Em uma matéria expositora para o THR, várias fontes afirmaram que os criadores da série da DC para o canal Syfy, Krypton, sofreram pelas direções criativas de Geoff Johns.

Criada em 2018, Krypton foi uma série de televisão americana criada por David S. Goyer e Damian Kindler. A série se passa no planeta que dá nome a produção, aproximadamente 200 anos antes do nascimento de Kal-El, o Superman, e a eventual destruição do lugar.

Como revelado pelo THR,  Regé-Jean Page, ator que viria a se tornar uma estrela por seu papel em ‘Bridgerton‘, havia feito o teste para o papel de avô do Superman. Mas Johns, que supervisionava o projeto, disse que o Superman não poderia ter um avô negro. Os criadores também queriam fazer Adam Strange, gay ou bissexual. Mas fontes dizem que Johns vetou a ideia.

 

 

“Geoff celebra e apoia personagens LGTBQ, incluindo Batwoman, que em 2006 foi reintroduzida como LGBTQ em uma série de quadrinhos co-escrita por Johns.”, disse um representante de Johns para o portal. Johns também sugeriu à Warner o desenvolvimento de um programa de televisão em torno da primeira série de super-heróis LGBTQ+ da DC, acrescenta. Quanto ao papel do avô do Superman, o representante diz que Johns acreditava que os fãs esperavam que o personagem se parecesse com um jovem Henry Cavill, assim dando o papel a Cameron Cuffe, que comandou a série por suas duas temporadas.

Outros problemas na série foram destacados por membros da produção. Entre eles estava a escritora Nadria Tucker, que tuitou:

“Não falo com Geoff Johns desde o dia em Krypton quando ele tentou me dizer o que é e o que não é uma coisa negra.” diz Tucker ao THR. Johns se opôs quando o penteado de uma personagem negra foi mudado em cenas que aconteceram em dias diferentes. “Eu disse que mulheres negras, como nós, tendemos a mudar nosso cabelo com frequência. Não é estranho, é uma coisa negra”, ela diz. “E ele disse: ‘Não, não é’.”

A série Krypton foi cancelada em 2020.

Sobre Juan

Juan Santos

"Lembrai, lembrai, o cinco de novembro. A pólvora, a traição e o ardil; por isso não vejo porque esquecer; uma traição de pólvora tão vil" - “V for Vendetta”

Últimas notícias