Seguindo com o nosso especial de Natal, confira as duas últimas histórias que selecionamos para vocês! Leia a primeira parte -clicando aqui-.

4- “Metropolis Mailbag” (Superman #64 (fev/1992). Publicada no Brasil em Liga da Justiça (Abril) nº 64 em jul/1994

Naquele Natal de 1991, Superman já tinha revelado sua identidade secreta para Lois Lane e os dois já estavam de casamento marcado. Na próxima cena, o casal está nos correios de Metropolis, pois se tem alguém que rivaliza no número de cartas com o Papai Noel, esse alguém é o Homem de Aço. Porém as cartas enviadas são de todo tipo… desde propostas para descoberta de petróleo até as que realmente chamam a atenção do Superman, que contém pedidos de ajuda. A primeira que ele seleciona é de uma senhora que foi separada de sua irmã na Segunda Guerra Mundial e que passou décadas pensando que ela estava morta até descobrir recentemente que ela não só estava viva como também morava na Alemanha. Só que a senhora era muito pobre e não tinha como realizar esse reencontro…

Logo, o Superman consegue alguns contatos na embaixada americana na Alemanha e promove o reencontro entre as duas irmãs em uma cena emocionante.

Porém, nem só de momentos bonitos assim é a vida do Superman no Natal. Muitas coisas o Homem de Aço não tem poder para resolver, como por exemplo a carta de uma mulher que precisa de um transplante de coração. Mas aquilo que estiver ao alcance dele, ele se dedica a fazer, como consolar um garoto que enviou uma carta pedindo para que o Superman fizesse uma cirurgia no cérebro de seu pai onde havia um tumor.

Ainda naquele período, o Planeta Diário enfrentava uma greve dos seus funcionários. Dessa forma a tradicional festa de fim de ano do Planeta não iria acontecer, e os filhos dos funcionários não teriam seus presentes. Mas aí o Superman decide entrar em contato com Bruce Wayne e consegue uma verba para comprar os brinquedos. Mas ainda faltava uma parte importante da festa: o Papai Noel. É nessa hora que o professor Emil Hamilton desenvolve uma réplica do trenó do bom velhinho que é sustentada no ar pelo Superman camuflado com a cor do carro. Uma bela história de como o Natal pode ser triste e ainda assim ser cheio de esperanças.

5- “The Silent Night of the Batman” (Batman #219 (fev/1970). Publicada no Brasil em Batman: Lendas do Cavaleiro das Trevas – Neal Adams em dez/2015.

Batman tem muitas e muitas histórias que apresentam o Natal como cenário, mas esta talvez seja uma das mais significativas por mostrar que até mesmo alguém sisudo e com a vida marcada por tristezas como o Batman pode ser feliz por uma noite.

A história começa com o bat-sinal brilhando em mais uma noite nos céus de Gotham. Mas não é uma noite qualquer, é noite de Natal. Por isso o Comissário Gordon chamou o Homem Morcego para o GCPD. Porém, não há crime, não há violência… Nenhuma chamada foi registrada e por isso Gordon decidiu que nesta noite o Batman está de folga, e não só isso, irá participar do coro dos policiais. Batman entra na delegacia desconfiado, pois não acredita que um combatente do crime possa descansar até mesmo no Natal. Mas logo ele desencana e começa a cantar várias canções clássicas de Natal.

Nisso, os crimes que estavam acontecendo são “magicamente” interrompidos pelas canções, pessoas que estavam tristes e com saudades de parentes amados logo encontra conforto com a música, e Gotham City Está em paz.

Quando o Batman se dá conta, já são seis da manhã e ele passou a noite inteira se divertindo e cantando com seus companheiros da policia. E durante todo esse tempo não houve nenhum crime, nenhum telefonema para a polícia. E então é revelado que a “mágica” que protegia Gotham City era apenas o espírito natalino que contagiou a todos naquela noite.

Em um ano tão difícil como foi esse 2019, esperamos que as histórias aqui apresentadas de alguma forma toquem o coração das pessoas. O mundo vive momentos tensos onde a violência, a intolerância e a falta de empatia crescem assustadoramente. Que todos nos tenhamos nos exemplos dos heróis que nós tanto gostamos um norte a seguir, e que nos leve para tempos muito mais tranquilos, de amor ao próximo e de paz. Feliz Natal, DCnauta!

Sobre Rodolfo

Rodolfo Monteiro

Formado em Contabilidade, mas Nerd de coração e alma. Colecionador de gibis desde 1996, amante da DC desde Batman Returns. Sempre buscando conhecer mais sobre a nona arte!

Últimas notícias