A diretora de “Mulher-Maravilha 1984”, Patty Jenkins, comentou sobre seu estilo de fazer filmes e sobre a luta contra o estúdio para manter sua visão da produção enquanto se está no meio das filmagens. Em conversa com a Variety, ela disse quais são os maiores desafios.

“O desafio mais difícil é manter o mapa em sua cabeça e não perder a fé. Eu acho que é absolutamente imperativo que você tenha seu roteiro feito e você acha que é ótimo. Não entendo como as pessoas fazem isso quando as coisas estão mudando. Eu não sei como você poderia manter o controle disso. Não acredito nisso. Não acredito em estúdios fazendo isso. Eu gostaria que eles parassem de fazer isso. Isso me deixa louca.” disse Jenkins.

“Então, fizemos uma escrita muito completa, e todos os dias, você tem que ter fé no escritor e depois nos artistas com quem você trabalhou para fazer um plano, que o plano vai funcionar. Mas deixe-me lhe dizer, é absolutamente fascinante ter que esperar tanto tempo para ver essa união. Este era um filme tão complicado que mesmo no meio, o estúdio se posicionava como, “Eu não sei sobre essas coisas.” Eu disse: “Você não pode julgá-lo ainda. Não temos os efeitos.” Então parece estúpido agora, mas você tem que esperar.” disse Jenkins.

Jenkins também comentou recentemente no podcast Happy Sad Confused, por que demorou tanto para a Warner Bros. anunciar que ela estava voltando para dirigir uma sequência, o que parecia uma decisão fácil após o sucesso do primeiro filme.

“Comecei a querer ir embora. Eu ia embora. Eu até disse que ficaria feliz em ir para outro estúdio e fazer um quarto das coisas.” explicou Jenkins.

Ela acrescentou:

“É interessante como alguém que nunca teve lucro como na minha carreira até a chegada de MulherMaravilha, e sempre estivesse em paz com isso. Eu disse: “Ei, eu entendo.” Mas agora eu estava tipo, ‘Ouça, eu nunca ganhei dinheiro na minha carreira porque você sempre teve a vantagem e eu não, mas agora o sapato está no outro pé, então é hora de virar a mesa.”, explicou Jenkins.

Jenkins comparou o que estava sendo oferecido a ela com o que outros homens da indústria ganham em situações semelhantes. Sem surpresa, alguns de seus colegas homens estavam recebendo salários muito maiores que o seu para um mesmo trabalho.

“Era fácil descobrir que todos os homens não tinham apenas citações, tinham feito um filme independente e depois um primeiro filme [de super-herói]. Eles foram pagos sete vezes mais do que eu para o primeiro filme de super-herói. Então, no segundo, eles foram pagos mais do que eu ainda. Foi uma luta para dizer: “Isso não pode ser. Super não pode ser.” E realmente não pode ser na Mulher-Maravilha… Foi uma coisa interessante de se fazer, mas foi uma coisa fácil no fato de que eu estava falando sério. Que eu era como “Se eu não posso ser vitoriosa a este respeito, então eu estou decepcionando todo mundo.” Se não eu, quem? Então, isso virou algo que me tornei muito, muito, muito apaixonada.” , explicou Jenkins.

As primeiras sessões de “Mulher-Maravilha 1984” entraram em exibição nos cinemas do Brasil nesta semana. Confira nossa crítica sem spoilers sobre a produção -neste link-.

Via: [ComicBook].

Sobre Willyan

Publicitário. Diretor de Arte, Designer e Batmaníaco. Fã incondicional da DC Comics e pesquisador assíduo desse universo e todas as suas possibilidades de transformação.

Últimas notícias