Finalmente a segunda parte da quinta temporada de Lucifer chegou na Netflix, finalizando o arco que foi iniciado com a chegada de Miguel na Terra. E não se preocupe, esse não é o final da série, já que a sexta temporada está confirmada para ser a última.

Essa crítica não terá spoilers, caso não tenha terminado de assistir aos novos episódios, pode ficar tranquilo.

Ao final da primeira parte dessa temporada tivemos a chegada de Deus, que por anos nunca deus as caras na série. E seu envolvimento nos novos episódio era justamente o toque que faltava para que Lucifer saísse um pouco da mesmice e se renovasse, mas se mantendo no padrão e formato que acompanhamos há tanto tempo.

Inclusive é por causa desse personagem que temos, na opinião de quem escreve, um dos melhores episódio dessa temporada, e talvez da série: o tão aguardado musical. Algo que poderia não se encaixar em uma série como Lucifer, faz total sentido aqui! Ver os personagens cantando e dançando sem motivo realmente traz um brilho diferente para a temporada, e é interessante para ver os outros talentos do elenco da série.

Nos oito novos episódios, enquanto seguimos a normalidade da série resolvendo crimes com a polícia de Los Angeles, em paralelo uma briga celestial está acontecendo, novamente por causa de Deus. Isso porque ele decidiu se aposentar, então Lucifer e Miguel entram em uma luta para decidir quem será o próximo no cargo do pai. E finalmente temos anjos em peso na série, mostrando mais da família celestial que tanto era falado e pouco mostrada até agora. O que é uma ótima notícia para a série a para os fãs!

O assunto principal dessa temporada é família, todos os personagens tem suas tramas firmemente entrelaçadas com algo relacionado a família. Seja uma família 100% humana como Linda e seus filhos, ou Chloe e Dan com a pequena Trixie, ou uma família celestial, enorme e cheia de problemas que vêm sendo empurrados com a barriga há milênios. Fazer a comparação entre essas famílias que são tão diferentes, mas ao mesmo tempo tão iguais e com problemas tão parecidos, é algo bem legal. Vale o destaque para isso na temporada.

Com o fim da série se aproximando, é possível ver alguns arcos se encerrando, uns com alegria e outros com tristeza. A carga dramática da série deu uma aumentada aqui, o que já começa a preparar o terreno para o final. O balanço entre a diversão e o besteirol ficou em harmonia com essa pegada de drama que a história trouxe.

Os figurinos dessa temporada também saem um pouco do já vimos, com a chegada de tantos anjos eles renovaram um pouco o guarda-roupa do dia a dia. Mas o grande destaque vai para Maze nessa área, que sempre arrasou com as roupas ousadas, mas dessa vez até referências às HQ’s foram feitas, então talvez os mais chegados aos quadrinhos fiquem felizes com o que verão.

Fiel ao que é desde o começo, mas com um toque de novidade, a segunda parte da quinta temporada de Lucifer vai divertir e emocionar os fãs da série, e prepara-los para o gran finale que vem por ai!

Nota: 50/52.

Sobre Gabriela

Jornalista formada na PUC-SP, fotógrafa por paixão, e bailarina por teimosia. Apaixonada pela DC desde pequenina, fangirl do Batman e da Batgirl. E da Ravena, como não ser. Sou uma devoradora de livros e cinéfila até que se prove contrário. Objetivo de vida: tirar uma foto decente com o Jason Momoa (um deles, apenas). Sonho de vida: conhecer todos os países do mundo.

Últimas notícias