8 de março: as mulheres nos quadrinhos e fora deles

    Já são anos de contribuições das mulheres para o mundo e cultura pop, e é extremamente importante reconhecer e incentivar mulheres a alcançarem cada vez mais espaço, garantindo pluralidade de ideias e visões diferentes dos personagens que resultam em histórias ricas e diversas. E nesse 8 de março vamos indicar algumas obras protagonizadas e escritas e/ou ilustradas por mulheres.

    Arlequina: Quebrando Vidraças – Mariko Tamaki

    Essa preciosidade da linha DC Teens garantiu a Mariko Tamaki o prêmio Eisner 2020 de melhor roteirista. A autora consegue de uma forma única escrever sobre questões da adolescência e amadurecimento, tanto que é responsável pela graphic novel I am Not Starfire” que conta como é a busca e construção de uma identidade própria quando se é a filha de uma super-heroína. Em “Arlequina: Quebrando Vidraças” vemos uma nova versão da personagem que a cada dia tem mais espaço na DC, dessa vez como uma adolescente louquinha e fofa, que também tem um senso de justiça questionável, e constrói uma nova família cercada de drag queens que seguram uma barra atrás da outra devido a gentrificação das periferias de Gothan.

     

    Lanterna Verde: Setor Final  – N. K. Jemisin

    Jemisin é uma escritora de ficção cientifica, que inclusive é uma modalidade de literatura inventada por uma mulher (Mary Shelley), e Jemisin recebeu nada menos que o Prêmio Nebula e Prêmio Hugo, que são referências em obras de ficção cientifica. Do selo Young Animal! essa história bebe na fonte do afrofuturismo e investe em questões de direitos humanos e violência policial enquanto explora relações pessoais e saúde mental.

     

    Patrulha do Destino de Rachel Pollack Omnibus

    A Patrulha do Destino é reconhecida pela excentricidade e complexidade de seus personagens, principalmente de suas personagens femininas. A escritora especialista em ficção cientifica e mistério, Rachel Pollack, foi responsável por histórias memoráveis da Patrulha do Destino, ilustrado por Linda Medley, o encadernado reúne Doom Patrol #64-87, Doom Patrol Annual #2, Totems #1 e Vertigo Jam #1. Rachel direciona os personagens por novos caminhos e aborda questões sociais de formas “pouco convencionais” como só a Patrulha do Destino seria capaz.

     

    Power Girl: Old Friends – Lilah Sturges

    Lilah Sturges é uma autora de fantasia e mistério que é uma das pessoas responsáveis por essa edição de Power Girl, repleta de historinhas aventurescas. Poderosa enfrenta vários desafios, de dinossauros robóticos ao vilão Maxwell Lord no volume final de sua série solo coletando os números #19-27(2009).

     

    Mulher-Maravilha

    Essa personagem já é dona da casa com direito a filme próprio e seria impossível passar essa lista sem mencionar a Mulher-Maravilha. Vamos indicar não uma, nem duas ou três, mas sim QUATRO obras da personagem.

     

    Mulher-Maravilha: A verdadeira amazona – Jill Thompson

    Jill Thompson é uma roteirista, colorista e ilustradora de histórias em quadrinhos. Dona de um traço bem característico já trabalhou em obras como Sandman e Monstro do Pântano. Vencedora do Eisner de Melhor Pintor/Artista Multimídia, escreveu e ilustrou “Mulher-Maravilha: A Verdadeira Amazona”. Em um volume único a história foca em mostrar a vida de princesa na ilha de Themyscira e mostra uma imagem diferente de Diana e do que estamos acostumados a ler e imaginar.

    Núbia: Pra Valer – L.L. McKinney

    Leatrice “Elle” McKinney é especializada em leitura para jovens adultos e coloca toda sua essência em Núbia, ilustrada por Robyn Brooke Smith. Mais uma pra conta da DC Teens! A irmã gêmea da Mulher-Maravilha, separadas ao nascimento está tentando se encaixar na sociedade enquanto se descobre como uma super-heroína mesmo que a sociedade tente a convencer do contrário.

     

    Wonder Woman Historia: The Amazons #1 – Kelly Sue DeConnick

    DeConnick é especialista em mulheres fortes e nada mais justo que ter a liberdade de escrever a origem das amazonas pelo selo DC Black Label. O quadrinho é um BOOM visual, repleto de cores e detalhes enquanto se desenvolve toda a mitologia das amazonas.

     

    Menção Especial

    Mulher-Maravilha (2009) – Lauren Montgomery

    A animação que adapta a história de origem clássica da Mulher-Maravilha, sem dúvida traz um dos melhores clímax das animações da DC, uma cena épica de batalha contra Ares, com direito a emergir do submundo as amazonas mortas em batalha. Dirigida por Lauren Montgomery, que já vem trabalhando em animações da DC a muito tempo, entre elas é responsável por Liga da Justiça: Crise em Duas Terras e Liga da Justiça: A Legião do Mal.

    Rebeca Vilas Boas
    Rebeca Vilas Boashttps://terraverso.com.br
    Uma deusa, uma louca, uma feiticeira.

    Deixe seu comentário

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    Você pode gostar

    Siga-nos

    24,169FãsCurtir
    15,600SeguidoresSeguir
    19,530SeguidoresSeguir

    Últimas Postagens