelada e cinza Gotham das páginas coloridas por Barbara Ciardo. Entre trechos da fábula uma história do Batman é contada quadro a quadro, logo no início é lido o fato, via uma página do periódico The Gotham City Gazette levada pela ventania, que o Coringa está solto. E é isso que vai conduzir a narrativa, com um vigilante adoecendo, obcecado e desmedido para capturar o vilão ao mesmo tempo que surgem pontos de casamento bem sucedido com a obra de Dickens.

Como um dos fantasmas que assombra Scrooge, o Coringa pode ser visto em Batman Noel como a última chance para redimir ou acordar um homem preso a suas individualidades. Se num primeiro momento sua inconsequência desperta a insanidade de um Batman disposto até mesmo a assustar uma criança numa noite de Natal, apenas para que ela tenha medo de se tornar um bandido no futuro, depois entendemos mais uma vez o Coringa como um acontecimento necessário para que o Homem-Morcego entenda o seu papel, ainda mais em uma data tão significativa.

Batman – O Retorno da Dupla Dinâmica (2016)

Santo seriado! Após 50 anos da estreia na tv, as principais características do programa retornam na animação dirigida por Rick Morales, inclusive algumas das famosas vozes, como dos protagonistas Batman e Robin. O ator Cesar Romero, intérprete do Coringa, já havia falecido.

The Joker surge acompanhado do trio de vilões Pinguim, Charada e Mulher-Gato, em uma trama cheia de reviravoltas. Munidos de uma poderosa arma o grupo é perseguido pelas ruas de Gotham enquanto o engenhoso veículo do Coringa, dirigido pelo próprio, tenta despistar o Batmóvel e a dupla dinâmica.

É interessante notar que entre uma gargalhada e outra, e são muitas, há uma certa dose de filosofia que acompanha o humor insano dessa versão do Palhaço do Crime. Afinal, desde que a piada seja engraçada, ele não se importa, como o mesmo diz.

“Por que ovos não contam piadas? Porque eles se racham de rir”

Um Coringa que diz querer governar das estrelas, enquanto uma Gotham é atormentada pelo seu maior protetor, mesmo que sob o efeito de um poder que ele não esperava.

E assim, entre uma peripécia e outra, enquanto vilões escolhem tomar para si objetos de cifras incalculáveis, o Coringa leva consigo um quadro aparentemente comum, quando contestado, diz:

“O valor de uma obra de arte não está em quanto ela custa, mas no sentimento que ela provoca.”

Como contrariá-lo?

Lego Batman – O Filme – Super-Heróis se Unem (2013)

Referências a obras da sétima arte, uma boa dose de crítica aos meios de comunicação em massa, mais especificamente a tv, ao menos é o que avisa nosso gracioso Coringa versão bonequinho de Lego, “televisão em excesso faz mal.”

Todo visual de Lego Batman é incrível, com direção de Jon Burton e roteiro de David Goodman, o filme não é um passatempo qualquer. Em tempos de eleições influenciadas pelas redes sociais e outros fatores, no longa animado Lex Luthor é um candidato à presidência desacreditado pelas pesquisas. E é em um Coringa como principal cabo eleitoral que o empresário lança suas fichas para alcançar o posto.

Ele que remodelou prédios, fez bancos se livrar de tralhas, e o Prêmio de Homem do Ano vai para…

Um Coringa que gargalha sua vilania com método e ações performáticas, um artista palhaço que contradiz sua regra e se encanta com a sua exposição na TV, que desiste de se lançar como vice-presidente. Preso a um cargo ou pressionado a dar um fim em seu rival não são os melhores lugares do personagem, afinal com quem ele vai brincar se o morcego morrer?

A maior piada é essa, no ano em que o Batman comemora seu 80º aniversário, quem ganha o filme solo é o Coringa.

Sobre Leonardo

Leonardo Henrique

Me apresento da não tão distante Ribeirão Pires City, minha residência oficial desde que nasci. Formado em artes cênicas pela ELT e, recentemente, em jornalismo. Em tempos de Crise Infinita o momento exige Multiversões de si mesmo. Acreditem, não é uma Piada Mortal, isso foi apenas uma veloz apresentação. Se o caso é parar um asteroide, resolver um mistério ou acabar com uma guerra sabemos quem se deve ter por perto. Para informações sobre a DC este é o lugar…

Últimas notícias