Batman e mistério são elementos que são sinônimos ao longo de mais das suas 8 décadas de existência. Nesta adaptação de uma de suas clássicas histórias,  em “Batman: O Longo Dia das Bruxas Parte 2” acompanhamos o seu desfecho de um grande narrativa. Importante lembrar que este foi o último trabalho da atriz Naya Rivera, que faleceu no ano passado em um acidente, e na animação faz a voz da Mulher-Gato. Ela foi homenageada pela produção nos créditos finais.

A história continua a busca do Cruzado Encapuzado em prender o Assassino do Feriado, que a cada vítima se aproxima mais de Carmine Falcone e, como falamos em nossa análise da primeira parte,  – clique aqui -, a produção mantém o tom de mistério e realiza as adaptações necessárias em relação ao material da história original, vencedora do Eisner de Melhor Minissérie em 1998.

Apesar de existir um mistério a ser desvendado pelo maior detetive do mundo, a construção dos antagonistas da trama ganham um destaque maior neste desenrolar de fatos, que trazem revelações sobre alguns personagens como Selina Kyle, Harvey Dent e o próprio Bruce Wayne, tendo a sua origem brevemente lembrada e assim estabelecendo o Longo Dia das Bruxas como sua história de inicial neste novo universo de animações. A narrativa trabalha questões de confiança do herói com seus aliados ao mesmo tempo que continua desenvolvendo a história sem torná-la monótona ao longo de sua uma hora e meia de exibição.

Outro personagem que vale destacar é Carmine Falcone que, ao mesmo tempo que desempenha um papel de um dos vilões, ele é um dos perseguidos, pois o Feriado comete seus crimes como uma forma de vingança contra o mafioso que manipula a cidade em todas as suas esferas.

Alguns personagens da vasta galeria de inimigos do Cavaleiro das Trevas são trazidos como outros desafios, destacando a presença de personagens como Coringa, Hera Venenosa, Espantalho e o retorno de Solomon Grundy a trama, enquanto ainda a caça ao Feriado continua ao longo de uma investigação que passa de becos sem saída para suspeitos que não se imaginava até aquele momento. As cenas de ação são mais frequentes nesta parte da narrativa em relação à anterior, e o novo estilo de animação utilizado para este universo faz destas cenas mais empolgantes e dinâmicas.

O desfecho surpreende ao revelar a identidade do assassino e as suas motivações, ligando todos os pontos da trama e a razão de certos personagens terem encontrado o seu fim. Mas, o que de fato surpreende, é a razão em torno da decisão do Batman em relação ao que fazer com esse criminoso, mostrando um amadurecimento do herói que ainda está crescendo em sua luta contra e descobrindo seu lado detetivesco, característico dele.

Este Longo Dia das Bruxas não é apenas sobre uma história de assassinato, um jogo de gato e rato, mas também traz um contexto amplo do funcionamento desta Gotham, apresentando ela como um todo, seu sistema judiciário falho e como poucos homens bons tentam ainda vencer a luta contra o crime e a violência em diferentes frentes. Nem todos acabam se mantendo firmes neste propósito, pois nesta segunda parte vemos a queda de Harvey Dent e o surgimento do Duas Caras.

Nota 50 /52.

Sobre Ricardo

Fã de quadrinhos, séries, filmes e games. Apaixonado por DC de Grant Morrison a Alan Moore. Mais um privilegiado de estar na amada Terraverso.

Últimas notícias