Crise Infinita | De salvador a déspota no Multiverso Sombrio

A quarta história dos Contos do Multiverso Sombrio se trata de um evento que seria possível prevenir uma Crise, mas se tornou uma outra muito pior e a probabilidade de dar errado multiplica-se em uma tragédia de proporções infinitas.

O conto do Multiverso Sombrio de Crise Infinita tem a sua guinada antes do próprio evento que culminou com a recriação do Multiverso. A morte de Ted Kord ao descobrir os planos de Maxwell Lord em Contagem para a Crise Infinita é o ponto de partida para a crise, mas a mudança deste evento cria-se uma cadeia de novos fatos resultando em um desfecho muito mais catastrófico.

Este Ted Kord do Multiverso Sombrio convive com o sentimento de inferioridade pelo fato de ser ignorado pela Liga da Justiça e a própria trindade quando o herói avisa a respeito da existência da sociedade secreta cheque mate e a IA Irmão Um. Após matar Lord, ele decide que apenas ele pode evitar a crise que está chegando, mas na verdade ele passa a ser o ponto de partida da destruição como é revelado na sinopse.

É muito incômodo para alguém que conhece e tem carinho pelo Besouro Azul ver a desconstrução da personalidade do herói. Assim que ele assume o poder do Irmão Um ele gradativamente passa de uma pessoa altamente espirituosa e nobre em que o protagonismo é efêmero, como ele mesmo diz em ‘Heróis em Crise’ “irmãos antes de heróis”, para um indivíduo egoísta e altamente arrogante construindo assim uma versão completamente diferente do que conhecemos.

Esta arrogância é o que posteriormente o leva a ruína passando do papel de um herói para um vilão absoluto neste Multiverso de possibilidades negativas. Nem mesmo a chegada do Lex Luthor da Terra 3 muda o rumo dos planos de Kord, culminando com a morte do casal Superman e Lois da Terra 2 e o próprio desfecho trágico do vilão da história escrita por Geoff Johns.

Além do egoismo, fica claro como a percepção entre certo e o errado do Besouro Azul se altera a partir do momento em que ele adquire um poder suficiente para derrotar qualquer herói da Terra, utilizando pedaços do Anti-Monitor para criar um traje fundido com o Irmão Um. Ele passa a utilizar de nanotecnologia passa a absorver os heróis tornando-os seus escravos até um confronto com o seu amigo de longa data, o Gladiador Dourado. Esse é o ponto final da ruptura do personagem com a pouca bondade que ainda restava em si.

Na conclusão da história, Kord assassina seu grande amigo e se deixa absorver pela inteligência artificial abdicando de uma vez das suas emoções e seguindo de vez com seu plano de “proteger” a Terra.

Um final como este é esperado dentro da proposta da história, mas ainda sim é perturbador tornando ambíguo o destino do Besouro Azul na crise do nosso Multiverso, a ponto de pensar se realmente ele faria isto no nosso mundo caso sobrevivesse.

Mesmo condensando em uma edição esse desenrolar dos fatos, o Conto do Multiverso Sombrio de Crise Infinita abre uma possibilidade diferente e muito assustadora em relação ao nosso Multiverso, trazendo uma desconstrução de um personagem muito querido e sendo capaz de torna-lo um inimigo com poder para destruir todo o heroísmo como conhecemos.

Nota:

Nota: 50/52 – Ótimo

Ricardo dos Santos

Fã de quadrinhos, séries, filmes e games. Apaixonado por DC de Grant Morrison a Alan Moore. Mais um privilegiado de estar na amada Terraverso.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of