O ano de 2017 marcou os 80 anos de uma das revistas mais importantes da história dos quadrinhos mundial. Detective Comics #1 teve sua estreia em terras americanas em março de 1937, e continuou sendo publicada ininterruptamente até setembro de 2011, quando teve sua numeração zerada como parte da reformulação da era Novos 52. Porém com o surgimento da era Rebirth, a Detective Comics retornou com a numeração original, incluindo edições lançadas nos Novos 52, chegando as comic shop’s em junho de 2016 o número #934.

E para comemorar essa história vamos apresentar algumas das melhores e mais marcantes edições de Detective Comics já lançadas. Bora viajar nessas histórias?

 

Detective Comics #27 – Maio de 1939 (publicada no Brasil em Batman Cronicas nº 1 em Agosto de 2007)

Claro, a mais clássica das edições de Detective Comics não poderia ficar de fora. Detective Comics #27 marcou a estreia de um dos maiores heróis das HQ’s: o Bat-Man (assim mesmo com hífen, foi a primeira grafia do nome do homem morcego). Nessa edição, o Batman estreia esclarecendo um caso onde vários sócios de uma empresa química são assassinados por um misterioso homem. Em 2010, a edição tornou-se a terceira mais cara já vendido, sendo leiloado para um comprador anônimo por módicos 1.075.000,00 milhões de dólares.

 

Detective Comics #38 – Abril de 1940 (publicada no Brasil em Batman Crônicas nº 1 em Agosto de 2007)

Um dos mais significativos elementos da mitologia do Batman com certeza é o Robin. Criado para fazer o público infanto juvenil se identificar mais com os gibis do Homem Morcego, o menino prodígio fez sua estreia em Detective Comics #38 pelas mãos de Bill Finger, Bob Kane, Jerry Robinson e George Roussos. A história mostra como Tony Zucco, um chefão da máfia, sabotou o circo onde os Graysons Voadores trabalhavam, causando assim a morte dos pais de Dick Grayson. Bruce Wayne, que estava na plateia no momento do acidente, se compadece da orfandade do garoto e decide adotá-lo. O resto é história…

 

Detective Comics #168 – Fevereiro de 1951 (publicada no Brasil em Batman 70 Anos nº 2 em Outubro de 2009)

Uma das mais “aceitáveis” origens do Coringa é a de que, antes de sofrer o acidente químico que fez sua pele ficar totalmente pálida e seu sorriso ser permanentemente bizarro, ele tenha sido o vilão Capuz Vermelho. E essa origem é apresentada nessa edição, onde mostra a fuga de um roubo a empresa química onde trabalhava, o Capuz Vermelho escapa por um duto onde os dejetos químicos eram descartados, e toda essa química afetou o Capuz fisicamente e mentalmente, transformando-o no Coringa. Essa edição serviu de base décadas depois para o clássico A Piada Mortal de Alan Moore.

 

Detective Comics #359 – Janeiro de 1967 (publicada no Brasil em As Várias Faces do Batman (Ed. Abril) em Outubro de 1989)

No auge da primeira Batmania nos anos 60, os gibis do Batman vendiam como água no deserto. Dessa forma, todos os personagens do universo do Homem Morcego se tornaram extremamente populares, e era hora de uma personagem feminina ganhar a cena. Escrita por Gardner Fox e desenhada pelo clássico Carmine Infantino, essa edição apresenta a nova Batgirl (já havia uma Bat-Girl (com hífen mesmo) que era Bette Kane, ajudante da Bat-Woman), alterego de Barbara Gordon, filha do Comissário Gordon. Meses depois, a Batgirl se tornaria um sucesso na terceira temporada da clássica série de TV do Batman.

 

Detective Comics #400 – Junho de 1970 (publicada no Brasil em Batman: Lendas do Cavaleiro das Trevas – Neal Adams nº 3 em Dezembro de 2015)

Com o fim da série de TV do Batman, as vendas caíram drasticamente e o personagem começou a ficar meio que perdido. Então a DC decidiu que era hora do Batman deixar o estilo camp de lado e voltar aos velhos tempos sombrios. Essa tarefa caiu no colo de dois dos mais expressivos artistas da Editora das Lendas: Neal Adams e Denny O’Neil. Com histórias mais “pé no chão” e deixando o humor um pouco de lado, essa fase do Batman se tornou um clássico instantâneo e cimentou uma estrada que levaria o personagem a novos caminhos nos anos 70. Entre vários gibis marcantes dessa fase, destacamos a edição comemorativa número 400 que traz a origem do Morcego Humano.

 

Detective Comics #854 – Agosto de 2009 (publicada no Brasil em A Sombra do Batman nº 1 em Julho de 2010)

Dando um belo salto no tempo chegamos a 2009 onde Greg Rucka e J.H. Williams III trouxeram a Batwoman de volta. Essa celebrada fase da personagem estreou em Detective Comics já sendo histórica, pois era a primeira vez que uma personagem que não era o Batman se tornava a protagonista da revista desde 1939! E também foi a primeira vez que uma personagem lésbica estampou a capa de Detective Comics.

E você DCnauta, tens alguma edição inesquecível de Detective Comics? Nos conte nos comentários!

Sobre Rodolfo

Rodolfo Monteiro

Formado em Contabilidade, mas Nerd de coração e alma. Colecionador de gibis desde 1996, amante da DC desde Batman Returns. Sempre buscando conhecer mais sobre a nona arte!

Últimas notícias