#ReleaseTheSnyderCut | Tudo o que está por trás do sonho da versão de Zack Snyder de Liga da Justiça

Era uma vez um sonho: A LIGA DA JUSTIÇA. Todo e qualquer DCnauta sempre sonhou em um live action com os maiores heróis do universo. Embora, ninguém teria imaginado que seria um caminho repleto de obstáculos. 

Quando Snyder assumiu o Homem de Aço, a Warner não tinha nenhum planejamento para um universo estendido. O estúdio tem o célebre histórico de confiar nos diretores para estabelecer suas próprias histórias. Foi assim com a trilogia do Cavaleiro das Trevas dirigido por Christopher Nolan. Quando Batman Begins nasceu, junto com ele, existia um planejamento. Seria uma trilogia que usaria os quadrinhos como base, mas com o desejo de ir além. Nolan havia concebido um universo para o Batman, usando muito bem os vilões para contar uma história que dialogava com alguns gêneros do cinema. A Warner confiou no projeto e o resultado todos nós sabemos.

Assim como o Nolan obteve liberdade para criar o seu universo, Zack Snyder também obteve carta branca. Com o direito de ser o arquiteto da DC, Snyder, fã de quadrinhos, começou a construir sua história. Infelizmente, a tranquilidade para criar dada ao Nolan foi sucumbida diante um estúdio desesperado para ter o seu mar de dinheiro. Com a concorrência atingindo números de bilheteria absurdos, a Warner não queria perder tempo, apesar de já ter perdido o timing.

Diante de tudo isso, após o Homem de Aço, Snyder anunciou o seu novo projeto. Um filme que seria um prelúdio para a vindoura Liga da Justiça. Batman Vs Superman – A ORIGEM DA JUSTIÇA era com certeza uma ideia ousada e bastante perigosa. Como era suspeito, inserir toda a mitologia da Liga em um único filme, acabaria se tornando um sério problema.

Sou do time que amou BvS, mas estou longe de ignorar suas falhas. O maior crime foi justamente ser praticamente um prólogo de um filme que uniria todos os heróis. Claramente faltou tempo e espaço para os personagens. Algumas motivações soam forçadas e os inúmeros cortes do filme não contribui para a sua coesão.

Infelizmente, a Warner meteu a mão e diminuiu a liberdade dada a Snyder. O filme lançado no cinema foi diferente da versão estendida, essa que seria a visão que o Snyder queria para o filme. Na versão estendida, compreendemos melhor as motivações dos personagens e o embate dos heróis é mais plausível. A Warner encurtou o filme e esse seria apenas o início de um embate com o diretor. A crítica especializada não gostou do filme e a bilheteria não fez jus a uma produção protagonizada por dois dos maiores heróis da terra.

O que aconteceria então? Mudanças. Mudar era realmente preciso, mas as mudanças drásticas propostas pelo estúdio resultou em um outro filme ainda mais picotado, o Esquadrão Suicida. O diretor David Ayer afirmou que o filme visto no cinema, não era exatamente aquilo que o diretor propôs. Ele alegou, cortes e alterações em algumas cenas, para tornar o filme menos denso e um pouco mais colorido. Na prática, o que vimos foi um filme que sempre tenta chegar a um lugar, mesmo sem saber exatamente onde.

Todo o desejo da Warner era de fato, alcançar o sucesso que a Marvel conseguiu com seus filmes. Entretanto, agora que o trem estava andando, não houve uma boa direção e várias estações acabaram se passando. A DC perdeu o timing, muitos filmes de quadrinhos lotavam cinemas do mundo enquanto seu universo praticamente desmoronava. O Snyder não merece a culpa pela falta de planejamento da Warner, mas leva o crédito por não ter ouvido outras vozes que poderiam criar histórias diversas onde não se buscaria grandeza sem necessidade. Em seus filmes, é fácil perceber quando o equilíbrio é perdido, característica de alguém que deseja contar muito e ao mesmo tempo, sem um controle maior, ou até mesmo alguém que lhe forneça um certo controle.

Se você já me xingou mentalmente, saiba que sou fã do Zack. Amei BvS e Watchmen. E o Homem de Aço conseguiu uma enorme façanha: me fez admirar o personagem. Como nerd, me identifico fácil com Snyder e sua paixão por quadrinhos e videogames (as cenas de lutas do Super). Apesar disso, críticas são necessárias  e um bom diretor sempre busca aprimorar a sua forma de contar histórias.

Agora, Snyder Cut. Vamos aos fatos. O The Hollywood Reporter ouviu fontes da Warner que alegam não estar nos planos da Warner lançar o corte. Alguns até informaram que não existe uma versão alternativa de Liga da Justiça. Independente disso, Zack Snyder, seguiu postando fotos e alimentando rumores sobre a sua suposta versão. Quanto mais o tempo passou, artistas se manifestaram a favor da Snyder Cut. O assunto explodiu de vez quando Jason Momoa afirmou ter assistido a versão do Snyder.

Na prática, é bem possível que essa versão realmente exista – vamos tratar como rumor até uma confirmação oficial da Warner. Supostamente, a versão teria cerca de três horas e mudanças bruscas no tom e no roteiro. Darkseid iria aparecer, o Batman continuaria espancando criminosos, outros heróis possivelmente apareceriam junto com outros personagens importantes e daria mais forma a história. Além de tudo isso, o Superman vestiria sua roupa preta e possivelmente daria uma boa surra na Liga, quer dizer, uma outra grande surra.

Tudo muito lindo não é mesmo? A grande questão é: Seria o corte do Snyder economicamente viável para a Warner? Com investimentos pesados em séries da HBO Max, valores absurdos para ter exclusividade com criadores, investimentos em outros filmes do estúdio, inclusive outras produções da DC e um possível novo selo adulto de filmes (ainda não confirmado), a Warner investiria dinheiro para o corte do Snyder ser finalizado? 

Outro ponto importante é o quanto olhar para o passado pode trazer um efeito dúbio para os fãs. Da mesma forma como muitos, talvez por amarem o projeto e pelo desejo de esquecer aquela coisa dos cinemas, outros possivelmente podem lamentar o que não vivemos ainda. Isso seria ainda mais preocupante para o Batman que já está com um ator diferente da versão do Snyder.

Pelo que tudo indica, no momento, a Warner decidiu investir em projetos diversos sem uma ligação muito grande entre si e possivelmente, uma nova leva de filmes sob um selo semelhante ao DC Black Label dos quadrinhos. Nesse momento atual, a Warner abriria espaço para o Snyder Cut que na prática é um tiro no escuro? É sempre bom lembrar que o objetivo desses filmes é atingir o máximo possível de público, muitos dos quais não acompanham esses filmes com afinco e até mesmo gostaram da versão dos cinemas.

Pensando em todos esses fatores, não me surpreenderia se a Warner decidiu engavetar o projeto. Eu gostaria muito de assistir essa versão e seria uma boa forma de mostrar respeito ao diretor que não foi só criticado, como ainda é perseguido por uma parte da imprensa. Gostaria de ver um ciclo se fechando que começou com um questionamento sobre o que realmente significa a esperança.

Durante as filmagens da Liga da Justiça, Zack Snyder perdeu sua filha, vítima de um suicídio. Muitos não respeitaram a sua dor e pelo o que tudo indica, a Warner usou essa tragédia para dispensá-lo, o que pelo visto, já estava nos planos do estúdio. O Snyder Cut seria mais que um filme, seria uma forma da Warner se redimir com seu diretor, que errando ou não, deu início a um universo que nos deu boas lembranças no final.

De todas as formas, agradeço Zack por ter nos dado a oportunidade de voar tão perto do sol, mesmo que no final, todos acabássemos queimados. O que vale, é a jornada.

Lucas Pimentel

Você acredita em milagres? Também não, mas vivo na esperança de um universo de filmes maravilhosos da DC. Enquanto não acontece, sonho e escrevo.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of